Adulto

O que muda no comportamento do cachorro quando ele cresce?

De cachorro filhote a cachorro adulto: o que muda no período de transição do animal
De cachorro filhote a cachorro adulto: o que muda no período de transição do animal

Uma das coisas mais prazerosas para quem cria um cachorro filhote desde os primeiros meses de vida é reparar em como ele vai mudando ao longo do tempo. Assim como acontece com as crianças, em cada etapa do desenvolvimento os filhotes de cachorro vão aprendendo coisas novas. Na transição da vida como bebês para a fase adulta isso se torna mais significativo ainda. Afinal de contas, as transformações no comportamento dele nesse período de tempo vão determinar a forma como viverá pelo resto da vida. Se você tem um filhote prestes a entrar na adolescência — o início do processo varia de acordo com a raça, mas geralmente os primeiros sinais começam a aparecer a partir dos seis meses de vida do animal —, fique atento: aqui embaixo, vamos falar sobre o que provavelmente vai acontecer com o seu amigo muito em breve. Entender é a melhor forma de ajudar o filhote até ele virar um cachorro adulto. 

Filhotes de cachorro: a socialização inicial marca o comportamento dos primeiros meses do animal

As noções de convívio social do cachorro filhote começam antes das oito semanas de vida, período em que a separação da ninhada e da mãe passa a ser recomendada. Já acostumado a brincar, a dividir o espaço com outros animais e com noções de hierarquia, ele chega na sua casa, que é um mundo completamente novo. Nesse período, é comum que o animal passe por uma “fase do medo”, que pode durar até as 11 semanas de vida. É o período em que ele está se adaptando a vida nova, num lugar diferente e com pessoas que ele nunca tinha visto antes. É bom ter cuidado dobrado com os filhotes de cachorro nesse intervalo de tempo, já que qualquer experiência ruim pode ser potencializada e virar um trauma que ele vai carregar para sempre. 

Isso acontece porque essa fase do medo é, de certa forma, mesclada com a da curiosidade e da exploração que vêm junto da socialização com os humanos. É quando o animal começa a entender que diferentes elementos do nosso dia a dia são normais: a chuva, o barulho da máquina de lavar, os carros passando na rua, o secador de cabelos. Durante essas semanas, tudo o que você puder fazer para naturalizar essas coisas para seu cãozinho é válido, assim, ele vai crescer sem ter medo ou se assustar com facilidade. 

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    Os filhotes de cachorro precisam de compreensão durante seu desenvolvimento
    Os filhotes de cachorro precisam de compreensão durante seu desenvolvimento

    Mais Lidas

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor
    Comportamento animal

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor

    A companhia dos felinos é uma delícia, mas tem lá seus desafios, principalmente na hora de tentar entender a linguagem dos gatos. Por serem mais reservados, muitos tutores ficam na dúvida se esses animais realmente apreciam a presença dos humanos, se perguntando como os gatos nos veem. Será que eles são capazes de nos entender? Como o gato reconhece seu dono? Como saber se eles gostam da gente? Para tentar desvendar de uma vez por todas alguns dos comportamentos do gato em relação ao seu tutor, preparamos uma matéria bem especial. Vem com a gente e saiba mais sobre o assunto!

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)
    Comportamento animal

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)

    Os felinos não são muito associados com o ato de morder. Diferente dos cachorros, o comportamento é bem menos frequente nos felinos. É justamente por isso que muita gente acaba ignorando as mordidas por subestimar a força do animal e achar que não vai machucar. A mordida de gato não só pode ocorrer por muitos motivos, como também podem causar acidentes. Geralmente, os gatos dão alguns sinais que antecipam a mordida e é importante que você aprenda a reconhecê-los, assim como também entender as razões que levam o felino a ter essa atitude. Preparamos uma matéria completa sobre o assunto, então chega mais e vem entender porque os gatos mordem!

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?
    Comportamento animal

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?

    Não é segredo para ninguém que os gatos são muito exigentes com alimentação e higiene. E um hábito muito comum observado por todo gateiro é o gato pedindo comida mesmo quando o pote de ração está cheio: eles manifestam a insatisfação com a comida “velha” com muitos miados para chamar a atenção do tutor. Esse é mais um curioso comportamento felino com muitas explicações coerentes por trás.

