Adestramento

Cachorro medroso: é possível evitar que o animal desenvolva medo na vida adulta?

Tem um cachorro com muito medo de pessoas, outros animais, barulhos e objetos? Saiba como lidar!
Tem um cachorro com muito medo de pessoas, outros animais, barulhos e objetos? Saiba como lidar!

Lidar com um cachorro medroso é uma situação que muitas vezes deixa os tutores um pouco perdidos. Nem sempre é fácil fazer com que o pet se sinta melhor diante das situações que ele tem medo, principalmente para quem nunca vivenciou nada parecido antes. Mas será que é possível fazer com que os cães não sintam medo na fase adulta? Quais são os motivos por trás de um cachorro com medo do dono, de estranhos, outros animais e até mesmo de objetos ou barulhos do dia a dia, como os trovões? Para saber como lidar com isso e como evitar que o seu amigo de quatro patas desenvolva medo na vida adulta, entrevistamos a veterinária e comportamentalista Renata Bloomfield. Veja o que ela nos contou!

Cachorro medroso: quais são os sinais mais comuns?

É muito fácil identificar um cachorro medroso. Segundo Renata, quando um cão tem medo de alguma coisa, ele tende a abaixar o rabo imediatamente, e às vezes a cauda pode até ficar entre as pernas do animal. Além disso, as orelhas se abaixam e o cachorro fica olhando para todos os lados para observar tudo que acontece a sua volta. Ele vai querer se afastar do objeto ou da situação que tem medo. Alguns podem até tentar fugir, mas isso está mais relacionado a cães com quadro de pânico ou fobia. “Outro fator que pode ser observado também é quando o animal não quer fazer determinada atividade. Então, por exemplo, se o cachorro tem medo de entrar no carro, ele vai olhar pro automóvel, colocar o rabo para dentro, abaixar as orelhas e pode tentar se afastar”, explica.

Mas afinal, por que esses animais podem sentir tanto medo? De acordo com a profissional, isso geralmente acontece quando o cão não é socializado até a 16ª semana de vida, fazendo com que os peludos sintam medo daquilo que eles ainda não conhecem. Outro possível motivo são os traumas, que é quando alguma situação desagradável acontece com o cão, e o resultado é um cachorro com muito medo de pessoas, outros animais, barulhos específicos ou objetos.

Cachorro com medo “do nada”? Sempre tem um motivo por trás

Nem sempre entendemos o medo que nossos amigos de quatro patas sentem, mas é preciso ter em mente que isso não desvalida o sentimento deles. Às vezes, o motivo passa despercebido pelos humanos, mas sempre existe uma lógica por trás do comportamento do animal. “Durante um passeio, por exemplo, pode haver algum tipo de barulho, como a buzina de um carro ou fogos, e isso vai assustar o cão que, consequentemente, acaba assustando a pessoa. Então o cachorro olha para o tutor, vê que ele está assustado e isso é uma forma de legitimar o medo do animal, dizer que aquilo que ele sente está certo”, explica Renata. Esse acaba sendo um dos motivos que pode deixar um cachorro com medo “do nada”.

Além disso, outro exemplo da veterinária é o da fase de socialização: “Se o cão nunca teve contato com aquela situação - seja pessoa, animal ou objeto -, quando ele precisa lidar com isso pela primeira vez pode ficar com medo. Nunca é do nada, o medo sempre tem um motivo”.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Como seria o seu domingo perfeito?

Como você fica em um dia de chuva?

Como seria a viagem ideal nas férias?

Como você costuma encontrar os amigos?

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Como é a sua rotina matinal?

Como é a sua agenda no fim de semana?

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    Cachorro medroso: buscar refúgio é normal para que o pet se sinta mais seguro
    Cachorro medroso: buscar refúgio é normal para que o pet se sinta mais seguro

    Mais Lidas

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor
    Comportamento animal

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor

    A companhia dos felinos é uma delícia, mas tem lá seus desafios, principalmente na hora de tentar entender a linguagem dos gatos. Por serem mais reservados, muitos tutores ficam na dúvida se esses animais realmente apreciam a presença dos humanos, se perguntando como os gatos nos veem. Será que eles são capazes de nos entender? Como o gato reconhece seu dono? Como saber se eles gostam da gente? Para tentar desvendar de uma vez por todas alguns dos comportamentos do gato em relação ao seu tutor, preparamos uma matéria bem especial. Vem com a gente e saiba mais sobre o assunto!

