Cuidados

Os 10 erros mais comuns na hora de cuidar de gato

Afinal, pode dar banho em gato ou isso é um erro? Descubra a resposta a seguir!
Afinal, pode dar banho em gato ou isso é um erro? Descubra a resposta a seguir!

Até mesmo os tutores mais experientes podem cometer alguns erros quando o assunto é cuidar de gato. Uma dúvida muito comum, por exemplo, é se a castração de gato é realmente necessária. Além disso, muitos humanos cometem o erro de tratar os felinos como se eles fossem cães, embora eles tenham comportamentos claramente distintos. No geral, os gatos são mais reservados, independentes e valorizam muito sua privacidade, diferente dos cachorros. Pensando nisso, o Patas da Casa separou uma lista com os 10 erros mais comuns na hora de cuidar dos bigodudos, explicando direitinho o que fazer para evitá-los!

1) Deixar a castração de gato de lado

Muitos tutores acabam evitando castrar gato por puro receio do procedimento, mas a verdade é que a castração tem vários benefícios! Além de evitar que a gravidez indesejada, o que geralmente leva a um aumento no número de animais por aí, castrar gato também ajuda a prevenir várias doenças, como o câncer de mama nas fêmeas. Algumas mudanças no comportamento felino também podem ser notadas depois da castração: gato costuma ficar muito mais amigável e menos territorialista. Então para quem se pergunta se realmente vale a pena submeter o bichano a este tipo de procedimento, a resposta é apenas uma: vale sim! A castração de gato é um dos procedimentos cirúrgicos mais recomendados pelos especialistas, e pode ser feita ainda no primeiro ano de vida do animal, depois de cinco meses de idade.

2) Optar pela ração seca e não oferecer o sachê para gatos

Os felinos têm uma dificuldade tremenda em se hidratar. O problema é que isso pode ocasionar em vários problemas de saúde no gato, como a insuficiência renal. Para ajudar na hidratação, a ração úmida para gatos (também chamada de sachê) é uma ótima opção. O alimento é possui uma umidade de até 80%, e ainda por cima possui todos os nutrientes considerados essenciais para manter o organismo felino funcionando perfeitamente. Além do mais, esse tipo de ração para gato tem um gostinho bastante agradável para os peludos, o que facilita a aceitação. Para quem não quer deixar a ração seca de lado, uma boa opção é alternar os dois alimentos. Assim, você garante um bichano hidratado e nutrido.

3) Ter plantas tóxicas para gatos em casa

Plantinhas em casa são tudo de bom para dar aquela revitalizada no ambiente e deixá-lo mais alegre! Mas é preciso ter cuidado com as plantas venenosas para gatos. Sim, é isso mesmo: algumas espécies são prejudiciais para a saúde dos felinos. Por isso, é importante ter atenção na hora de adquirir uma nova plantinha e se certificar de que ela não fará mal ao seu amigo de quatro patas. Mesmo que você decida botá-la bem no alto e longe do animal, precisa ficar atento, pois os gatos são animais bastante ágeis e que adoram se aventurar nas alturas. Algumas das principais plantas tóxicas para gatos são: jiboia, azaleia, copo de leite, samambaia, costela-de-adão, hera, espada de são jorge, tulipa, violeta, lírio e hibisco.

4) Oferecer leite para gato na fase adulta

Quando ainda são filhotes, o leite para gato é super recomendado, seja ele materno ou artificial. No entanto, o que poucas pessoas sabem é que quando atingem a fase adulta, a alimentação dos felinos muda completamente, e muitos bichanos se tornam intolerantes à lactose. Lembre-se: o leite não oferece nenhum benefício nutricional aos felinos depois do desmame, e a ração seca e o sachê para gatos ainda são as principais formas de cuidar da dieta desses animais.