    Por que os gatos afofam as cobertas e os humanos
    Comportamento animal

    Por que os gatos afofam as cobertas e os humanos

    Quem tem um gatinho já deve ter percebido que eles costumam afofar ou “amassar pãozinho” em algumas circunstâncias específicas. Os movimentos lembram uma massagem. Antes de deitar, quando estão no colo do dono ou quando encontram uma coberta fofinha e macia. Se mesmo sem saber porquê eles fazem isso a gente já acha a coisinha mais linda do mundo, imaginem depois de saber? Vem com a gente desvendar!

    O medo dá lugar à curiosidade a partir das 12 semanas de vida do cachorro filhote

    Depois que o animalzinho se acostuma com as novidades, toda a curiosidade e o instinto explorador que ele tem começam a entrar em ação. Dos três aos quatro meses de idade, é comum que seus cachorros fofos filhotes deixem de ser apenas fofos: os pequenos podem começar a testar limites — os seus e os dele. Essa é a fase em que o animal precisa ser bem educado, com firmeza e de forma positiva, para entender quais são os comportamentos que pode ou não reproduzir ao longo da vida. Cuidado com as brincadeiras que podem se transformar em um comportamento agressivo e coloque limites em ações que têm a tendência de sair de controle, como os latidos excessivos, por exemplo. Se for necessário, conte com a ajuda de um adestrador de cães profissional para te guiar nesse momento.  

    Quando o período de testar até onde ele pode ir em determinadas situações passa, o seu filhote de cachorro — que agora tem entre quatro e oito meses — vai começar a ficar independente. Mesmo que a raça dele seja das mais apegadas ao dono, nesse período é possível que o animal comece a te ignorar: ele está chegando à adolescência, quando acha que não precisa da ajuda ou supervisão de ninguém. É importante reafirmar a sua dominância e nunca usar agressividade ou violência para resolver os problemas, já que isso pode fazer o animal crescer com medo ou apreensivo sempre que chega perto de você.  

    A segunda fase do medo começa a estabelecer a noção de consequência que ele vai ter quando for cachorro adulto

    De forma menos sensível e delicada do que a primeira, a segunda fase do medo do seu cachorro filhote serve para ele deixar de ser inconsequente. É quando ele aprende, por conta própria, a calcular as próprias ações pensando em se proteger e evitar acidentes. Isso acontece entre os seis meses e um ano, aproximadamente. É comum que o animal demonstre ter mais medo de coisas que já eram incômodas antes e desenvolva novos tipos de receio, mas também é nessa fase que ele vai conseguir superar alguns deles no tempo certo. Com um pouco mais de noção de mundo, o animal também pode ficar mais desconfiado em situações que envolvem pessoas estranhas, mas com o apoio e o treinamento certos, isso melhora. 

    Entre seis meses e um ano e meio, quando o cachorro é adolescente, também acontece a transição da maturidade sexual do animal: as fêmeas podem entrar no cio e, nos machos, a demarcação de território se torna mais frequente. A rivalidade entre ele e outros cachorros estranhos também pode começar a aparecer nessa fase, mas pode ser controlada, mais uma vez, por meio da socialização e do adestramento. 

    Redação: Ariel Cristina Borges

    Quais os tipos de coleira para cachorro mais indicados para raças grandes?

    Próxima matéria

    Quais os tipos de coleira para cachorro mais indicados para raças grandes?

    Pequinês: tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro pequeno
    Pequenos

    Pequinês: tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro pequeno

    Para quem procura por raças de cachorro pequeno, o Pequinês pode ser a companhia perfeita. Além de se adaptar muito bem a apartamentos e outros espaços reduzidos, esse pequeno cãozinho é dotado de uma personalidade carinhosa, amigável e extremamente leal aos seus humanos. Apesar da baixa estatura, o cachorro Pequinês também é super corajoso, e uma das maiores provas de que tamanho não é documento. 

