close
Saúde

Qual o uso correto da coleira para leishmaniose?

Atualizado em 25 de Outubro de 2021 às 19h07

Publicado em 25 de Outubro de 2021 às 18h57

A coleira para leishmaniose ajuda a repelir e matar o mosquito causador da doença
A coleira para leishmaniose ajuda a repelir e matar o mosquito causador da doença

A coleira contra leishmaniose é um dos melhores métodos preventivos contra a doença tão temida. Causada pelo protozoário Leishmania, a leishmaniose visceral canina é transmitida pela fêmea do mosquito-palha. Um cachorro picado pelo mosquito infectado adquire a doença. A leishmaniose é uma das zoonoses mais temida pelos tutores, que pode deixar o cãozinho bem debilitado, fraco e com lesões pelo corpo. Se não tratada logo no início, as chances do cachorro morrer com a doença aumentam bastante. A coleira para leishmaniose é um método bem eficaz - e por mais que não seja um produto muito barato, o custo é bem menor do que o tratamento da leishmaniose, que durará enquanto o bichinho viver. Porém, o uso errado da coleira de leishmaniose pode não garantir a segurança total contra a doença. O Patas da Casa te explica agora como usar a coleira de cachorro para leishmaniose de maneira correta para que não restem dúvidas e seu amigo fique super protegido. Confira!

Como a coleira contra leishmaniose age no cachorro

Ao utilizar a coleira, a leishmaniose canina se torna bem difícil de ser contraída. Mas como isso acontece? A coleira para leishmaniose serve como um repelente para o mosquito-palha. Ela foi desenvolvida para afastar e matar o mosquito e outros determinados parasitas que possam entrar em contato com o animal. Seu uso é tópico, ou seja, funciona quando o mosquito entra em contato com o animal. A coleira para cachorro leishmaniose possui alguns ativos que conseguem afastar e eliminar o mosquito, além de pulgas e carrapatos. Quando a coleira contra leishmaniose entra em contato com o cão, ela libera essas substâncias primeiro no pescoço, que logo depois se espalha ao longo de todo o corpo do animal. Com isso, se forma uma espécie de capa protetora por toda a pelagem.

A coleira para leishmaniose não pode ficar nem muito próxima nem muito afastada do pescoço

Para colocar a coleira contra leishmaniose no seu pet, é preciso seguir as instruções corretamente. Primeiro, você precisa comprar um modelo que esteja de acordo com o tamanho do seu animal, nem muito grande nem muito pequeno. Ao colocar a coleira para leishmaniose, deixe dois dedos de folga entre o acessório e o pescoço do animal. Esse espaço é necessário pois os ativos presentes na coleira são passados para os pelos do pescoço do animal e, a partir daí, são levados para todo o corpo através da gordura corporal. Ou seja: se a coleira de leishmaniose estiver muito colada ao pelo, não haverá muito espaço para os ativos serem liberados. Por outro lado, se a coleira para leishmaniose canina estiver muito frouxa, o pet pode acabar tocando-a com a língua, o que pode trazer problemas ao animal, como reações alérgicas. Por isso, o espaço de dois dedos entre a coleira contra leishmaniose e o pescoço do cachorro é o ideal e deve ser respeitado para garantir a segurança do pet e a efetividade do acessório.

Faça o teste e descubra qual a personalidade dominante do seu gato!

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Como seu gato reage com a chegada de visitas em casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você está pensando em adotar mais um gatinho. Qual seria a reação do seu felino?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você precisa levar seu gato ao veterinário e na fila ele encontra outro felino. Como ele reage?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato fica incomodado quando as portas de casa ficam fechadas?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta com os outros animais da casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você acabou de chegar em casa depois de muito tempo fora. O seu gato:

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato deitou em cima da sua cama e dormiu. Qual a sua reação, humano?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta na hora de se alimentar?

