Gato

"Meu gato morreu": o que fazer com o corpo do animal?

Publicado - 22 Setembro 2022 - 15h51

Atualizado - 23 Maio 2024 - 16h55

“Meu gato morreu” e “meu cachorro morreu” são frases que ninguém gostaria de falar na vida. Infelizmente, os animais não são eternos. A média de quanto tempo vive um gato é de 16 anos. Após esse período, é comum que os bichanos fiquem com a saúde fragilizada e mais propensos a doenças. Muitas vezes, o gatinho pode até mesmo falecer antes dessa média. Seja qual for o motivo que levou à morte do bichano, sempre é difícil passar pelo luto. Gato morreu: e agora? O que fazer com o corpo do animal? Para te ajudar nesse momento difícil, o Patas da Casa te explica o que pode ser feito com o seu gatinho após sua morte e ainda dá algumas dicas de como passar pelo processo de luto.

O crematório pet é uma boa opção após a morte de um gatinho

O gato não é apenas um animal de estimação, mas um membro da família. Por isso, uma dúvida comum após a morte de um animal de estimação é: “meu gato morreu: o que fazer com o corpo?”. O crematório pet é a opção mais conhecida e buscada. Apesar de não existir em todas as cidades, o crematório pet é um local especializado em realizar a cremação cuidadosa de animais de estimação que morreram. Dependendo do crematório pet, as cinzas podem ser até mesmo devolvidas ao dono após a cremação. Alguns deles também oferecem serviços de velório com cerimônias. Se você está passando por um caso de “meu gato morreu” ou “minha gata morreu”, vale a pena pesquisar se há um crematório pet na sua região.

O cemitério de pets é outra alternativa disponível

Uma alternativa ao crematório pet é o cemitério de pets. Enterrar um animal requer bastante cuidado pois, se feito da maneira errada, o animal em decomposição pode se tornar um perigo à saúde pública. O cemitério para pets é um local que tem autorização da prefeitura para realização desse serviço e segue corretamente todas as normas sanitárias. Assim como no crematório pet, o cemitério de pets também costuma oferecer uma espécie de velório.

Imagem Quiz:Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Existe uma dúvida muito frequente entre os pais e mães de pets que faleceram. Meu gato ou minha gata morreu: posso enterrar no quintal? Essa prática não é nada recomendada pelo alto risco de contaminar solos e fontes de água. Mesmo que contratar os serviços de um cemitério de pets custe dinheiro, é uma alternativa bem mais segura.

 

Patinha de gato cinza na mão de pessoa

 

Meu gato morreu: quanto custa para cremar ou enterrar o animal?

Tanto o crematório pet quanto o cemitério de pets são pagos, mas cremar costuma ser um pouco mais em conta. Normalmente, os serviços do crematório pet custam de R$400 a R$ 600. Se for contratado o velório, o preço aumenta. Os valores também variam dependendo do destino das cinzas (se volta para o tutor ou não) e se o enterro é individual ou coletivo. Vale ressaltar que jogar as cinzas de um animal morto em locais inapropriados (como rios e solos) é crime ambiental e pode levar a multas altíssimas.

O cemitério para pets, por sua vez, é uma opção mais cara. Normalmente, os serviços ficam em torno de R$ 600 e R$ 700, sendo que os preços ficam mais altos quando se contrata o velório. Você pode estar pensando agora: "O momento do luto pelo meu gato já é estressante e a preocupação com os gastos só torna o processo mais complicado". Por isso, uma dica é contratar um plano funerário pet quando o animal ainda está vivo. O plano funciona da mesma forma que um plano de saúde para gatos: você paga uma taxa mensal (normalmente custa menos de R$ 50) que cobre alguns serviços. No caso do plano funerário, os serviços são de enterro e cremação. A ideia não agrada todos os tutores, mas é uma boa ideia principalmente para quem tem um gatinho com uma expectativa de vida menor por causa de alguma doença. 

Confira algumas dicas de como passar pelo luto quando morre um gato que amamos

É sempre difícil passar pelo luto. Gato morreu e isso é tão triste quanto perder qualquer membro da família. Estamos acostumados a vê-lo ao nosso lado todo dia, tornando a distância difícil de aceitar. Por isso, quando morre um gato que amamos o primeiro passo é aceitar que a tristeza faz parte, por mais que muitas pessoas digam que a perda de um pet não é algo tão sério. A fase de luto pelo gato é válida e necessária. Para algumas pessoas, é importante ter uma despedida. Se esse é o seu caso, não tenha medo de preparar uma celebração ou velório, por mais simples que seja. Outra coisa que pode ajudar quando morre um gato que amamos é falar sobre o problema com alguém, seja um familiar, um amigo próximo ou um psicólogo. Não tenha medo de pedir ajuda nesse momento e também não fique se culpando, pois você fez tudo que podia e deu todo seu amor enquanto o seu gatinho estava vivo. 

Caso você tenha crianças em casa, a melhor opção é contar a verdade e explicar que o gatinho morreu. Inventar que ele fugiu ou não dizer nada é pior tanto para você quanto para as crianças. Se você tem mais de um gatinho, não deixe de dar atenção a ele, pois quando um gato morre o outro sente falta e fica triste também. Por fim, tente seguir em frente e voltar à sua rotina aos poucos, respeitando seu tempo. Muitos tutores têm vontade de adotar gato novamente após a perda de um bichano e isso pode ser ótimo! Apenas tenha certeza de que você já passou pelo processo de luto pelo gatinho que morreu antes de adotar outro, para garantir que sua vida com o novo animal seja repleta de felicidade. 

Redação: Maria Luísa Pimenta  

Edição: Mariana Fernandes

Gato

Gato que frequentava Universidade se forma e recebe título de "Doutor em Litter-ature"

Histórias de bichinhos de estimação frequentando a universidade sempre ganham um lugar especial no nosso coração. Foi o que acontece...

Adote um animal

Esses são os gatos mais caros do mundo - e filhote de um deles pode custar mais de R$600 mil

Os gatos de origem genética rara e aparência exótica conquistam cada vez mais o coração dos gateiros. Além de encantadores na aparên...

Gato

Areia para gato que não deixa cheiro: tutora de 10 gatos indica o melhor tipo e dá dicas de como limpar

Para tutores de muitos gatinhos, a escolha de uma areia para gato que não deixa cheiro por toda a casa é crucial para manter o ...

Gato

Esse vegetal inofensivo é capaz de provocar uma reação perturbadora no seu gato

Julgar os sentimentos e medos de um gato é injusto e não é nada legal. Enquanto os humanos sentem medo de coisas consideradas “bobas...

Comportamento

Cachorro e gato deixam as desavenças de lado e se unem para missão que parecia impossível

Existe uma crença de que cachorro e gato são inimigos naturais. Ao longo dos anos, a relação entre as duas espécies foi retratada na...

Cachorro

Com quantos anos você descobriu que é possível descobrir a idade de cachorro pelos dentes?

Em casos de adoção animal, em que a maioria dos cães são resgatados da rua, é inevitável surgir a curiosidade de qual é a idade do p...

Adote um animal

As 7 raças de cachorro mais engraçadas que existem - o último da lista chama atenção por um detalhe curioso

Cada raça de cachorro tem características físicas únicas e muito particulares. São esses traços que muitas vezes nos ajudam a difere...

Gato

Gato que frequentava Universidade se forma e recebe título de "Doutor em Litter-ature"

Histórias de bichinhos de estimação frequentando a universidade sempre ganham um lugar especial no nosso coração. Foi o que acontece...

Ver todas