Vacina

Posso passear com o cachorro antes das vacinas? Saiba os cuidados necessários no pré e pós-vacinação

Conheça os cuidados necessários para ter durante esse período com o seu cachorro filhote
Conheça os cuidados necessários para ter durante esse período com o seu cachorro filhote

Nas primeiras semanas de vida, é comum que a saúde de um filhote precise de atenção redobrada. Além da introdução da ração, que deve começar aos dois meses de vida, as vacinas para cães normalmente causam dúvidas: qual deve ser a primeira vacina do cachorro? Os passeios podem acontecer normalmente antes da imunização? Quais são os tipos de vacinas e para que servem? Como cuidar do animal ainda tão pequenininho antes e depois das doses? Descubra, aqui embaixo, um pouco mais sobre essa fase da vida do cachorro!

Afinal de contas, eu posso passear com o cachorro antes das vacinas?

A recomendação dos veterinários em relação à imunização dos filhotes é unânime: antes dele estar completamente protegido, o contato com o mundo do lado de fora deve ser evitado. Como o pequenino ainda não está imune, ter contato com os diferentes canais de doenças que surgem pela rua pode ser perigoso para a saúde do animal. Desde o xixi e o cocô de outros cachorros até as fezes de pombos, os riscos são imensos! Inclusive, fica a dica: o mesmo cuidado que você tem com o seu filhote de cachorro na rua, deve existir dentro da clínica veterinária no dia em que ele for tomar as vacinas, ok?

Como cuidar do filhote de cachorro depois da vacinação

Assim como acontece com os humanos, algumas vacinas podem causar reações nos filhotes de cachorro dependendo de como o organismo deles processar os componentes do medicamento. Geralmente, é comum que eles fiquem com um pouco de febre e com a região da aplicação um pouco inchada e dolorida. Se esses sintomas mais “normais” durarem por mais de um dia, vale a pena pedir a ajuda do veterinário. Outras reações à vacina que também precisam da sua atenção e, provavelmente, da ajuda profissional, são os vômitos, tremores, agitação excessiva, inchaço na região do focinho, salivação e coceira.

Como investir na socialização do cachorro antes de aplicar todas as vacinas?

Respeitar o cronograma de vacinação do seu filhote de cachorro nos primeiros meses de vida é extremamente importante para a saúde dele. Nesse período, muita gente evita o contato do animal com a rua por segurança, mas o problema nisso é o seguinte: os primeiros meses de vida também são a fase em que os filhotes de cachorro precisam de interação social para descobrir como se comportar na companhia de pessoas diferentes e outros animais — o que eles aprendem nesses primeiros meses é reproduzido pelo resto da vida.

Essa questão pode começar a ser resolvida a partir das seis semanas do animal, quando ele toma a primeira vacina. De preferência, em ambientes conhecidos e bem higienizados, deixe ele ter contato com outros cachorros que já são completamente vacinados e estejam saudáveis. No caso de filhotes, é importante que o outro animalzinho também tenha recebido pelo menos a primeira vacina há pelo menos 10 dias e que também não tenha tido contato com o ambiente exterior. Inclusive, ainda é necessário evitar ambientes públicos, como parques, canis e hotéis para animais: esses, só com a vacinação finalizada!

Vacinas para cães: descubra quais são as recomendadas para todos e quais devem ser aplicadas em casos específicos

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    Antes do ciclo de vacinas obrigatórias terminar, seu cachorro pode socializar com outros animais conhecidos
    Antes do ciclo de vacinas obrigatórias terminar, seu cachorro pode socializar com outros animais conhecidos

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    As vacinas para cães se dividem entre as que oferecem proteção contra doenças que podem ser fatais ou transmitidas para humanos e as que são necessárias para grupos específicos de animais de acordo com o estilo de vida, o lugar onde moram e a convivência com outros bichos. Veja, aqui embaixo, para que serve cada uma delas e quando precisam ser aplicadas:

    Vacinas recomendadas

    • V8/V10/V12: uma dessas três vacinas polivalentes vai ser a primeira que seu cachorro vai ter que tomar, aos 45 dias de vida. A indicação da versão ideal será feita pelo veterinário, de acordo com a região onde você mora, já que a diferença entre elas é relacionada à proteção contra diferentes tipos de leptospirose: a V8 engloba dois tipos, a V10, quatro tipos e a V12, sete tipos.  