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?
    Comportamento animal

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?

    Não é segredo para ninguém que os gatos são muito exigentes com alimentação e higiene. E um hábito muito comum observado por todo gateiro é o gato pedindo comida mesmo quando o pote de ração está cheio: eles manifestam a insatisfação com a comida “velha” com muitos miados para chamar a atenção do tutor. Esse é mais um curioso comportamento felino com muitas explicações coerentes por trás.

    As 7 raças de cachorro que mais precisam gastar energia
    Comportamento animal

    As 7 raças de cachorro que mais precisam gastar energia

    Manter a frequência de passeios no dia a dia do seu amigo de quatro patas é algo necessário para todas as raças de cachorro. Além dos benefícios que a socialização desses momentos traz, para muitos animais, essa caminhada é atividade física suficiente para o gasto de energia diário. Raças mais preguiçosas, que só devem se movimentar para manter a saúde, não precisam de muito tempo dedicado a essa área, mas nem todas são assim: para equilibrar, existem algumas raças de cachorro têm energia de sobra. Pensando no bem da saúde do seu animal e buscando evitar que ele desconte essa disposição acumulada em outras partes da casa, nós separamos algumas raças que precisam de agitação para ficar bem no dia a dia. Dá uma olhada!

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)
    Comportamento animal

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)

    Os felinos não são muito associados com o ato de morder. Diferente dos cachorros, o comportamento é bem menos frequente nos felinos. É justamente por isso que muita gente acaba ignorando as mordidas por subestimar a força do animal e achar que não vai machucar. A mordida de gato não só pode ocorrer por muitos motivos, como também podem causar acidentes. Geralmente, os gatos dão alguns sinais que antecipam a mordida e é importante que você aprenda a reconhecê-los, assim como também entender as razões que levam o felino a ter essa atitude. Preparamos uma matéria completa sobre o assunto, então chega mais e vem entender porque os gatos mordem!

    A importância da socialização para evitar o cachorro medroso na fase adulta

    Não tem jeito: a melhor forma de garantir que seu doguinho não vai se entregar facilmente aos próprios medos quando estiver adulto é dando a devida importância à socialização nos primeiros meses de vida. “Essa fase é primordial para que você não tenha um cachorro medroso adulto. Embora tenha a questão das vacinas, que precisam de orientação médica e que o animal não pode sair de casa após a aplicação da primeira dose, é importante apresentá-lo a situações variadas durante o período de 16 semanas”, reflete Renata, que acrescenta: “O que eu sempre aconselho pros meus pacientes é passear com o cachorro, mas somente após a aplicação da segunda dose da vacina e com alguns cuidados essenciais: sair com o cachorro sempre no colo ou em uma bolsinha, e não deixar o animal pisar no chão. Se for passear, o cachorro está na bolsinha e você percebeu que ele quer fazer xixi, pode colocar um tapetinho pra ele fazer em cima e depois pegar no colo de novo. É bom para deixar todo mundo falar e interagir com ele. Mas, claro, você não vai apresentá-lo para os cachorros que estão no chão”. 

    Outra dica é estimular a relação do animal com diferentes pessoas e ambientes, desde que estes sejam seguros para o cão. Ou seja, vale programar um dia para reunir alguns amigos, e outro para chamar a família para conhecer o novo membro. Assim, o doguinho já começa a ter o mínimo de contato com outras pessoas - adultos e crianças. “Às vezes, até mesmo sair de carro com o cachorro, nem que seja para ir na padaria e voltar, já é uma ideia válida. Assim, ele já se acostuma com o carro, com o barulho da rua e as situações do dia a dia”, conclui.

    Adestramento: cães medrosos precisam passar por algum tipo de treinamento?