Question Header Background

Gato-humano! Seu gato não perde a oportunidade de estar ao seu lado Gato solitário! Seu gato tem uma personalidade mais quieta e reservada Gato-gato!  Seu gato gosta da companhia de outros felinos Gato curioso! Seu gato está sempre em busca de novas aventuras Gato caçador! Seu gato tem os instintos selvagens mais aflorados
    A coleira contra leishmaniose deve ser usada corretamente para garantir que os ativos se espalhem pelo corpo
    A coleira contra leishmaniose deve ser usada corretamente para garantir que os ativos se espalhem pelo corpo

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    Evite que a coleira contra leishmaniose fique com sobras muito grandes 

    Após abotoar a coleira para cachorro antipulgas, carrapatos e leishmaniose, uma parte do acessório pode ficar sobrando. O tutor deve, então, cortar essa sobra para evitar que o pet tenha contato com ela e acabe mordendo o acessório. O recomendado é cortar a sobra cerca de cinco centímetros após o último furo que tiver sido abotoado. Além disso, após manusear o acessório, o tutor precisa lavar as mãos com água e sabão. 

    Fique atento a possíveis reações alérgicas da coleira de leishmaniose no seu pet

    Para usar a coleira contra leishmaniose corretamente, também é preciso ter certeza se ela pode ser utilizada pelo seu cãozinho. A coleira para cachorro antipulgas e carrapatos e leishmaniose não é indicada para os filhotinhos muito pequenos. O ideal é usá-la a partir dos 3 meses de vida. Além disso, é importante ficar atento se seu cão tem histórico de alergias. O uso da coleira para leishmaniose pode causar algumas reações alérgicas, principalmente nos primeiros dias e se seu cãozinho for mais sensível a esse tipo de problema. Por isso, é fundamental ficar de olho e levar seu pet ao veterinário caso perceba que a reação está muito intensa ou por muito tempo.  

    Respeite o tempo de uso da coleira para leishmaniose indicado pelo fabricante

    A coleira para leishmaniose canina pode ter durações diferentes de acordo com cada modelo e fabricante. Normalmente, possui validade de 6 meses, mas é possível encontrar modelos que duram até 3 meses e outros que funcionam por 8. Dependendo do tempo de duração e da marca do fabricante da coleira contra leishmaniose, o preço pode variar de R$75 a R$200. Uma coleira para leishmaniose com duração de 6 meses costuma valer em torno de R$100. É importante prestar atenção no tempo especificado pelo fabricante para que você possa providenciar uma nova assim que acabar a validade. O uso da coleira contra leishmaniose vencida não protege seu pet, pois os ativos não são mais liberados. 

    Redação: Maria Luísa Pimenta

    Diabete canina: 5 sinais da doença para ficar atento

    Próxima matéria

    Diabete canina: 5 sinais da doença para ficar atento

    Gravidez é motivo para abandono de gatos? Veja os mitos, cuidados e como fazer a adaptação correta
    Cuidados

    Gravidez é motivo para abandono de gatos? Veja os mitos, cuidados e como fazer a adaptação correta

    O abandono de animais - especialmente de gatos - durante a gravidez é mais comum do que se imagina. Alguns médicos fazem essa recomendação porque acreditam que o contato direto com felinos na gestação pode trazer riscos à saúde da mãe e do feto. A toxoplasmose na gravidez, assim como a alergia a gato, são as principais preocupações. Mas será que isso realmente deve ser um motivo para doar o pet? A grávida pode ter gato tomando todos os cuidados?

    Como ensinar o cachorro a andar corretamente com a coleira anti-puxão?
    Passeio

    Como ensinar o cachorro a andar corretamente com a coleira anti-puxão?

    Todo pai e mãe de pet sabe bem que os passeios precisam fazer parte do dia a dia de um cachorro, seja ele morador de um apartamento ou de casa. É na rua que eles colocam em prática tudo o que aprendem sobre socialização. Em muitos casos, esse também é o momento em que o animal se movimenta e se exercita. Para que esse momento tão necessário não se torne algo pesado e ruim tanto para você quanto para o seu amigo, a coleira anti puxão, que te dá mais controle sobre os movimentos do cachorro, acaba sendo uma das opções de acessórios que auxiliam e muito nas caminhadas e corridas.