      Além da leptospirose, elas também combatem a cinomose, hepatite infecciosa, parvovirose — que podem ser transmitidas para humanos —, adenovirose-2, parainfluenza e coronavirose. Elas são aplicadas em três doses, geralmente com um mês de intervalo entre cada uma. 

    • Antirrábica: a raiva é uma doença fatal para os animais e só pode ser prevenida através da vacinação. Ela é considerada uma zoonose, ou seja, é uma enfermidade que também pode ser transmitida para humanos. A primeira dose da vacina contra raiva deve ser aplicada no filhote a partir das 12 semanas de idade, quando os anticorpos da mãe não vão influenciar no resultado da imunização. Depois disso, ele deve receber reforços anuais da antirrábica. 

    Vacinas para grupos específicos

    • Vacina contra leishmaniose: zoonose infecciosa causada por um parasita, a leishmaniose é uma doença grave tanto para os cachorros, quanto para humanos. Ela é mais comum no interior de São Paulo, no Nordeste e no Centro Oeste do país e, por isso, é recomendada para quem mora nessas localidades ou vai viajar para lá com o animal. A vacina deve ser aplicada em cães saudáveis, a partir dos quatro meses ,e é dividida em três doses, com 21 dias de intervalo entre cada uma. O reforço deve acontecer anualmente, em apenas uma dose.

    • Vacina da gripe canina: a “tosse dos canis” ou traqueobronquite infecciosa é uma doença canina causada pela bactéria Bordetella, que se assemelha à gripe humana. Ela pode ser aplicada a partir das oito semanas de idade em cães saudáveis e tem a segunda dose, que precisa ser aplicada entre duas e quatro semanas depois. O reforço também é anual, em dose única. O grupo “de risco” que deve receber essa vacina é de cães que convivem regularmente com uma grande variedade de outros cachorros em parques, pet shops, creches, hotéis e outros locais.

    • Vacina da giardíase: recomendada para cachorros que vivem em ambientes com saneamento básico precário, a vacina contra giárdia deve ser aplicada em animais a partir de oito semanas de idade. Suas duas doses devem ter um intervalo que varia entre 21 e 28 dias e o reforço é anual. A giardíase é uma infecção causada por um parasita que se aloja no intestino e é contraída quando o animal come alguma coisa contaminada.

    Tem problema atrasar vacina do cachorro? Saiba as desvantagens 

    Apesar de não existir uma legislação no Brasil que obrigue o dono a manter a carteira de vacinação do cachorro em dia, o melhor que você pode fazer pela saúde do seu cãozinho e pela sua é fazer o acompanhamento regularmente com o veterinário. Além de proteger o seu animal de doenças graves - que podem até ser fatais -, elas também preservam a qualidade de vida do bichinho. Ah, e um outro detalhe: sem a vacinação apropriada, pode ser difícil de viajar com o animal de avião ou ônibus ou, até mesmo, aproveitar  serviços como hotéis e creches para cachorros, pet shops para banho e tosa e aulas de adestramento. 

    Redação: Ariel Cristina Borges

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!

    Próxima matéria

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!

    Chihuahua: personalidade, saúde, cuidados e mais... saiba tudo sobre essa raça de cachorro pequeno
    Pequenos

    Chihuahua: personalidade, saúde, cuidados e mais... saiba tudo sobre essa raça de cachorro pequeno

    Quem nunca viu aquele cãozinho simpático de “Legalmente Loira”? Se você não lembra desse filme (ou não é da sua geração), deixou de conhecer uma das mais brilhantes atuações de um Chihuahua, o menor - e mais corajoso - cão do mundo. O cachorro é pequeno, mas sua origem é cercada de teorias e histórias: não se sabe ao certo se ele é descendente do Techichi, um cão selvagem do México pré-colonial, se surgiu na China e foi levado por comerciantes espanhóis para o restante do mundo ou se é resultado de cruzamentos do Techichi com alguma raça minúscula chinesa.

