close
Saúde

Como é feito tratamento de câncer em cachorro?

Atualizado · 16 de maio de 2022 · 18h45

Publicado · 16/05/2022 · 18h45

O câncer em cachorro é uma doença grave e quer requer um tratamento cauteloso
O câncer em cachorro é uma doença grave e quer requer um tratamento cauteloso

Receber o diagnóstico de câncer em cachorro é um momento muito triste para qualquer tutor. A doença é agressiva e traz diversas complicações à saúde do animal. Além de os sintomas do câncer de cachorro serem bem intensos, o tratamento também é bastante delicado e requer atenção especial. A quimioterapia em cães é o tratamento mais conhecido, mas existem outras formas de tratar a doença. É fundamental conhecer quais são esses métodos e conversar com o veterinário para decidir qual é o melhor de acordo com a gravidade, intensidade e tipo de câncer que seu pet apresenta. O Patas da Casa te explica exatamente como é feito o tratamento de câncer em cachorro. Confira!

Remoção cirúrgica do tumor é a primeira opção de tratamento para câncer em cachorro

Normalmente, o primeiro passo para tratar câncer de cachorro é a remoção cirúrgica do tumor. Muitos conseguem ser removidos com a cirurgia e, por isso, é o método preferido. Porém, é importante ressaltar que nem sempre isso será possível. Às vezes a posição do tumor impede que o procedimento seja feito por risco de afetar órgãos próximos ou por não ser favorável a uma cirurgia. Em alguns casos de câncer de cachorro, uma cirurgia não é o suficiente e será necessário realizar várias. O paciente pode precisar ficar internado e deve realizar procedimentos pré e pós operatórios, além de fazer muitos exames para acompanhar o estado do tumor. A cirurgia de retirada de tumor em cachorro com câncer tem muitas chances de sucesso, mas existe a chance de ele retornar. Por isso, outros métodos (como a quimioterapia em cães) podem ser indicados mesmo fazendo a cirurgia.

A quimioterapia em cães é um tratamento medicamentoso que evita a multiplicação do tumor

A quimioterapia em cachorro é o método mais conhecido. É um tratamento feito à base de medicamentos aplicados por via intravenosa ou subcutânea. O remédio atua diretamente nas células cancerígenas, controlando a sua multiplicação. A quimioterapia para cachorro é um tratamento indicado principalmente para cães que não podem fazer a cirurgia. Porém, os que fazem também podem precisar de quimioterapia antes ou depois da intervenção cirúrgica para ajudar no controle da multiplicação de células cancerígenas e evitar metástase.

O maior problema da quimioterapia em cães é o fato de que, apesar de trazer bons resultados, é um tratamento bastante agressivo. Os medicamentos atuam diretamente nas células cancerígenas, mas não há uma distinção bem estabelecida. Ou seja: além de atacar essas células, também ataca outras que estão saudáveis. Por conta disso, a quimioterapia em cachorro causa muitos efeitos colaterais que variam em cada caso. Os mais frequentes são: vômito, anorexia, cachorro com diarreia, febre, diminuição no número de leucócitos (que faz o animal ter maior predisposição a infecções) e diminuição de plaquetas. A quimioterapia em cachorro é realizada em sessões com intervalos de uma a três semanas, de acordo com a evolução e sensibilidade do animal. A quimioterapia para cachorro costuma ser menos agressiva do que é para humanos, mas mesmo assim é preciso ter muito cuidado com o pet nesse momento.

A eletroterapia utiliza impulsos elétricos que atacam células causadoras do câncer em cachorro

A eletroterapia é uma alternativa menos agressiva que a quimioterapia em cães pois é feita apenas na área afetada. Assim, o risco de atacar outras células e causar tantos efeitos colaterais é menor. Na eletroterapia, são aplicados impulsos elétricos no local onde o câncer de cachorro se encontra. Esses estímulos (que tem uma voltagem calculada para cada caso) penetram e ativam o tecido que está doente. Com isso, ocasiona a morte das células cancerígenas e evita que o tumor retorne. Apesar de trazer bons resultados, é uma inovação na medicina veterinária e, por isso, não é tão fácil encontrar clínicas que tenham os equipamentos necessários, além de ter um custo mais elevado. 