5) Não levar o gato para consultas no veterinário

Nada mais apropriado para saber como anda a saúde do gato do que visitar um profissional qualificado para isso, né? Por isso, não falte às consultas com o veterinário. Por mais que a maioria dos gatos tente resistir quando o assunto é uma consulta médica, esse acompanhamento é essencial para garantir que tudo vai bem com o seu amigo de quatro patas. O ideal, inclusive, é que o tutor faça isso mais de uma vez por ano e, claro, sempre cuidando para manter o calendário de vacinação e vermifugação em dia. Além do mais, ao sinal de qualquer problema, não hesite em procurar a ajuda de um profissional. Ele saberá direitinho o que fazer para tratar o seu amigo.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    A   castração de gato é um procedimento essencial para melhorar a qualidade de vida do felino
    A castração de gato é um procedimento essencial para melhorar a qualidade de vida do felino

    Mais Lidas

    Veja 7 dicas de como acabar com carrapatos no quintal
    Cuidados dos animais

    Veja 7 dicas de como acabar com carrapatos no quintal

    O carrapato em cachorro, assim como as pulgas, é uma das principais causas de aborrecimento nos donos de pets. Mesmo usando coleiras ou remédio para carrapato, o animal não está livre de pegar esses parasitas tão incômodos e que podem causar problemas graves. Às vezes, um simples passeio ao ar livre já pode gerar dores de cabeça se o local estiver infestado. Para controle, é importante não só proteger o animal, mas também fazer uma limpeza do ambiente: estudos mostram que os carrapatos podem sobreviver até 200 dias em um lugar sem se alimentar. Pensando nisso, vamos te ensinar como acabar com carrapatos no quintal com ingredientes que você pode ter em casa.

    Caixa de areia de gato em apartamento: saiba qual o melhor lugar para colocar o sanitário felino
    Cuidados dos animais

    Caixa de areia de gato em apartamento: saiba qual o melhor lugar para colocar o sanitário felino

    A caixa de areia é só um objeto, mas para novos donos de gatos ela pode envolver uma série de dúvidas que ninguém sonhou em ter antes de ter um felino. Desde qual tipo de areia escolher até o tamanho e o formato do objeto, tudo isso influencia na forma como o gato vai usar a caixa. Como não poderia ser diferente, o lugar onde você coloca o sanitário do seu gatinho é primordial para que ele faça o xixi e cocô no lugar certo — principalmente se você mora em apartamentos e tem um espaço limitado. Hoje, o Patas da Casa vai te ajudar a resolver essa questão: dá uma olhada aqui embaixo!

    5 motivos pelos quais seu cachorro coça as orelhas
    Cuidados dos animais

    5 motivos pelos quais seu cachorro coça as orelhas

    Mesmo que muitas vezes sejam esquecidas na hora dos cuidados, as orelhas do seu cachorrinho são bem sensíveis e precisam de bastante atenção. De vez em quando, é comum que algum incômodo pontual faça o seu cachorro ficar coçando a orelha, mas quando isso se torna algo frequente e você percebe um incômodo maior no animal, vale a pena ficar atento.

    Quanto tempo vive um gato?
    Cuidados dos animais

    Quanto tempo vive um gato?

    Se dependesse de nós, nossos gatinhos viveriam para sempre, né? Há relatos de gatos que chegam a viver mais de 30 anos, mas estamos falando aqui de recordes mundiais. Na “vida real”,  a idade média de um gato é de 16 anos. Se formos pensar em termos de adoção ou compra de um gatinho para chamar de nosso, precisamos sempre ter em mente que durante toda a sua vida, seremos responsáveis pela saúde, bem estar e segurança deles. Então, nada de querer ter um gato no impulso e depois se arrepender, combinado? Eles sofrem muito com o abandono e podem até ficar traumatizados com humanos em geral.   

    6) Ignorar a obesidade felina

    Como os gatos são mais peludinhos e fofinhos, fica até difícil de identificar quando eles estão acima do peso. Mas isso não é desculpa: o gato obeso pode desenvolver uma série de problemas de saúde, e é justamente por isso que combater a obesidade é necessário. Depois da castração de gato, muitos felinos tendem a ficar mais preguiçosos e deixam de se exercitar como antes, e é aí que eles podem começar a ganhar peso. Para evitar que isso aconteça, é importante cuidar sempre muito bem da alimentação do seu amigo de quatro patas e estimular os instintos naturais dele com a gatificação do ambiente. Em caso de castração, o tutor deve procurar também uma ração específica para gatos castrados.

