Histórias reais

Cachorro entende quando o outro morre? Como os cães reagem quando perdem um amigo de quatro patas?

Luto de cachorro: saiba como esse momento pode afetar a saúde e o comportamento do seu amigo
Luto de cachorro: saiba como esse momento pode afetar a saúde e o comportamento do seu amigo

Lidar com a perda de um pet está longe de ser uma tarefa fácil. Mas, se você tem mais de um cachorro em casa, a perda também pode ser bem dolorosa para o animal que fica. Sim, o cachorro entende quanto o outro morre e isso pode impactar diretamente no comportamento e na saúde dele. Os cães são animais extremamente sensíveis e capazes de criar vínculos afetivos tanto com seus humanos quanto com outros animais. Por esse motivo, é importante que o tutor saiba identificar os sinais de luto de cachorro e como ajudá-lo a lidar com a saudade seguindo em frente. Para entender como esse processo acontece na prática, as tutoras Beatriz Reis e Gabriela Lopes compartilharam suas histórias com o Patas da Casa!

Pesquisa afirma que cachorro sente saudade de outro cachorro e pode sofrer com a perda do amigo

Você pode até não acreditar, mas a pesquisa publicada pela professora Barbara J. King na Scientific American revelou que o cachorro entende quando outro morre e isso pode ser percebido com mudanças comportamentais. Embora não existam provas do que o animal realmente compreende o conceito de morte, é possível perceber que o cachorro sente saudade do amigo quando hábitos comuns deixam de fazer sentido para o animal. A falta interação social, por exemplo, é o primeiro sinal de que o seu cãozinho pode estar passando pelo processo de luto. A perda de apetite, aumento nas horas de sono, estresse e ansiedade também podem caracterizar um quadro de cachorro com saudade. Além disso, é possível que o seu pet passe por episódios de busca pelo outro cão de companhia dentro de casa ou em outros locais frequentados pelo animal.

Por outro lado, alguns cães podem se mostrar mais apegados e afetuosos com seus tutores após a perda do amigo. Por isso, é importante ficar atento às mudanças no comportamento canino, acompanhar o seu cãozinho mais de perto e buscar ajuda de um veterinário ou comportamentalista quando necessário.

O cãozinho Nicolas teve episódios de agressividade e estresse depois de perder a Bel

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Como seria o seu domingo perfeito?

Como você fica em um dia de chuva?

Como seria a viagem ideal nas férias?

Como você costuma encontrar os amigos?

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Como é a sua rotina matinal?

Como é a sua agenda no fim de semana?

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
      A Bel e o Nicolas conviveram por cerca de dois anos
    A Bel e o Nicolas conviveram por cerca de dois anos

    Mais Lidas

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor
    Comportamento animal

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor

    A companhia dos felinos é uma delícia, mas tem lá seus desafios, principalmente na hora de tentar entender a linguagem dos gatos. Por serem mais reservados, muitos tutores ficam na dúvida se esses animais realmente apreciam a presença dos humanos, se perguntando como os gatos nos veem. Será que eles são capazes de nos entender? Como o gato reconhece seu dono? Como saber se eles gostam da gente? Para tentar desvendar de uma vez por todas alguns dos comportamentos do gato em relação ao seu tutor, preparamos uma matéria bem especial. Vem com a gente e saiba mais sobre o assunto!

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?
    Comportamento animal

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?

    Não é segredo para ninguém que os gatos são muito exigentes com alimentação e higiene. E um hábito muito comum observado por todo gateiro é o gato pedindo comida mesmo quando o pote de ração está cheio: eles manifestam a insatisfação com a comida “velha” com muitos miados para chamar a atenção do tutor. Esse é mais um curioso comportamento felino com muitas explicações coerentes por trás.