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria o seu domingo perfeito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica em um dia de chuva?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria a viagem ideal nas férias?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você costuma encontrar os amigos?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua rotina matinal?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua agenda no fim de semana?

Question Header Background

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    A quimioterapia em cães é um dos tratamentos mais usados para tratar o câncer
    A quimioterapia em cães é um dos tratamentos mais usados para tratar o câncer

    Mais Lidas

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    A radioterapia para tratar câncer em cachorro é feita com radiações ionizantes

    A radioterapia, assim como a quimioterapia para cachorro, é uma opção viável quando não se pode fazer uma cirurgia ou como um tratamento secundário antes ou depois dela. Na radioterapia, são utilizadas radiações ionizantes diretamente no local doente, diminuindo a quantidade de células cancerígenas ali. O tratamento tem resultados melhores quando o câncer em cachorro está no início, mas também pode ser indicada de maneira paliativa em casos de metástase ou quadros mais avançados, pois ajuda a diminuir o tamanho do tumor. Esse método não causa tantos efeitos colaterais. Eles podem acontecer no local onde foi realizada a radioterapia, mas não se propagam pelo organismo. Dentre os efeitos que podem surgir, podemos destacar descamação da pele, conjuntivite canina, mucosite e rinite. É importante sempre manter os exames em dia para evitar reações tardias por conta da radiação, como mudança na cor e crescimento dos pelos do cachorro onde a terapia foi feita, fibrose e necrose. 

    A imunoterapia no tratamento do câncer de cachorro faz com que o próprio corpo combata a doença

    A imunoterapia é um tratamento de câncer de cachorro muito recente. Seu objetivo é melhorar a resposta do sistema imunológico do cão ao potencializar seu poder de ação no combate às células cancerígenas. Ou seja, o próprio organismo do animal passa a ter maior capacidade de ajudar a acabar com elas. Normalmente, esse tratamento é feito por meio da aplicação de vacinas específicas que contam com substâncias que ativam o sistema imune do pet. Com a imunoterapia, há um risco bem menor de o câncer de cachorro se propagar e ainda tem a vantagem de não trazer muitos efeitos colaterais. Porém, ainda é um tratamento extremamente novo, então dificilmente será possível encontrar clínicas que o ofereçam.

    O tratamento do câncer de cachorro varia e o acompanhamento deve se manter por toda a vida 

    É muito importante entender que o tratamento do câncer em cachorro varia para cada animal. Em muitos casos, o processo envolverá mais de um método (como cirurgia e quimioterapia em cães complementando um ao outro). Por isso, é fundamental um acompanhamento veterinário regular durante esse período. Não deixe de ir às consultas, realize os check-ups e siga todas as orientações que o veterinário passar. Como o câncer de cachorro, infelizmente, pode voltar depois de um tempo, o acompanhamento deve ser feito por toda a vida. Esse cuidado ajuda a evitar o agravamento da doença, já que quanto mais cedo for descoberta, melhor é a resposta do animal. 

    Redação: Maria Luísa Pimenta

    Saiba tudo sobre o complexo gengivite estomatite felina

    Próxima matéria

    Saiba tudo sobre o complexo gengivite estomatite felina

    Diabetes em cachorro: como é feito o tratamento e quais as mudanças necessárias na rotina do pet?
    Saúde

    Diabetes em cachorro: como é feito o tratamento e quais as mudanças necessárias na rotina do pet?

    A diabetes canina é um problema sério e delicado que afeta significativamente a qualidade de vida dos cães e que, se não for tratada adequadamente, pode até ser fatal. Por isso, quanto antes o tratamento for iniciado, maiores são as chances do cachorro conseguir viver com a doença sem ser tão prejudicado. Mesmo que a enfermidade seja bastante conhecida no universo humano, a diabetes em cachorro ainda desperta muitas dúvidas, principalmente no que se refere ao tratamento e às mudanças na rotina do pet. 

    Catarata em cachorro? Descubra como a doença se desenvolve e como é feito o tratamento
    Saúde

    Catarata em cachorro? Descubra como a doença se desenvolve e como é feito o tratamento

    Da mesma forma como acontece com os humanos, a catarata em cachorro é uma doença que, gradativamente, vai afetando a qualidade da visão do animal. Ela pode ser causada por uma série de motivos diferentes, mas apenas um deles pode ser prevenido. Outro detalhe que é único sobre a catarata em cachorro é o tratamento: a cirurgia. Para te ajudar a saber um pouco mais sobre essa doença que atinge tanto os cachorros idosos quanto os mais jovens, nós conversamos com o veterinário oftalmologista Pedro Mancini do Hospital Vet Popular. Dá uma olhada!

