Comportamento animal

Cachorro entende quando o outro morre? Como os cães reagem quando perdem um amigo de quatro patas?

Publicado - 26 Novembro 2021 - 17h45

Atualizado - 15 Maio 2024 - 17h44

Meu cachorro morreu” é uma situação que absolutamente nenhum pai ou mãe de pet deseja passar. Mesmo que você tenha mais de um cão em casa, lidar com a perda de um cachorro está longe de ser uma tarefa fácil - e não apenas para você, mas também para o animal que fica. Sim, o cachorro entende quanto o outro morre e isso pode impactar diretamente no comportamento e na saúde dele. Os cães são animais extremamente sensíveis e capazes de criar vínculos afetivos tanto com seus humanos quanto com outros animais.

Por esse motivo, é importante que o tutor saiba identificar os sinais de luto de cachorro e como ajudá-lo a lidar com a saudade seguindo em frente. Para entender como esse processo acontece na prática, as tutoras Beatriz Reis e Gabriela Lopes compartilharam suas histórias com o Patas da Casa!

Pesquisa afirma que cachorro sente saudade de outro cachorro e pode sofrer com a perda do amigo

Você pode até não acreditar, mas a pesquisa publicada pela professora Barbara J. King na Scientific American revelou que o cachorro entende quando outro morre e isso pode ser percebido com mudanças comportamentais. Embora não existam provas do que o animal realmente compreende o conceito de morte, é possível perceber que o cachorro sente saudade do amigo quando hábitos comuns deixam de fazer sentido para o animal. A falta interação social, por exemplo, é o primeiro sinal de que o seu cãozinho pode estar passando pelo processo de luto. A perda de apetite, aumento nas horas de sono, estresse e ansiedade também podem caracterizar um quadro de cachorro com saudade. Além disso, é possível que o seu pet passe por episódios de busca pelo outro cão de companhia dentro de casa ou em outros locais frequentados pelo animal.

Imagem Quiz:Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Por outro lado, alguns cães podem se mostrar mais apegados e afetuosos com seus tutores após a perda do amigo. Por isso, é importante ficar atento às mudanças no comportamento canino, acompanhar o seu cãozinho mais de perto e buscar ajuda de um veterinário ou comportamentalista quando necessário.

Como saber se o animal está passando pelo processo de luto por um cachorro?

Não é fácil assimilar o que acontece quando um cachorro morre, tanto para os humanos quanto para outros animais de estimação. Cães que convivem juntos há muito tempo e não conhecem uma vida sem o outro pet normalmente ficam muito abalados com a perda do amigo, e logo entram em um período conhecido como o luto de cachorro. Existem várias formas de o luto canino se manifestar, principalmente por meio de mudanças comportamentais como:

  • Falta de interação social
  • Ansiedade
  • Estresse
  • Perda de apetite
  • Fazer as necessidades no lugar errado
  • Apego excessivo aos donos
  • Vocalização (cachorro uivando morte)

De luto, cachorro Nicolas teve episódios de agressividade e estresse após perder a Bel

 

Cachorro olhando pela janela para o lado de fora de casa
Cachorro entende quando o outro morre? Eles sentem a perda do seu próprio jeito<br>

 

O Nicolas era um filhotinho de 45 dias de idade quando aprendeu com a Bel a latir no portão da casa, dormir no travesseiro das donas e até a fazer suas necessidades no lugar certo. Com 11 anos de diferença, eles acabaram se tornando amigos mesmo com certa relutância da Bel - afinal, ela sempre foi a "dona" da casa antes da chegada do filhote cheio de energia. Eles brincavam, aprontavam juntos e vez ou outra tinham que disputar a atenção da família.

A Bel faleceu em junho de 2017, cerca de dois anos depois da chegada de Nicolas. O cãozinho na pele como foi perder um cachorro tão querido e passou a ter mudanças comportamentais bem visíveis de uma espécie de luto canino. “O sinal mais visível foi a compulsão alimentar. Desde que a Bel faleceu o Nicolas começou a ganhar peso sem parar e, por isso, acredito que a falta da companhia dela durante as brincadeiras tenha ajudado a agravar o quadro”, conta a tutora Gabriela Lopes. A longo prazo, o Nicolas também apresentou alguns efeitos desse momento difícil. “Ele ficou mais agressivo e ciumento com as coisinhas dele, inclusive com a comida. Além disso, a pelagem dele ficou bem branca nas laterais devido ao estresse e a ansiedade”, revela.

Para lidar com o quadro do amigo, Gabriela conta que foi preciso de uma boa dose de compreensão e apoio emocional. “Nos aproximamos ainda mais do Nicolas depois da morte da Bel e passamos a fazer todas as vontades dele. Não sei se foi a melhor forma de lidar com o quadro, mas no momento parecia ser o certo”, explica. No entanto, a tutora revela que o ganho de peso e os ataques possessivos ainda acompanham o pet. “Fizemos algumas  terapias com floral para cachorro que melhoraram o quadro por um tempo, mas a longo prazo não observamos muita diferença. Ele é um cachorro com a saúde mais frágil depois da morte da Bel”, afirma. Hoje, o pequeno Nicolas possui outras duas irmãs caninas e cinco gatinhos para lhe fazer companhia. Embora sejam verdadeiras companheiras para o cãozinho, a memória da Bel ainda continua bem presente na vida dele, mesmo depois do luto de cachorro.

