Como funciona a ultrassonografia em cachorro? Essa é uma pergunta que muitos pais de pet fazem durante as consultas de check-up veterinário. Existem vários exames que são necessários para avaliar como anda a saúde do cachorro, e a ultrassonografia canina é um deles. O método é indispensável para o diagnóstico de algumas doenças. Para tirar as principais dúvidas sobre a ultrassonografia para cachorro, o Patas da Casa entrevistou a médica veterinária Letícia Gaudino, que é especializada em diagnóstico por imagem (ultrassom e radiologia) e atende em São Paulo. Veja só o que ela nos contou!

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

O que é a ultrassonografia para cachorro e em que casos o procedimento é indicado?

O ultrassom veterinário consiste em uma observação mais profunda dos órgãos internos do cachorro, o que permite detectar possíveis doenças e outros problemas. “O ultrassom ajuda o veterinário clínico no diagnóstico e no direcionamento do melhor tratamento”, explica Letícia. Segundo a especialista, a ultrassonografia em cachorro deve ser solicitada por meio de pedido médico e o aparelho que é utilizado durante o procedimento é igual ao que se usa em humanos. O ultrassonografista é o profissional mais capacitado para realizar esse tipo de exame, e é ele o responsável por avaliar cada órgão.

“A ultrassonografia é indicada para: uma avaliação preventiva de rotina dos órgãos abdominais; avaliação de litíase em bexiga; suspeita de infecção uterina (como a piometra); para avaliação do estômago e intestino no caso de suspeita de corpo estranho; na avaliação da adrenal para doença endócrina; para checar os rins; diagnóstico e acompanhamento gestacional, entre outras indicações”, esclarece. Ou seja, existem diferentes possibilidades em que a ultrassonografia para cachorro é solicitada.

 

ultrassonografia para cachorro: cão fazendo exame

Como funciona a ultrassonografia para cachorro?

 

A ultrassonografia canina não é muito diferente da que é feita nos humanos. O aparelho de ultrassom, com o auxílio dos transdutores ultrassônicos e da aplicação de gel na região que vai ser analisada, emite ondas sonoras que criam um “eco” no corpo do cachorro. Em seguida, essas ondas refletem de volta e assim é possível obter as imagens dos órgãos do animal em tempo real no monitor do aparelho. Com isso o ultrassonografista é capaz de observar as estruturas internas - órgãos e tecidos - com mais precisão e verificar possíveis alterações no organismo canino.

Ultrassom: cachorro sente dor durante o exame?

Como Letícia explica, a ultrassonografia canina não é uma técnica invasiva e, portanto, não é algo que vai machucar ou incomodar o cão. “O animal não sente dor, mas pode ficar impaciente com o procedimento. Por isso, tentamos deixar a sala com menos barulho e procuramos fazer o exame no tempo do animal”, conta. No geral, o ultrassom é feito em torno de meia hora, sempre levando em consideração o bem-estar do cãozinho. 

Ultrassonografia para cachorro precisa de preparação

Alguns exames precisam de cuidados prévios importantes, como a ultrassonografia para cachorro. Essa preparação serve para facilitar o diagnóstico por imagem, que é o objetivo do exame. “O animalzinho deve ficar 8 horas em jejum de alimento e também deve-se evitar que o mesmo urine pelo menos 1 hora antes da ultrassonografia canina. A água é à vontade, e caso o veterinário clínico julgue necessário, pode ser usado um medicamento para diminuir a quantidade de gases no intestino”, indica Letícia. Durante o exame, a tricotomia ,que consiste na remoção dos pelos na região do corpo do animal que vai ser analisada, também é comum.

O preço da ultrassonografia para cachorro costuma ser acessível, mas é algo que varia de acordo com cada região (estado, cidade e até mesmo bairro). Segundo a profissional, a média de preço é de R$ 140 a R$ 200, dependendo de qual parte do corpo será analisada. Outro fator que pode influenciar no valor é o tipo de aparelho utilizado, isto é, se é um ultrassom veterinário com doppler ou não.

Redação: Juliana Melo