    Coleira com identificação para cães: qual a importância e como escolher a melhor para o seu animal?
    Cuidados

    Coleira com identificação para cães: qual a importância e como escolher a melhor para o seu animal?

    Se você já perdeu um animal de estimação alguma vez na vida, provavelmente sabe da importância de manter uma coleira com identificação no seu cachorro. Com o número de contato e outras informações relevantes presas ao pescoço do bichinho, as chances de você recuperá-lo aumentam consideravelmente, caso ele se solte da guia ou decida sair por aí em busca de novas aventuras. Ainda assim, muitos tutores adiam ou resistem à ideia de identificar seus animais. Abaixo, mostraremos por que uma coleira de identificação para cães é importante e os principais modelos disponíveis no mercado. Confira!

    Leishmaniose canina: o que é, sintomas, tratamento, vacina e formas de prevenção da doença
    Saúde

    Leishmaniose canina: o que é, sintomas, tratamento, vacina e formas de prevenção da doença

    A leishmaniose canina é uma doença causada por um protozoário chamado Leishmania. Mesmo que seja comum em animais, a leishmaniose também pode ser transmitida para humanos e, nos dois casos, pode debilitar o organismo o suficiente para ser fatal. Para falar mais sobre a doença e esclarecer dúvidas sobre o contágio, remédios, prevenção e tratamento para leishmaniose canina, nós conversamos com Priscila Larrussa, veterinária do grupo Vet Popular.

    Ver Todas >

    Gato com sangue nas fezes: o que fazer?
    Saúde animal

    Gato com sangue nas fezes: o que fazer?

    Se você reparar seu gato com sangue nas fezes, é importante ficar atento. Essa situação é um sintoma comum a inúmeras doenças que podem afetar o bichano. Ao defecar fezes com sangue, o gato pode estar com uma inflamação no cólon ou até mesmo com um tumor no sistema digestivo. O sangue nas fezes do gato é um sintoma presente até mesmo nas verminoses mais comuns. Seja qual for a causa do gato fazendo fezes com sangue, sempre significa que algo está errado com o animal. 

    Cachorro engasgado: veterinária ensina o que fazer nessa situação
    Saúde animal

    Cachorro engasgado: veterinária ensina o que fazer nessa situação

    Saber um pouquinho de primeiros socorros veterinários vai ser muito útil se você acha que um cachorro parece engasgado - inclusive, é algo que pode salvar a vida do seu pet nessas horas! Seja porque ele comeu muito rápido ou tentou engolir alguma coisa que não devia, se deparar com um cachorro engasgado em casa é sempre um momento de desespero para qualquer pai de pet. Não saber como resolver essa situação é super comum e, ao mesmo tempo, um hábito perigoso: nunca se sabe quando você vai precisar socorrer o seu amigo em casa. 

    Cinomose: sintomas mais comuns da doença. Aprenda a identificar os sinais!
    Saúde animal

    Cinomose: sintomas mais comuns da doença. Aprenda a identificar os sinais!

    Os sintomas de cinomose canina são facilmente confundidos com outras doenças de cachorro e infelizmente pode até mesmo levar o animal à morte. Mais comum em filhotes não vacinados, a cinomose é altamente contagiosa e em alguns casos pode deixar sequelas que vão acompanhar o pet por toda a vida. É importante estar atento a qualquer sinal da cinomose em cães que ainda não completaram o calendário de vacinação, pois é uma doença que evolui rapidamente para um quadro grave. Ou seja, é uma situação de emergência!

    Giárdia canina: o que é, como tratar e o que fazer para prevenir
    Saúde animal

    Giárdia canina: o que é, como tratar e o que fazer para prevenir

    A giárdia canina é uma doença com alta contaminação entre os cães. O cachorro que a contrai sente bastante desconforto no sistema digestivo, com diarreia e vômitos frequentes. Comum principalmente no verão, a giardíase canina pode se apresentar de maneira mais leve ou mais grave. Sem tratamento, a giárdia canina pode matar o cachorro contaminado se ele não receber o tratamento adequado logo no início da infecção. Além disso, a giárdia canina pega em humanos e tem maior chance de atacar filhotes de cachorro. 

    Ver Todas >