A papilomatose canina é uma das doenças de pele mais comuns que podem afetar os cães. Muito contagiosa, a doença que causa o aparecimento de bolinhas pelo corpo deixa tutores apreensivos. Afinal, o que é o papiloma canino? O papiloma em cães é perigoso? E o que exatamente são essas verrugas? Para acabar com as dúvidas, o Patas da Casa conversou com a veterinária Marcela Machado, que explicou tudo sobre a papilomatose canina: tratamento, causas, sintomas e como prevenir que esse problema que pode afetar seu cachorro. Confira!

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

O que é papilomatose canina?

A papilomatose canina é uma doença contagiosa que afeta a pele dos cães e se manifesta com o surgimento de verrugas em algumas partes do corpo. A veterinária Marcela Machado explica que essas verrugas são, na verdade, pequenos tumores benignos: "A papilomatose canina se caracteriza por múltiplos tumores parecidos com verrugas geralmente cinzentas e que, normalmente, se localizam nas mucosas de cães. São em sua maioria benignas e podem variar também de forma e cor”. A doença é causada pelo papiloma vírus. Cães normalmente são infectados ao entrar em contato com um cachorro que esteja contaminado, principalmente por meio de lambidas, mordidas e após compartilhar objetos como comedouro e bebedouro.

O papiloma canino costuma se manifestar em mucosas

O papiloma em cães afeta as células epiteliais do cão, podendo se manifestar em diferentes regiões da pele. “Os locais mais comuns de observarmos a papilomatose canina são as mucosas orais e oculares, principalmente nos pets mais jovens, entre 6 meses e 4 anos”, explica Marcela. Normalmente, é possível observar o papiloma canino na boca, focinho, cavidade ocular, genitais e em outras regiões da pele, como a barriga.

Papiloma vírus: cães apresentam verrugas pelo corpo e podem ter dificuldade de se alimentarem

Quando é infectado com o papiloma vírus, cachorro apresenta como principal sinal da doença o aparecimento de verrugas pelo corpo. “[Identificamos o] crescimento de verrugas, normalmente cinzas ou na cor da mucosa, de forma proliferativa e juntas”. Além disso, o papiloma em cães pode levar a outros problemas: “Pode causar dificuldade na alimentação, salivação excessiva devido a dificuldade de engolir e mau hálito”, complementa a especialista. É muito importante entender, porém, que a papilomatose canina pode ser bastante diferente em cada caso. Por afetar diferentes partes do corpo, é comum que o papiloma em cães apresente variações. Além disso, lesões na pele podem ter outras causas que não sejam o papiloma canino. Por isso, Marcela ressalta a importância de levar o animal a um especialista para ter certeza do diagnóstico: “Como nem toda papilomatose é igual, é sempre interessante procurar o médico veterinário para um diagnóstico mais preciso. Às vezes, pode ser necessário, inclusive, uma biópsia”, orienta.

Papilomatose canina: fotos de como a doença se manifesta

 

Atenção! Imagens fortes a seguirO papiloma canino pode afetar diferentes regiões do corpo, como boca e focinhoPapilomatose canina: tratamento depende de como a doença se manifestaA papilomatose canina é muito contagiosa, então é importante manter o cão infectado afastado de outros pets

 

Papilomatose canina: tratamento varia de acordo com gravidade do quadro

 

Ao levar o cão que apresenta sinais de papiloma canino no veterinário, o especialista fará o diagnóstico a partir da análise das verrugas e outros exames. Marcela explica que o tratamento e o remédio para papilomatose canina depende da gravidade da doença. Muitas vezes, o papiloma canino regride naturalmente. Porém, quando a remissão demora muito para acontecer, pode ser necessário fazer uma cirurgia de remoção. “Em geral, as lesões regridem espontaneamente, mas podem demorar muito para a remissão total. Com este quadro mais grave ou demorado, há normalmente a necessidade de remoção cirúrgica e também tratamento para aumentar a imunidade do animal”, explica a veterinária. 

Para ajudar a curar a papilomatose canina, remédios orais e pomadas também podem ser indicados. Mas é muito importante que o tratamento seja orientado por um veterinário. Apenas ele saberá indicar o que deve ser feito em cada caso. Por isso, nada de usar remédio para papilomatose canina, seja de uso tópico ou oral, sem prescrição médica.

Cuidar da imunidade é uma forma de prevenir o papiloma em cães 

A presença do papiloma em cães costuma ser sinal de imunidade baixa. Marcela explica que é muito importante sempre prestar atenção no corpo e cuidar da saúde do animal para prevenir essa e outras doenças: “[É preciso] sempre manter a saúde do seu cão em dia para ele ter uma boa imunidade, monitorar possíveis lesões nas mucosas e evitar contato com outros animais com papilomatose canina”. Por isso, para evitar o papiloma em cães, assim como outras doenças, é fundamental realizar visitas frequentes ao veterinário. Sabendo como anda a imunidade do seu pet, fica muito mais fácil prevenir o papiloma canino. 

Redação: Maria Luísa Pimenta