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande
    Grandes

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande

    Você já ouviu falar no Dogo Argentino? Essa é uma raça de cachorro que teve origem em um país vizinho ao nosso, a Argentina. Embora pareçam sérios, os cães desta raça são uns amores e têm tudo para te conquistar, principalmente se o que você procura é um amigo de quatro patas bem leal e parceiro. Mas antes de comprar ou adotar um cachorro desta raça, que tal conhecê-lo um pouco mais a fundo? 

    100 curiosidades sobre cachorros que vão te impressionar
    Cachorro

    100 curiosidades sobre cachorros que vão te impressionar

    Todo mundo sabe que o cachorro é o melhor amigo do homem, mas será que você realmente conhece o seu amigo de quatro patas? Existem várias curiosidades sobre cachorro que muitas vezes surpreendem a gente. Seja por causa de um comportamento canino que não faz muito sentido na nossa cabeça - como o hábito de “cavar” antes de dormir -, ou seja porque nunca pesquisamos muito a fundo sobre a anatomia do cachorro. 

    Schnauzer: tamanho, pelagem, saúde e preço... tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro
    Raças

    Schnauzer: tamanho, pelagem, saúde e preço... tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro

    A raça de cachorro Schnauzer é conhecida pela cabeça em formato quadrado e o bigode característico. Ele é um dos cachorros mais queridos no Brasil e seu temperamento dócil e brincalhão contribui muito para isso. Mas muitas pessoas não conhecem a fundo as principais características do Schnauzer. Por exemplo, você sabia que existem três tamanhos dessa raça? Se você já ama esse cãozinho e está pensando em adotar um Schnauzer, é importante saber o máximo possível sobre a raça antes de tomar a decisão. O Patas da Casa te conta tudo o que você precisa saber sobre a origem do Schnauzer, suas características físicas, temperamento, saúde e até os valores caso você queira comprar um. Confira tudo!

    Ver Todas >

    Arranhador de sofá: o investimento vale a pena? Quando é indicado?
    Comportamento animal

    Arranhador de sofá: o investimento vale a pena? Quando é indicado?

    Já ouviu falar no arranhador de sofá? Esse simples acessório pode ser a solução dos seus problemas. Mesmo que os gatos tenham sido domesticados há vários anos, eles ainda permanecem com alguns instintos bem vivos. O hábito de afiar as garras frequentemente, por exemplo, é um instinto que não deve ser inibido, mas direcionado para os objetos certos. O sofá normalmente se torna o principal alvo das unhas dos felinos, mas é possível resolver isso com o arranhador de sofá para gatos. 

    Gato gigante: como é o comportamento dos felinos que são maiores que o normal?
    Comportamento animal

    Gato gigante: como é o comportamento dos felinos que são maiores que o normal?

    Os felinos são animais misteriosos, elegantes e apaixonantes. Os gatos gigantes, além de carregarem todas essas virtudes, possuem o diferencial de serem enormes - muitas vezes podendo pesar mais de 10kgs. As raças de gato gigante despertam muitas curiosidades nas pessoas, principalmente sobre o comportamento desses grandes pets. Afinal de contas, se você pretende ter um gato gigante como seu novo amigo, é importante saber como será seu temperamento. 

    5 truques para ensinar ao cachorro em casa
    Comportamento animal

    5 truques para ensinar ao cachorro em casa

    Muitos tutores se perguntam como ensinar truques para cachorro, mas acabam desistindo no meio do caminho. De fato, esse é um processo que requer muita paciência, persistência e firmeza na hora de repassar os comandos para os cães, mas aqui vai um spoiler: todo o esforço vale muito a pena! Os truques para cachorro são uma ótima forma de estimular a mente do seu doguinho, educá-lo e até de melhorar a comunicação entre vocês. 

    Gatos escolhem seus donos?
    Comportamento animal

    Gatos escolhem seus donos?

    Adotar gato é sempre um lindo ato de amor e carinho. Mas muitas vezes os tutores dizem que não foram eles que escolheram o gato, mas sim que “um gato me adotou”. Às vezes ele aparece na sua porta, invade sua casa ou te segue na rua. E vamos combinar que é impossível não se apaixonar por um bichano com olhar pidão, né?! Os gatos são únicos e têm comportamentos muito peculiares, o que fazem deles ótimas companhias.   

    Ver Todas >