    Bulldog francês, inglês, americano, Shih Tzu: saiba os cuidados especiais com cachorros braquicefálicos
    Cuidados

    Bulldog francês, inglês, americano, Shih Tzu: saiba os cuidados especiais com cachorros braquicefálicos

    As diferentes raças de cachorros braquicefálicos são encaixados nesta categoria por terem uma característica física em comum: o focinho achatado, sem o formato alongado que é comum às outras raças de animais. Além de se tornar um traço forte na aparência desses animais, a retração da mandíbula deles também é a responsável pela probabilidade maior que eles têm de desenvolver uma série de condições de saúde.

    Boston Terrier: saiba tudo sobre essa raça de cachorro pequena
    Pequenos

    Boston Terrier: saiba tudo sobre essa raça de cachorro pequena

    Para quem sempre sonhou em ter um cachorro de raça pequeno, o Boston Terrier é a companhia certa! Embora ele ainda seja muito confundido com o Bulldog Inglês, o cãozinho desta raça tem qualidades únicas e excepcionais. Amigáveis, brincalhões e com muita energia, os cachorros da raça Boston Terrier são muito fáceis de lidar no dia a dia e amam agradar seus tutores. Além disso, eles são super adaptáveis e conseguem conviver bem em praticamente qualquer lugar. 

    Dogue Alemão: origem, porte, saúde, temperamento... saiba tudo sobre a raça de cachorro gigante
    Grandes

    Dogue Alemão: origem, porte, saúde, temperamento... saiba tudo sobre a raça de cachorro gigante

    Uma das raças de cachorros gigantes mais famosas é a do Dogue (ou Dog) Alemão, que também é conhecida como cão Dinamarquês. O motivo para isso é simples: trata-se da mesma raça do famoso personagem de desenho animado Scooby Doo. Mas a verdade é que o cão Dogue Alemão vai muito além do seu tamanho e aparência robusta: ele é um amigo de quatro patas extremamente leal, dócil e carinhoso. 

    Ver Todas >

    Como identificar um gato desidratado?
    Saúde animal

    Como identificar um gato desidratado?

    Embora não apreciem muito esse hábito, beber água é fundamental para a saúde do gato. Os tutores devem ter bastante atenção na rotina dos bichanos: eles precisam de uma quantidade adequada de líquidos para não desenvolverem complicações no sistema urinário que podem levar à falência dos rins. A curto prazo, um gato desidratado, normalmente em decorrência de algum outro problema de saúde, precisa receber bastante atenção para não chegar a um estado mais grave. 

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!
    Saúde animal

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!

    Manter o seu cachorrinho livre de pulgas pode não ser uma tarefa muito fácil, mas é essencial para saúde e bem-estar dele. As pulgas em cachorro podem não só causar coceira no animal, como também transmitir bactérias e verminoses, além de provocar dermatites. O pente para pulga é um acessório de uso prático para o tutor , confortável para os animais e até mais sustentável

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção
    Saúde animal

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção

    A diabetes em cachorro é um quadro delicado e que precisa de atenção e muito cuidado. A doença se desenvolve a partir de alterações nos níveis de produção de insulina pelo corpo do animal, com apresentações diferentes de acordo com o tipo de diabetes. Apesar de ser muito parecida com a ação em humanos, a diabetes em cães causa muitas dúvidas nos tutores, que podem acabar caindo em alguns mitos sobre a doença. Quanto antes o tratamento for iniciado, porém, mais chances o cachorro tem de conseguir viver com a doença, sem afetar tanto a sua qualidade de vida. Para te ajudar com isso, reunimos 5 fatos sobre a diabetes canina para sanar todas as suas incertezas sobre a doença. Confira abaixo!

    Cardiomiopatia hipertrófica felina: saiba mais sobre a doença cardíaca que atinge os gatos
    Saúde animal

    Cardiomiopatia hipertrófica felina: saiba mais sobre a doença cardíaca que atinge os gatos

    Alguma vez você já se preocupou com a saúde do coração do seu gato? A cardiomiopatia hipertrófica felina uma doença cardíaca bem comum quando falamos desses animais. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia Veterinária (SBCV), também é a principal cardiopatia causadora de morte entre os felinos. Basicamente, é caracterizada por uma hipertrofia no ventrículo esquerdo e acredita-se que tem bastante influência genética. 

    Ver Todas >