    Vulvovaginite em cadelas: veterinário explica as causas do problema e como é feito o tratamento
    Saúde

    Vulvovaginite em cadelas: veterinário explica as causas do problema e como é feito o tratamento

    A vulvovaginite em cadelas é um quadro inflamatório mais comum do que se pensa e que pode atingir as cachorras em qualquer fase da vida, inclusive filhotes. Essa doença pode ser causada por diferentes fatores, e, dependendo da causa, o tratamento pode variar. Por isso, ao observar qualquer vestígio de corrimento saindo da vagina da cadela, é importante ficar atento. Para esclarecer possíveis dúvidas sobre o assunto, entrevistamos o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro. Veja só o que mais ele disse sobre a vulvovaginite canina a seguir!

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro
    Grandes

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro

    O Galgo Afegão, também chamado de Afghan Hound, é um cachorro originário do Oriente Médio com aparência exótica e charmosa, difícil de passar despercebido. O que poucas pessoas sabem é que, por trás da postura elegante e independente do cão Afegão, existe um ótimo companheiro de quatro patas, cheio de energia para gastar e amor para dar. Mas o que é necessário saber sobre essa raça de cachorro antes de comprar ou adotar um exemplar? Como é a personalidade do Afghan Hound e que cuidados são necessários com o cãozinho? 

    Ver Todas >

    Lama biliar em cães: o que é, como se desenvolve e qual o tratamento
    Saúde animal

    Lama biliar em cães: o que é, como se desenvolve e qual o tratamento

    A lama biliar em cães é uma doença que afeta o sistema digestivo do cachorro. Apesar de ser pouco conhecida, a condição está relacionada com a produção de bile, substância essencial no processo de digestão. Muitas vezes confundida com a colecistite em cães, a lama biliar não causa no cachorro tantos transtornos à saúde de início, mas pode levar a uma inflamação mais grave do órgão. Por ser uma doença mais desconhecida, muitas dúvidas surgem: o que causa a lama biliar? 

    PIF felina: como prevenir a grave doença que afeta os gatos?
    Saúde animal

    PIF felina: como prevenir a grave doença que afeta os gatos?

    Sem dúvidas, a PIF felina é um dos maiores medos de pais e mães de pet. Considerada uma das doenças mais graves em gato, a peritonite infecciosa felina é altamente infecciosa e causa diversos transtornos para a saúde. O gato com PIF sofre com falta de apetite, perda de peso, aumento do abdômen, dificuldade de respirar, problemas de coordenação… são tantas consequências que deixam o animal extremamente frágil. O pior de tudo é que a doença PIF não tem cura e nem vacina. 

    Se viu a terceira pálpebra do gato exposta, fique atento! Pode se tratar da Síndrome de Haw
    Saúde animal

    Se viu a terceira pálpebra do gato exposta, fique atento! Pode se tratar da Síndrome de Haw

    A Síndrome de Haw em gatos é um quadro que ocorre quando a terceira pálpebra (que deveria ficar escondida) se projeta para fora, cobrindo parte do olho do gato. Essa doença ocular felina é de fácil diagnóstico e tem um tratamento simples, mas é importante que o auxílio veterinário entre em ação logo no início. O tutor deve observar se existe algo diferente nos olhos do gato!

    Cachorro tem tireoide? Veja a resposta!
    Saúde animal

    Cachorro tem tireoide? Veja a resposta!

    Você sabia que cachorro com hipotireoidismo é uma condição mais comum do que se imagina? A anatomia canina ao mesmo tempo que é bem diferente da humana, tem muitas coisas bastante parecidas. Diversos órgãos presentes no nosso corpo também existem - em diferentes proporções, é claro - no corpo do animal. Um deles é a tireoide. Todo cachorro tem tireoide e essa glândula é tão importante para eles quanto é para nós. Inclusive, é bem comum que o animal sofra com disfunções relacionadas a ela. 

    Ver Todas >