Saúde

Eutanásia em cães: entenda mais sobre o procedimento

A ideia de sacrificar cachorro é terrível, mas em alguns casos é a única maneira de aliviar a dor e sofrimento do animal
A ideia de sacrificar cachorro é terrível, mas em alguns casos é a única maneira de aliviar a dor e sofrimento do animal

Os cães são muito mais do que um simples animal de estimação: eles fazem parte da nossa família. São verdadeiros amigos para todas as horas e que nos ensinam a forma mais pura de amor. Por isso, quando um veterinário sugere que chegou a hora de sacrificar cachorro, nosso mundo desaba. Se já é difícil ter que lidar com o luto normalmente, ter que decidir pelo sacrifício animal é ainda mais doloroso. Muitas são as dúvidas que passam pela cabeça do tutor nessas horas, e é normal se questionar se a eutanásia em cães é a melhor solução, de fato.

Mas como é feito esse procedimento? Em que casos ele é indicado? É possível sacrificar cachorro gratuito ou é algo que exige também um planejamento financeiro? Embora esse seja um assunto bastante delicado, é necessário entender todas essas questões antes de optar pela eutanásia em cães. A seguir, te contamos o que você precisa saber nesse momento.

Eutanásia em cães: em que casos o procedimento é indicado?

De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), órgão responsável pela regulamentação da eutanásia em cães e outros animais, este tipo de procedimento pode ser indicado em situações onde não há chances de cura para uma doença que compromete a qualidade de vida do animal. Sendo assim, sacrificar cachorro geralmente é a última opção sugerida pelos veterinários como forma de eliminar a dor e sofrimento do animal doente, como é o caso da eutanásia em cães com câncer. Mas atenção: este cenário leva em consideração apenas animais que não podem ter a doença controlada por meio de analgésicos, sedativos e outros tratamentos (como cuidados paliativos), segundo a Resolução nº 1000 do CFMV, datada de 11 de maio de 2012. Logo, se existem chances de cura ou algum tratamento disponível, a eutanásia em cães não deve ser uma opção.

Além disso, outra situação em que a eutanásia pode ser considerada é quando o animal representa uma ameaça à saúde pública. Um exemplo disso é quando o cachorro sofre com a raiva canina, uma doença viral que pode ser transmitida para humanos e que é letal nos cães.

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

question quiz stamp

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

Question Header Background
question quiz stamp

As crises alérgicas costumam acontecer:

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Question Header Background
question quiz stamp

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Question Header Background
question quiz stamp

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

Question Header Background
question quiz stamp

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

Question Header Background

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    A eutanásia em cães deve ser realizada pelo médico veterinário
    A eutanásia em cães deve ser realizada pelo médico veterinário

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Como fazer eutanásia em cão da maneira correta?

    Antes de mais nada, é preciso ter em mente que este procedimento deve ser recomendado única e exclusivamente por um médico veterinário após uma rigorosa avaliação do quadro de saúde do animal em questão. Em seguida, cabe ao tutor acatar ou não essa sugestão. 

    A eutanásia em cães precisa ser realizada por um profissional a fim de minimizar os efeitos nos animais e, de preferência, deve ocorrer em um lugar tranquilo para diminuir possíveis situações de estresse e ansiedade no paciente. Além disso, o procedimento deve seguir os princípios estabelecidos pelo CFMV, que diz que precisa haver elevado grau de respeito aos animais e a redução máximo de dor e desconforto. Desta forma, o primeiro passo é a aplicação de anestesia geral no cachorro, técnica necessária para deixar o bichinho inconsciente e evitar que ele sinta qualquer coisa durante o processo. Logo após, são utilizados medicamentos para finalizar a eutanásia em cães.

    O custo médio para este tipo de procedimento é de, no mínimo, R$300 (lembre-se que existe o custo da anestesia, medicamentos e outros fatores que influenciam nisso). Lugares que cobram mais barato do que isso podem não ser de confiança e não há garantias de que eles vão realizar a eutanásia em cães de forma mais humanizada. Alguns órgãos, como o Centro de Controle de Zoonoses, também oferecem esse tipo de serviço, mas não é de forma gratuita: existe uma taxa a ser paga por isso, que pode ter o preço variado de acordo com a região. Em São Paulo, por exemplo, o valor é de R$188.

    Depois da eutanásia em cães, como lidar com a partida do seu amigo?

    Nunca é fácil lidar com a morte de um cachorro, mas quando eles precisam ser sacrificados, essa dor consegue ser maior ainda. O sentimento de impotência por não ter conseguido salvar a vida do cãozinho é enorme, mas o tutor não deve se culpar por isso. São situações que estão além do nosso alcance e da nossa vontade (até mesmo porque se dependesse de nós, os cães seriam eternos, né?). 

    Por isso, a melhor forma de passar pelo luto é lembrando dos momentos bons que vivemos com o nosso amigo e aceitando que agora ele está livre de toda a dor e sofrimento causados pela doença. Procure o apoio de quem você ama e sinta-se livre para conversar, desabafar e relembrar tudo que vocês viveram juntos. Falar sobre isso ajuda a se “libertar” da dor da perda.