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)
    Comportamento animal

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)

    Os felinos não são muito associados com o ato de morder. Diferente dos cachorros, o comportamento é bem menos frequente nos felinos. É justamente por isso que muita gente acaba ignorando as mordidas por subestimar a força do animal e achar que não vai machucar. A mordida de gato não só pode ocorrer por muitos motivos, como também podem causar acidentes. Geralmente, os gatos dão alguns sinais que antecipam a mordida e é importante que você aprenda a reconhecê-los, assim como também entender as razões que levam o felino a ter essa atitude. Preparamos uma matéria completa sobre o assunto, então chega mais e vem entender porque os gatos mordem!

    As 7 raças de cachorro que mais precisam gastar energia
    Comportamento animal

    As 7 raças de cachorro que mais precisam gastar energia

    Manter a frequência de passeios no dia a dia do seu amigo de quatro patas é algo necessário para todas as raças de cachorro. Além dos benefícios que a socialização desses momentos traz, para muitos animais, essa caminhada é atividade física suficiente para o gasto de energia diário. Raças mais preguiçosas, que só devem se movimentar para manter a saúde, não precisam de muito tempo dedicado a essa área, mas nem todas são assim: para equilibrar, existem algumas raças de cachorro têm energia de sobra. Pensando no bem da saúde do seu animal e buscando evitar que ele desconte essa disposição acumulada em outras partes da casa, nós separamos algumas raças que precisam de agitação para ficar bem no dia a dia. Dá uma olhada!

    O Nicolas era um filhotinho de 45 dias de idade quando aprendeu com a Bel a latir no portão da casa, dormir no travesseiro das donas e até a fazer xixi e cocô no lugarzinho certo. Com 11 anos de diferença, eles acabaram se tornando amigos mesmo com certa relutância da Bel - afinal, ela sempre foi a "dona" da casa antes da chegada do filhote cheio de energia. Eles brincavam, aprontavam juntos e vez ou outra tinham que disputar a atenção da família.

    A Bel faleceu em junho de 2017, cerca de dois anos depois da chegada do Nicolas. O cãozinho sentiu a perda e passou a ter mudanças comportamentais bem visíveis de uma espécie de "luto de cachorro". “O sinal mais visível foi a compulsão alimentar. Desde que a Bel faleceu o Nicolas começou a ganhar peso sem parar e, por isso, acredito que a falta da companhia dela durante as brincadeiras tenha ajudado a agravar o quadro”, conta a tutora Gabriela Lopes. A longo prazo, o Nicolas também apresentou alguns efeitos desse momento difícil. “Ele ficou mais agressivo e ciumento com as coisinhas dele, inclusive com a comida. Além disso, a pelagem dele ficou bem branca nas laterais devido ao estresse e a ansiedade”, revela.

    Para lidar com o quadro do amigo, Gabriela conta que foi preciso de uma boa dose de compreensão e apoio emocional. “Nos aproximamos ainda mais do Nicolas depois da morte da Bel e passamos a fazer todas as vontades dele. Não sei se foi a melhor forma de lidar com o quadro, mas no momento parecia ser o certo”, explica. No entanto, a tutora revela que o ganho de peso e os ataques possessivos ainda acompanham o pet. “Fizemos algumas terapias com florais que melhoraram o quadro por um tempo, mas a longo prazo não observamos muita diferença. Ele é um cachorro com a saúde mais frágil depois da morte da Bel”, afirma. Hoje, o pequeno Nicolas possui outras duas irmãs caninas e cinco gatinhos para lhe fazer companhia. Embora sejam verdadeiras companheiras para o cãozinho, a memória da Bel ainda continua bem presente na vida dele.