    Muita gente que lida com um cachorro medroso se pergunta se a melhor alternativa é procurar a ajuda de um adestrador profissional. Mas, conforme a comportamentalista indica, para ajudar esses cães o tutor também cumpre um papel fundamental: “Acho muito importante sempre incentivar o cachorro a vencer o medo dele e não querer protegê-lo disso”. Logo, se o animal tem medo de um balão, por exemplo, o tutor deve pegar o balão e mostrar que isso pode ser legal e não é uma situação que apresenta nenhum tipo de risco, estimulando o cão a enfrentar o medo do objeto. “Isso funciona muito bem na fase de socialização. Quanto mais o cachorro medroso vencer o medo nos primeiros meses de vida, mais fácil ele vai superar as situações adversas na vida adulta”.

    Já no caso de cães que já são adultos que são muito medrosos, a melhor forma de tranquilizar o pet é agindo com naturalidade diante de acontecimentos que podem assustar o animal, como barulhos de buzina ou de fogos. “Agir naturalmente ajuda a passar segurança para o cachorro medroso, e a gente deve mostrar que são situações normais que acontecem, sem valorizar demais o momento. Mas vale lembrar que estamos falando de medo, e não de pânico e nem fobia”.

    Cachorro medroso: veja outras formas de lidar com a situação

    Além de investir bastante na socialização do cachorro na fase inicial de vida dele, existem outras dicas que podem ajudar a melhorar o medo dos cães. “Seo cachorro ficou com medo de fogos de artifício, você pode chamá-lo para brincar, fazer um treino de adestramento ou simplesmente ficar ao lado dele (mas sem agarrá0lo). O ideal é desviar a atenção do cachorro do barulho que provocou o medo”, orienta Renata.  Há casos em que o animal pode procurar refúgio e se esconder debaixo da cama ou ficar quietinho em algum lugar, mas não tem problema se isso acontecer: “É importante ele saber que, quando você não tiver em casa, ele tem um cantinho seguro para ficar, que faz ele se sentir bem.”

    Ainda assim, vale lembrar que dependendo do grau do medo, às vezes pode ser algo mais sério, como pânico ou fobia, que são situações que podem colocar o animal em risco. “Nesse caso, é importante que um veterinário de comportamento seja procurado para orientar qual é a melhor medicação pro animal”, explica. Aliás, é fundamental ter em mente que a automedicação é totalmente contra indicada, porque pode desencadear ainda mais problemas na saúde do animal. “O ideal é procurar um veterinário especialista em comportamento e não deixar para a última hora pra tratar a fonofobia, que é a fobia de barulho, porque os remédios demoram para fazer efeito, sendo no máximo três meses antes e sempre dando continuidade ao tratamento, não apenas nas festas de fim de ano”, finaliza a profissional.

    Redação: Juliana Melo

     

    Brincadeiras para cachorro:

    Próxima matéria

    Brincadeiras para cachorro: "posso deixar meu pet brincar com gravetos que ele encontra na rua?"

    Quanto custa manter um cachorro? Um guia completo com a média de gastos mensais com um cão
    Adoção

    Quanto custa manter um cachorro? Um guia completo com a média de gastos mensais com um cão

    Ter um cachorro em casa é uma experiência incrível para mães e pais de pet, mas os momentos de alegria vêm acompanhados de muitas responsabilidades… e gastos (muitos gastos). Ração, vacina, brinquedos, remédios e veterinário são os principais custos que você precisa ter frequentemente com o animal. É justamente por isso que, antes de comprar ou adotar um pet, é preciso pensar nos gastos que isso vai demandar - e que devem entrar no orçamento da família. Para te ajudar a bater o martelo e decidir se consegue ou não arcar com um amigo de quatro patas, montamos um guia completo com uma média dos gastos que você provavelmente terá. Chega mais!