    Além do mais, em um primeiro momento pode ser difícil considerar a ideia de ter um novo cãozinho por perto, mas é algo que também pode ajudar. Um cachorro jamais vai substituir outro, mas ninguém pode negar que a presença de um peludo sempre nos ajuda nos momentos difíceis.

    Redação: Juliana Melo

     

    Gato obeso: como saber se o seu pet está acima do peso?

    Próxima matéria

    Gato obeso: como saber se o seu pet está acima do peso?

    Vira-lata: tudo o que você precisa saber sobre os cães sem raça definida (SRD)
    Adoção

    Vira-lata: tudo o que você precisa saber sobre os cães sem raça definida (SRD)

    O vira-lata é o cachorro mais querido e presente nos lares brasileiros. E não é pra menos, né? Esperto, brincalhão e cheio de amor para dar, ele é um ótimo candidato a transformar a sua casa em um lugar mais divertido e, de quebra, ser um companheiro para todas as horas. Oficialmente chamado de sem raça definida (SRD), o cachorro vira-lata não tem uma origem clara e possui características que o tornam único. O cãozinho SRD desperta muitas dúvidas entre os tutores: quanto tempo vive um vira-lata? 

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir
    Saúde

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir

    Assim como nos cães, a Giárdia em gatos é uma zoonose muito comum. Os felinos, então, não estão imunes a contrair essa doença, que muitas vezes passa despercebida ao ser confundida com uma simples diarreia. Por isso, é muito importante prestar atenção aos sintomas da giárdia em gatos e, também, buscar formas de prevenir a contaminação. Para esclarecer mais as dúvidas quanto ao assunto, conversamos com a médica veterinária Carolina Mouco Moretti, que é diretora geral do Hospital Veterinário Vet Popular, de São Paulo.

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!
    Diarreia

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!

    A giárdia em cães ou giardíase, como é conhecida a doença, é uma zoonose — ou seja: também pode ser transmitida para humanos — causada por um protozoário que age na corrente sanguínea do cachorro contaminado. A partir do contágio, a giárdia causa uma série de alterações gástricas no animal. Mesmo que tenha cura, a giárdia canina pode matar se não for devidamente tratada. Para esclarecer diferentes dúvidas, como contágio, tratamento e as diferentes formas de prevenção da doença, conversamos com o veterinário Thiago Félix, de Brasília. Dá uma olhada!

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana
    Grandes

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana

    Um dos cãezinhos mais surpreendentes é o Cane Corso. Embora ele não seja tão popular quanto outras raças de cachorro grande, como o Labrador e o Golden Retriever, o Cane Corso é dono de um enorme coração e tem uma personalidade incrível. Algumas pessoas podem até se intimidar com o tamanho e a postura imponente do doguinho, mas só quem convive com um Cane Corso sabe como estes cães são adoráveis e carinhosos.

    Ver Todas >

    Lúpus canino: como a doença autoimune em cães se desenvolve e quais as raças mais afetadas?
    Saúde animal

    Lúpus canino: como a doença autoimune em cães se desenvolve e quais as raças mais afetadas?

    Uma doença conhecida entre os humanos que também atinge os nossos amigos de quatro patas é o lúpus em cachorro. Essa doença autoimune em cães acontece quando células saudáveis do organismo atacam a si mesmas, deixando o sistema imunológico canino fragilizado e propenso a contrair diversos problemas de saúde. O lúpus canino não é muito conhecido e nem sempre é fácil detectar os sintomas clínicos.

    Sarcoma de aplicação em felinos: veterinária tira todas as dúvidas sobre esse tipo de tumor em gatos
    Saúde animal

    Sarcoma de aplicação em felinos: veterinária tira todas as dúvidas sobre esse tipo de tumor em gatos

    O sarcoma de aplicação em felinos é um tipo de tumor de pele bastante preocupante e que precisa de muita atenção. Embora não se saiba ao certo qual a causa do problema, o sarcoma de aplicação pode afetar significativamente a saúde do gato e por isso é importante observar qualquer alteração no corpo do animal, especialmente se houver reações inflamatórias em forma de nódulos.

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos
    Saúde animal

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    A infecção urinária em gatos é um problema muito comum. A bexiga do gato é um dos órgãos mais atingidos por infecções que são capazes de debilitar todo o sistema excretor. Esse órgão com habilidade de expandir seu tamanho é fundamental no bom funcionamento do organismo de um gato, sendo um dos principais responsáveis pela eliminação da urina. Mas você sabe onde fica a bexiga do gato? Ou qual é sua função? E você tem ideia de que doenças mais afetam essa região?

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes
    Saúde animal

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes

    A síndrome de wobbler é uma doença que afeta principalmente raças de cachorro de grande porte. Ela atinge as vértebras e a medula espinhal do cachorro, desencadeando problemas neurológicos e de locomoção. O tratamento precisa ser o mais rápido possível, pois a síndrome de wobbler pode avançar para estágios mais graves e trazer consequências sérias ao animal. .

    Ver Todas >