A diabetes em gatos acontece quando há algum desequilíbrio relacionado à insulina, um hormônio produzido no pâncreas, que provoca aumento do nível de glicose no sangue. Isso acontece por baixa produção de insulina ou por resistência a ela, e causa uma série de sintomas no organismo felídeo. Geralmente, atinge os gatos idosos, mas também acomete qualquer felino com uma dieta inadequada, repleta de carboidratos. Essa condição tem vários sinais e é bom reconhecer cada um para iniciar o tratamento. A matéria a seguir lista os sintomas da doença para evitar uma grave crise de diabetes em gatos.

1) Diabetes em gatos faz felino urinar em excesso e beber muita água

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Esse é um dos principais sinais de diabetes em gatos. A insuficiência de insulina transfere a glicose para o sangue. Posteriormente, esse excesso vai ser excretado pelos rins, em forma de urina mais densa e em maior quantidade. Então, é provável que ele use bastante a caixa de areia para gatos. Mas não se engane: esse também é um dos motivos para o gato fazer xixi no lugar errado, justamente por não ter tempo de acessar o seu banheiro. Consequentemente, ele também fica desidratado. Por isso, um gato bebendo água em excesso é outro sintoma de diabetes. Ou seja, se a quantidade diária de água aumentou de forma repentina e o gato está fazendo muito xixi, pode ser diabetes.

2) Fome excessiva enquanto felino emagrece são sintomas de diabete em gatos

Muita glicose circulando no sangue significa que ela não está dentro das células. Isso gera um quadro de poliflagia, que é a fome excessiva ocasionada por vários motivos, incluindo a falta de energia no corpo. Nesse caso, a quantidade de ração para gatos vai aumentar. Mas não pense que ele vai ganhar peso (muito pelo contrário): gato emagrecendo repentinamente é bem comum na diabetes, mesmo com ele comendo mais. Devido a falta de energia, o organismo vai em busca dela em qualquer fonte do corpo, principalmente na gordura ou no tecido muscular.

3) Antes de uma crise de diabete em gatos, o felino tem problemas para andar

A neuropatia diabética é vista como uma degeneração nervosa crônica, causada pela falta de glicose nas células e que afeta a função motora. Dificuldade para caminhar é um sintoma bem sério da diabetes mellitus em gatos, pois eles podem sofrer desequilíbrio, além de quedas e acidentes pela casa. As patas traseiras são as mais afetadas e, quando acometido pela doença, o gato não consegue dar seus grandes pulos com tanta destreza.


Antes uma crise de diabetes em gatos, ele não consegue andar e muito menos dar pulos
Antes uma crise de diabetes em gatos, ele não consegue andar e muito menos dar pulos

4) A diabetes em gatos também causa depressão e fraqueza

A diabetes também impacta no comportamento do gato, que começa a dormir mais que o habitual e também fica mais quieto devido à fraqueza. Essa letargia também pode envolver falta de apetite e o felino até toma menos banho. Inclusive, sim: o gato tem depressão em decorrência da diabetes, o que piora a sua saúde.

5) Má aparência e hálito doce também são sintomas de diabetes mellitus em gatos

Como as células não estão funcionando corretamente e o gato com diabetes está magro e desidratado, ele pode apresentar uma má aparência, com a pelagem desgrenhada e sem vida, além do semblante cabisbaixo. Já o “bafo doce” acontece quando o organismo está transformando a gordura do corpo do gato em glicose, ocorre um processo natural chamado cetose, o que deixa o hálito do gato adocicado.

Tratamento natural para diabetes em gatos funciona?

Após o diagnóstico, que é fechado após exames de sangue e urina, é imprescindível seguir todas as recomendações do veterinário. É muito perigoso seguir um tratamento natural sem o auxílio profissional, tendo em vista que é uma patologia que afeta o funcionamento do organismo felino como um todo.

Geralmente, o tratamento inclui mudanças na dieta, com a entrada de ração de gato diet e controle da quantidade diária mediada por um médico. Inclusive, o mercado pet também oferece rações feitas exclusivamente para um gato diabético, com baixo teor de carboidratos nos ingredientes. Além disso, medicamentos compostos por insulina e até mesmo a aplicação direta de insulina podem ser necessários.

Existem várias causas para diabetes em gatos e ela é maior na raça de gato Birmanês, mas isso não impede que um Vira-Lata desenvolva a doença. Junto da diabetes, é essencial manter os cuidados do felino contra as doenças de gato mais perigosas.

Redação: Erika Martins

Edição: Mariana Fernandes