    Acessórios para cachorro que facilitam a vida do tutor e ajudam no bem-estar do animal
    Cuidados

    Acessórios para cachorro que facilitam a vida do tutor e ajudam no bem-estar do animal

    Não adianta tentar se convencer do contrário: dar as boas vindas a um cachorro na sua casa é sempre sinônimo de mudanças que devem ocorrer. Além da dinâmica do dia a dia e da necessidade de alimentar e cuidar de mais um ser vivo, é provável que o tutor de primeira viagem seja apresentado a uma série de objetos que não conhecia antes. Existem acessórios para cachorro que são perfeitos para melhorar o bem-estar do animal em diferentes situações e que, ao mesmo tempo, são uma mão na roda para os tutores. Vem ver a lista que nós separamos aqui embaixo!

    Pequinês: tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro pequeno
    Pequenos

    Pequinês: tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro pequeno

    Para quem procura por raças de cachorro pequeno, o Pequinês pode ser a companhia perfeita. Além de se adaptar muito bem a apartamentos e outros espaços reduzidos, esse pequeno cãozinho é dotado de uma personalidade carinhosa, amigável e extremamente leal aos seus humanos. Apesar da baixa estatura, o cachorro Pequinês também é super corajoso, e uma das maiores provas de que tamanho não é documento. 

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande
    Grandes

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande

    Você já ouviu falar no Dogo Argentino? Essa é uma raça de cachorro que teve origem em um país vizinho ao nosso, a Argentina. Embora pareçam sérios, os cães desta raça são uns amores e têm tudo para te conquistar, principalmente se o que você procura é um amigo de quatro patas bem leal e parceiro. Mas antes de comprar ou adotar um cachorro desta raça, que tal conhecê-lo um pouco mais a fundo? 

    Ver Todas >

    Como é a personalidade do Bulldog Inglês?
    Comportamento animal

    Como é a personalidade do Bulldog Inglês?

    Dentre tantas raças de cachorro que existem, uma das mais adoráveis e cativantes certamente é o Bulldog Inglês. “Mas eles não são mal humorados?” - é o que muitos se perguntam, principalmente por causa da carinha de rabugento típica da raça. A verdade é totalmente diferente disso: qualquer pessoa que tem a chance de conviver com um cachorro Bulldog Inglês sabe bem como esses animais podem ser amorosos e brincalhões. 

    Casco para cachorro faz mal? Quando é indicado? Quais os cuidados?
    Comportamento animal

    Casco para cachorro faz mal? Quando é indicado? Quais os cuidados?

    Roer e morder são necessidades naturais dos cães. Esse hábito também é associado à saúde mental, já que os mordedores próprios ajudam o animal a relaxar. Além disso, disponibilizar os brinquedos ideais para cachorro morder evita que o animal desconte sua energia nos móveis e objetos da casa, principalmente quando ele é filhote. O casco para cachorro é uma opção muito utilizada para redirecionar as mordidas, mas o "brinquedo" divide opções: o objeto prejudica o cachorro de alguma forma?

    Por que o olho de gato brilha no escuro? Veja essa e outras curiosidades sobre o olhar felino
    Comportamento animal

    Por que o olho de gato brilha no escuro? Veja essa e outras curiosidades sobre o olhar felino

    Quem nunca se perguntou se o gato enxerga no escuro ou até mesmo se assustou com o olho felino brilhando à noite? O olhar de gato é cheio de particularidades, assim como outras partes do seu corpo. Pais de primeira viagem podem estranhar essas alterações no olhar que são comuns em todos os felinos. Para esclarecer de uma vez por todas essas dúvidas, o Patas da Casa reuniu uma série de curiosidades que vão te ajudar a entender melhor por que a pupila do gato muda de acordo com o ambiente e como os gatos enxergam no escuro. 

    Passear com cachorro: como deixar o pet menos ansioso ao ver a coleira e guia?
    Comportamento animal

    Passear com cachorro: como deixar o pet menos ansioso ao ver a coleira e guia?

    Passear com cachorro é uma das melhores formas de gastar energia dos animais domésticos. Os cães adoram sair de casa, fazer novos amigos e passar um tempo de qualidade com o tutor. O problema é que normalmente a hora do passeio desperta a agitação sem fim nos cãezinhos. Alguns, inclusive, não podem ver a coleira e a guia que já começam a pular e correr pela casa. 

    Ver Todas >