    7) Tentar educar gatos como se fossem cães

    Não adianta comparar as duas espécies porque elas são, de fato, muito distintas. Enquanto o cachorro costuma ser mais apegado e exige uma atenção muito maior, os gatos são mais quietinhos e prezam muito pelo espaço individual deles. Além disso, o treinamento desses animais até é possível, mas nunca será da mesma forma que acontece com os cães. Os bichanos podem aprender certos comandos, mas não se engane: eles sempre farão o que eles tiverem vontade. Então, não adianta forçar a barra com eles.

    8) Ser agressivo com o gato pode piorar o comportamento do animal

    Agressividade nunca é a solução para nada. Então, por mais que o seu gato cometa alguns erros, é importante não repreendê-lo com atitudes rígidas demais, ou isso pode acabar trazendo consequências nada agradáveis para o bichano. Ele pode se sentir ameaçado e revidar com comportamentos ainda mais difíceis de lidar; ou animal vai ficar amedrontado e se afastar de você. Por isso a dica é: sempre trate seu animal com amor. Mesmo que ele erre, a melhor maneira de ensinar o que é certo ou errado com técnicas de reforço positivo e nunca com atitudes agressivas.

    9) Dar banho no gato, mesmo que ele não precise

    Uma dúvida que muitos tutores têm é se pode dar banho em gato ou não. Como muitos sabem, os felinos não são muitos fãs de água, mas isso não quer dizer que eles não sejam higiênicos. Pelo contrário, os gatos tomam banho todo dia, só que do jeitinho deles: com muitas lambidas pelo corpo. Isso é possível porque a língua desses animais tem filamentos capazes de retirar impurezas e sujeiras que ficam presas na pelagem. Então, de uma maneira geral, o banho para gato é bem desnecessário. Mas em algumas circunstâncias específicas pode dar banho em gato sim. Uma alternativa para aqueles que não gostam muito de água, inclusive, é o banho a seco.

    10) Ignorar cuidados básicos, como a escovação dos pelos e dentes

    Os bichanos também precisam de vários cuidados no dia a dia, como a escovação dos pelos para mantê-los saudáveis. Para fazer isso, recomenda-se que o tutor adquira uma escova para tirar pelo de gato. Existem vários modelos disponíveis, basta descobrir qual é o ideal para o seu amigo. Além disso, outros cuidados - como escovar os dentes do gato, aparar suas unhas e limpar os ouvidos - também são igualmente importantes na hora de ter um bichinho dentro de casa. Isso ajuda a prevenir vários probleminhas de saúde e infecções.

    Redação: Juliana Melo

    Capa de sofá para cachorro é uma boa solução para proteger o estofado?

    Próxima matéria

    Capa de sofá para cachorro é uma boa solução para proteger o estofado?

    Munchkin: curiosidades, origem, características, cuidados e personalidade... tudo sobre o
    Raças

    Munchkin: curiosidades, origem, características, cuidados e personalidade... tudo sobre o "gato salsicha"

    Gato anão e gato salsicha são algumas denominações usadas para se referir ao Munchkin, um adorável felino com as pernas curtinhas e coluna alongada. A raça de gato não é uma das mais populares do Brasil, mas com certeza chama a atenção pela sua forma física “diferenciada”. Muito doce e cheio de energia, o Munchkin é uma mistura de fofura, inteligência e companheirismo.

    Ragamuffin: características, temperamento, cuidados... conheça essa raça de gato que tem a pelagem longa
    Raças

    Ragamuffin: características, temperamento, cuidados... conheça essa raça de gato que tem a pelagem longa

    O Ragamuffin é uma raça de gato muito amável e carinhosa. Não muito conhecido no Brasil, o gato ragamuffin se originou a partir do cruzamento com felinos da raça Ragdoll. É considerado um gato gigante e pode chegar até os 9kg. O "Ragamuffin cat" pode ter a pelagem e olhos de diferentes cores. Uma característica marcante é o jeito brincalhão e o fato de amar colo. O Ragamuffin é ideal para famílias com crianças e outros animais.