Luto canino: Bolt se aproximou mais ainda da tutora depois de perder o amigo

 

Cachorro preto e branco deitado no chão com semblante desanimado
A falta do amigo pode fazer cães ficarem desanimados

 

Na casa da Beatriz Reis, a perda de um dos amigos de quatro patas também foi sentida, mas de maneira diferente. O yorkshire Bolt perdeu o seu eterno parceiro e filho Bidu, que há alguns anos enfrentava um quadro de epilepsia. “Embora tivessem suas 'desavenças', eles eram uma duplinha inseparável. Eles dividiam o mesmo potinho de comida e sempre dormiam juntos, de conchinha um com o outro”, relata Beatriz. Depois da perda, a tutora conta que Bolt se tornou um cãozinho ainda mais carinhoso e apegado. “Ele continua um cão quieto e que se esconde em lugares escuros para dormir, mas sinto que ele faz questão de estar mais presente. As brincadeiras e os momentos ao nosso lado ganharam mais importância para ele”, revela.

Por esse motivo, Beatriz conta que lidar com o luto de cachorro foi uma tarefa menos complicada do que ela acreditou que seria. “Eu acredito que ele fez muito mais por nós. Ele nos deu carinho, lambeu nossas lágrimas e esteve ao nosso lado”, afirma. Ainda assim, ela conta que a perda do Bidu trouxe mudanças importantes para a rotina da casa e, principalmente, da família: “Nós sempre fomos grudados, mas depois que o Bidu se foi ficamos ainda mais. Nós conversamos com ele e temos certeza de que ele entende tudo!".

Luto de cachorro: como ajudar o animal que fica?

Depois de saber que o cachorro sente saudade de outro cachorro, você deve estar se perguntando como ajudar o seu amigo peludo a passar por esse momento, certo? Nesse caso, o primeiro passo é acompanhar o seu amigo de perto. Assim como você, ele também vai precisar de todo carinho e suporte para lidar com esse momento. 

Outro fator a ser observado é a alimentação do cachorro. Quando estão tristes, os cães tendem a perder o apetite, o que pode ser um problema caso o seu amigo fique mais de 48 horas sem se alimentar. Além disso, é importante tentar manter a rotina diária do animal para que ele se sinta seguro e amparado. Embora nem sempre seja uma tarefa fácil, é preciso fazer o possível para manter as atividades do dia a dia do animal. Veja algumas dicas para ajudar o luto de cachorro:

1) Não deixe de dar carinho para o cão. Mesmo que vocês dois estejam de luto, O cachorro pode te ajudar a enfrentar isso e vice-versa. Ele precisa entender que não está sozinho.

2) Preste atenção na alimentação do cachorro. De luto, ele pode acabar se alimentando mal ou até deixando de comer, o que vai baixar sua imunidade e comprometer a saúde animal.

3) Mantenha a rotina do pet normalmente. Qualquer mudança pode deixá-lo ainda mais abalado, então o ideal é seguir com os mesmos horários das refeições, passeios e outras atividades.

4) Entenda que o luto canino é uma fase. O seu amigo precisa assimilar tudo que está acontecendo, e não vai deixar de sentir a falta do outro cãozinho da noite para o dia.

5) Estimule a interação social do cachorro com outros pets. Isso pode ajudá-lo a ficar entretido e esquecer um pouco do ocorrido - mas não force a barra se ver que o pet não está à vontade, ok?

6) Se precisar, não hesite em procurar ajuda especializada. Um veterinário comportamentalista pode ajudar o cãozinho a passar pelo processo de luto de forma saudável.

Redação: Úrsula Gomes e Juliana Melo

Publicada originalmente em: 28/09/2020

Atualizada em: 26/11/2021

Cachorro

Dogo Argentino: 10 curiosidades para conhecer o cachorro parecido com Pitbull

O Dogo Argentino é um cachorro grande e imponente. Em um primeiro momento, ele pode até assustar quem não conhece, principalmente po...

Cachorro

Pancreatite em cachorro: aprenda a reconhecer 6 sinais da doença que vão ajudar no diagnóstico mais rápido

A pancreatite em cachorro é uma doença que merece a atenção dos tutores. A patologia afeta o pâncreas, órgão essencial para a produç...

Adote um animal

Cachorro pequeno: essas são as 10 menores raças de cachorro do mundo todo

Ter um cachorro pequeno em casa é sinônimo de fofura e alegria. Como são menores, esses doguinhos se adaptam mais facilmente ao espa...

Comportamento

Gato miando: 8 segredos que não te contaram sobre a principal forma de comunicação dos felinos

Qualquer pai de pet está acostumado a ouvir o gato miando em casa pelos mais diversos motivos. Às vezes é fome, vontade de receber c...

Cachorro

Dogo Argentino: 10 curiosidades para conhecer o cachorro parecido com Pitbull

O Dogo Argentino é um cachorro grande e imponente. Em um primeiro momento, ele pode até assustar quem não conhece, principalmente po...

Cachorro

Pancreatite em cachorro: aprenda a reconhecer 6 sinais da doença que vão ajudar no diagnóstico mais rápido

A pancreatite em cachorro é uma doença que merece a atenção dos tutores. A patologia afeta o pâncreas, órgão essencial para a produç...

Adote um animal

Cachorro pequeno: essas são as 10 menores raças de cachorro do mundo todo

Ter um cachorro pequeno em casa é sinônimo de fofura e alegria. Como são menores, esses doguinhos se adaptam mais facilmente ao espa...

Comportamento

Gato miando: 8 segredos que não te contaram sobre a principal forma de comunicação dos felinos

Qualquer pai de pet está acostumado a ouvir o gato miando em casa pelos mais diversos motivos. Às vezes é fome, vontade de receber c...

Ver todas