    O Bolt se aproximou mais ainda da tutora depois de perder o amigo

    O Bolt e o Bidu conviveram por 7 anos e eram uma duplinha inseparavél
    O Bolt e o Bidu conviveram por 7 anos e eram uma duplinha inseparavél

    Na casa da Beatriz Reis, a perda de um dos amigos de quatro patas também foi sentida, mas de maneira diferente. O yorkshire Bolt perdeu o seu eterno parceiro e filho Bidu, que há alguns anos enfrentava um quadro de epilepsia. “Embora tivessem suas 'desavenças', eles eram uma duplinha inseparável. Eles dividiam o mesmo potinho de comida e sempre dormiam juntos, de conchinha um com o outro”, relata Beatriz. Depois da perda, a tutora conta que Bolt se tornou um cãozinho ainda mais carinhoso e apegado. “Ele continua um cão quieto e que se esconde em lugares escuros para dormir, mas sinto que ele faz questão de estar mais presente. As brincadeiras e os momentos ao nosso lado ganharam mais importância para ele”, revela.

    Por esse motivo, Beatriz conta que lidar com o luto de cachorro foi uma tarefa menos complicada do que ela acreditou que seria. “Eu acredito que ele fez muito mais por nós. Ele nos deu carinho, lambeu nossas lágrimas e esteve ao nosso lado”, afirma. Ainda assim, ela conta que a perda do Bidu trouxe mudanças importantes para a rotina da casa e, principalmente, da família: “Nós sempre fomos grudados, mas depois que o Bidu se foi ficamos ainda mais. Nós conversamos com ele e temos certeza de que ele entende tudo!".

    Luto de cachorro: como ajudar o animal que fica?

    Depois de saber que o cachorro sente saudade de outro cachorro, você deve estar se perguntando como ajudar o seu amigo peludo a passar por esse momento, certo? Nesse caso, o primeiro passo é acompanhar o seu amigo de perto. Assim como você, ele também vai precisar de todo carinho e suporte para lidar com esse momento. Outro fator a ser observado é a alimentação do cachorro. Quando estão tristes, os cães tendem a perder o apetite, o que pode ser um problema caso o seu amigo fique mais de 48 horas sem se alimentar. Além disso, é importante tentar manter a rotina diária do animal para que ele se sinta seguro e amparado. Embora nem sempre seja uma tarefa fácil, é preciso fazer o possível para manter as atividades do dia a dia do animal.

    Redação: Úrsula Gomes

    5 dicas para educar um cachorro desobediente

    Próxima matéria

    5 dicas para educar um cachorro desobediente

    Pata de cachorro: anatomia, cuidados e curiosidades... saiba tudo sobre essa parte do corpo do seu amigo
    Cuidados

    Pata de cachorro: anatomia, cuidados e curiosidades... saiba tudo sobre essa parte do corpo do seu amigo

    A saúde do cachorro depende de muitos cuidados com o corpo do animal - inclusive com as suas patinhas! São elas que dão todo o suporte necessário para que o cãozinho possa correr, brincar e pular, do jeitinho que eles gostam. Entretanto, muitos tutores não dão a devida atenção a pata de cachorro, e isso pode acabar desencadeando uma série de problemas na região, trazendo muito desconforto para o seu amigo de quatro patas. Pensando nisso, reunimos tudo que você precisa saber sobre essa parte do corpo dos cães: desde cuidados e doenças que podem atingir o local, até curiosidades e truques (como ensinar o cachorro a dar a pata, por exemplo). Confira!

    Creche para cachorro: entenda o serviço, quando é necessário e quais são os benefícios para o seu cão
    Cuidados

    Creche para cachorro: entenda o serviço, quando é necessário e quais são os benefícios para o seu cão

    Os cães são animais que, na maior parte do tempo, não gostam de ficar sozinhos - afinal, antes de serem domesticados, eles viviam livres em matilhas. Com a vida urbana, muitos cães acabam não recebendo os estímulos adequados para gastar energia e socializar com outros animais e pessoas. Para auxiliar a vida do tutor, que nem sempre consegue estar perto de seu pet durante o dia, existem muitas alternativas. Uma delas é a creche para cachorro: uma acomodação diária em que você pode deixar seu amigo em um lugar totalmente adaptado para cães.

    Cachorro obeso: como ajudar o animal a perder peso?
    Saúde

    Cachorro obeso: como ajudar o animal a perder peso?