    Gato Manês: descubra curiosidades, características, personalidade e cuidados com o
    Raças

    Gato Manês: descubra curiosidades, características, personalidade e cuidados com o "Manx cat"

    Diferente de quem prefere cachorros, os amante de felinos normalmente não se importam tanto com a raça antes de comprar ou adotar um gatinho. Mas mesmo que isso não seja um fator primordial na hora de escolher seu amigo de quatro patas, é bom saber que existem diferentes tipos de raça de gato. Dentre elas, o “Manx cat” - também conhecido como Gato Manês - é uma das mais populares e que carrega uma característica muito particular: os animais dessa raça não têm rabo. Parece esquisito, mas o que falta de rabo, sobra em amor! Saiba mais sobre a raça de gato que vai conquistar o seu coração a seguir.

    Ragdoll: cuidados, personalidade e curiosidades... Conheça mais sobre essa raça de gatos gigantes
    Raças

    Ragdoll: cuidados, personalidade e curiosidades... Conheça mais sobre essa raça de gatos gigantes

    O Ragdoll é uma raça de gatos gigantes, bem peludinhos e muito ativos. A raça nasceu nos Estados Unidos, a partir de uma série de cruzamentos, e só chegou ao Brasil no início da década de 1980. A história é bem curiosa, mas o que chama a atenção mesmo é o resultado: um gato enorme e super fofo. O Ragdoll é uma raça muito carinhosa e que gosta daquele colinho gostoso do dono. Ou seja: é uma ótima companhia para outros animais (incluindo cães), crianças, adultos e idosos. Conheça mais sobre essa raça e se apaixone também!

    Ver Todas >

    A caixa de areia do gato deve ser limpa com qual frequência?
    Cuidados dos animais

    A caixa de areia do gato deve ser limpa com qual frequência?

    A caixa de areia para gatos é um item super importante na rotina dos felinos domésticos. Por puro instinto, os gatinhos aprendem desde cedo que aquele é o lugar certo para fazer as necessidades - e também aprendem a enterrar o xixi e as fezes. Mas você, humano, sabe como cuidar da caixinha de areia do jeito correto? Já avisamos que não vale colocar a areia no recipiente e esquecer que ela existe: o banheiro dos gatos precisa de manutenção quase diária.

    Bigode de gato: como saber se as
    Cuidados dos animais

    Bigode de gato: como saber se as "vibrissas" estão saudáveis?

    Mais que elegância, o bigode de gato tem importantes funções no comportamento felino. Manter uma boa aparência em nossos gatinhos é sempre bom, mas além da estética, é essencial prestar atenção na saúde do animal. A queda das vibrissas do gato, popularmente chamadas de bigodes, e outras alterações sempre vão gerar dúvidas nos tutores. É preciso se preocupar com a queda desses pelos? E afinal, para que serve o bigode de gato? 

    Shampoo hipoalergênico para cachorro deve ser usado em quais casos?
    Cuidados dos animais

    Shampoo hipoalergênico para cachorro deve ser usado em quais casos?

    O bem-estar e a saúde do cachorro devem ser prioridades. Por isso, é muito importante manter a higiene com alguns cuidados básicos, como limpar as orelhas e escovar os dentes. O banho em cachorro também deve fazer parte da rotina - mesmo que alguns pets não gostem, é essencial para o bem-estar do animal. Mas e quando a pele do animal apresenta sinais de alergia?

    Lei de maus-tratos a animais: entenda o que muda com a nova legislação e como proteger cães e gatos
    Cuidados dos animais

    Lei de maus-tratos a animais: entenda o que muda com a nova legislação e como proteger cães e gatos

    Para garantir que nenhum animal de estimação seja maltratado, foi criada, em 1998, a lei de contra maus-tratos aos animais, transformando qualquer agressão a cães e gatos um crime previsto no artigo 32 da Lei Federal nº 9.605. No entanto, nos últimos anos algumas alterações foram feitas dentro dessa legislação, e é importante entender o que mudou e, principalmente, como denunciar maus-tratos a cachorro e gato.   

    Ver Todas >