    A obesidade canina é um problema bem comum entre os cães. Assim como em seres humanos, o excesso de gordura pode provocar diversos problemas de saúde - como doenças cardíacas e hepáticas -, além de diminuir a qualidade de vida do animal. Por isso, é importante estar atento aos sinais de que seu cachorro está ganhando peso e começar a pensar em mudanças de hábitos na rotina dele. Quer saber como evitar a obesidade canina e ajudar seu cachorro a perder peso? O Patas da Casa listou 4 dicas para ajudar o seu amigo a emagrecer.

    Dois cães em casa: o cachorro mais novo aprende alguns comportamentos com o cão mais velho?
    Adoção

    Dois cães em casa: o cachorro mais novo aprende alguns comportamentos com o cão mais velho?

    A chegada de um novo cachorro é motivo de muita alegria e, ao mesmo tempo, de observar o comportamento dos animais que já moram na casa. Adotar cachorro filhote é sempre uma experiência inusitada, pois os pequenos não têm vícios de comportamento e são quase uma “caixinha de surpresas”: nunca sabemos qual postura ele vai assumir conforme for crescendo. É comum, porém, que o recém-chegado comece a imitar o cão que já mora no local. Afinal, esse novo membro precisa entender que ali, naquela família, existem regras. O veterano da casa já sabe disso e pode auxiliar o novo filhote a se comportar do jeito que a família deseja.

    Ver Todas >

    Quer ter um cachorro surfista? Saiba como iniciar, os cuidados que deve ter e acessórios indispensáveis
    Comportamento animal

    Quer ter um cachorro surfista? Saiba como iniciar, os cuidados que deve ter e acessórios indispensáveis

    Existem cachorros que amam nadar e brincar na água, então qualquer passeio em trilhas com cachoeiras, praias ou mesmo uma piscina vira uma grande festa. Mas você sabia que existe cachorro que surfa? Os esportes com cachorro são uma ótima forma de estreitar laços entre o tutor e o animal e o surf é uma modalidade que pode fazer muito bem ao animal. Sem falar que os cachorros surfistas chamam atenção pela fofura e habilidade na prancha.

    Por que os gatos
    Comportamento animal

    Por que os gatos "mamam" no cobertor? Descubra se o comportamento é prejudicial ou não

    Não é difícil encontrar um gato que tenha a mania de ficar mordendo o cobertor, como se estivesse se alimentando da mamãe gata (e os cães também podem apresentar o mesmo comportamento). Um gato mordendo cobertor pode ser considerado um momento muito fofo para alguns gateiros, mas outros tutores podem se perguntar se esse comportamento do felino é prejudicial ou revela alguma vulnerabilidade do bichano. 

    Como ganhar a confiança de um cachorro? Veja dicas para se aproximar de cães desconhecidos
    Comportamento animal

    Como ganhar a confiança de um cachorro? Veja dicas para se aproximar de cães desconhecidos

    Adotar um cachorro é sempre um desafio tanto para os humanos, que precisam adaptar a casa para receber o novo hóspede, quanto para o cãozinho, que ainda precisa de um tempo para se acostumar com o ambiente e com sua nova família. No caso de cães abandonados e que foram resgatados por ONGs ou outras instituições, ganhar a confiança do doguinho nem sempre é uma tarefa fácil - principalmente se tratando de um cachorro medroso ou traumatizado. 

    Cachorro castrado fica mais calmo? Veja as diferenças de comportamento antes e depois da cirurgia
    Comportamento animal

    Cachorro castrado fica mais calmo? Veja as diferenças de comportamento antes e depois da cirurgia

    A castração de cachorro é muito indicada pelos profissionais da medicina veterinária. Entretanto, muitos tutores ainda sentem muito receio de realizar a cirurgia pelas mudanças de comportamento do cachorro castrado. Não é mito que algumas mudanças comportamentais ocorrem após a castração, tanto para machos quanto para fêmeas. Mas afinal, o que muda no cachorro castrado?

    Ver Todas >