close
Castração

Castração de cachorros e gatos: cientista brasileira desenvolve método de esterilização não cirúrgica

Atualizado · 13 de abril de 2022 · 17h55

Publicado · 13/04/2022 · 17h50

A castração de animais é importante para cuidar da saúde dos pets e diminuir a quantidade de bichinhos abandonados
A castração de animais é importante para cuidar da saúde dos pets e diminuir a quantidade de bichinhos abandonados

A castração de cachorro e gato é uma medida necessária não apenas para diminuir o número de animais abandonados nas ruas, como também para cuidar da saúde e bem-estar desses bichinhos. Além de evitar que cães e gatos engravidem, o procedimento ajuda a prevenir várias doenças e até melhora o comportamento dos pets. No entanto, quando o assunto é castrar gato e cachorro, muitos tutores ficam apreensivos e com receio de submeter os animais à intervenção cirúrgica.

Como uma alternativa à cirurgia, a médica veterinária brasileira Carolina Madeira Lucci, em conjunto com outros pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), desenvolveu uma técnica de castração de cães e gatos que não envolve procedimentos cirúrgicos. “O método ainda está em fase experimental, e por isso não está disponível. Agora que temos certeza da efetividade e segurança é que vamos começar a aplicar em gatos (de maneira controlada) e posteriormente em cães”, explica. Saiba mais sobre o assunto a seguir!

Castração de animais: entenda como funciona o método de esterilização não-cirúrgica

A pesquisa, intitulada “Alternativas nanotecnológicas para a castração não cirúrgica de animais machos”, é baseada em um método muito simples e prático de ser feito. Nesse tipo de castração, o cachorro ou gato macho terá nano partículas de óxido de ferro injetadas nos testículos. Em seguida, duas técnicas de esterilização são possíveis: a aplicação de um campo magnético ou de uma luz LED no local. O animal deve estar sedado durante todo o procedimento, que dura em torno de 20 minutos.

No primeiro caso, a aplicação de campo magnético (magneto hipertermia) é feita na região dos testículos, então as nano partículas geram calor apenas no local da aplicação. Já na segunda técnica, um LED infravermelho é utilizado e as nano partículas transformam a luz em calor, possibilitando a esterilização. Em ambos os procedimentos a temperatura alcança cerca de 45 graus, mas não há risco de queimaduras.

Um ponto importante é que a castração de cães ou gatos não-cirúrgica é direcionada exclusivamente para os machos. O motivo disso é a facilidade de acesso aos testículos, que ficam para fora do corpo do animal. Além do mais, as gônadas masculinas também possuem mais sensibilidade ao calor, e sabe-se que altas temperaturas podem prejudicar o processo de produção de espermatozoides, deixando o animal infértil. Ou seja, nessa metodologia só é possível fazer a castração de gato macho ou de cachorro macho. As fêmeas não estão incluídas no processo porque os ovários ficam localizados em uma área mais interna do corpo e não apresenta a mesma sensibilidade térmica.

Para tirar as principais dúvidas sobre o método de castração de gato e cachorro não-cirúrgico, entrevistamos a dra. Carolina Lucci, que é coordenadora do projeto na UnB. Veja abaixo o que ela nos contou!

Patas da Casa: Como a injeção de nano partículas de óxido de ferro atua nos testículos dos animais, sendo capaz de castrar cachorro e gato?

Carolina Lucci: As nano partículas de óxido de ferro que utilizamos possuem a capacidade de responder a um campo magnético externo, ou a uma luz de LED de comprimento de onda específico, produzindo calor. Este calor (em torno de 45 graus) é gerado somente onde estão as nano partículas, e se propaga de dentro para fora dos testículos. 

Como os testículos são órgãos sensíveis ao calor (mais do que qualquer outro no organismo) e o processo de produção dos espermatozoides só ocorre a uma temperatura mais baixa que a temperatura corporal, este aquecimento temporário (por 15 minutos) causa a destruição das células que dão origem aos espermatozoides, levando à esterilidade definitiva. Com o passar do tempo, os testículos vão diminuindo de tamanho e chegam a desaparecer, e o animal não produz mais espermatozoides e nem testosterona. 

Saliento que as nano partículas sozinhas, sem a aplicação do campo magnético ou da luz, não têm efeito nenhum sobre a espermatogênese ou a integridade dos testículos. É preciso associar a injeção de nano partículas à fonte de energia (magnética ou luminosa) externa. Também é importante ressaltar que o método é seguro para a saúde dos animais, não tendo produzido efeitos colaterais imediatos e nem tardios nos animais tratados.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria o seu domingo perfeito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica em um dia de chuva?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria a viagem ideal nas férias?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você costuma encontrar os amigos?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua rotina matinal?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua agenda no fim de semana?

Question Header Background

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    O cachorro castrado se torna menos territorialista e adota um comportamento mais tranquilo
    O cachorro castrado se torna menos territorialista e adota um comportamento mais tranquilo
    A castração de gato macho ajuda a diminuir as fugas e voltinhas pela rua
    A castração de gato macho ajuda a diminuir as fugas e voltinhas pela rua
    O cachorro castrado se torna menos territorialista e adota um comportamento mais tranquilo
    A castração de gato macho ajuda a diminuir as fugas e voltinhas pela rua

    Mais Lidas

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    PDC: O método de castração não-cirúrgica é feito apenas em animais do sexo masculino. Existe alguma possibilidade de, futuramente, isso abranger as fêmeas?

    CL: Este método baseado em hipertermia mediada por nano partículas é só para machos, devido à característica de sensibilidade ao calor que os testículos apresentam. Então, não se aplica às fêmeas. Outro método teria que ser desenvolvido para as fêmeas, considerando as especificidades da gônada feminina e também o fato de os ovários se localizarem dentro da cavidade abdominal.

    PDC: Mesmo sem a cirurgia, é necessário anestesia geral para castrar cachorro ou gato nesse método? Há algum risco?

    CL: Nós utilizamos anestesia geral. Os riscos são apenas aqueles inerentes ao processo de anestesia em si. Para os gatos, faremos uma sedação prévia dos animais, diminuindo o requerimento de anestésico geral, o que reduz ainda mais os riscos.

    PDC: Existe alguma contraindicação ou condição de saúde que impeça o método de castração de animais não-cirúrgico?

    CL: Apenas as condições de saúde que seriam impeditivas para qualquer procedimento, por mais simples que seja. Se o animal estiver doente, ele deve se recuperar antes de ser submetido a qualquer procedimento, seja ele cirúrgico ou não. Além disso, animais que tenham problemas como tumores de testículo ou de próstata, ou criptorquidismo, devem continuar sendo castrados pelo procedimento cirúrgico.

    PDC: Em questão de custo e cuidados, quais as vantagens que essa metodologia oferece?

    CL: Como ainda é um procedimento experimental, não temos o valor exato de quanto vai custar a aplicação do método desenvolvido. Provavelmente será mais barato que o cirúrgico pela simplicidade do procedimento e por não precisar de ambiente cirúrgico (sala e instrumental cirúrgico estéreis).

    Em relação aos cuidados pós-castração, esta é realmente a maior vantagem do método, pois por não ser cirúrgico não exige acompanhamento posterior. No procedimento cirúrgico, o animal precisa tomar antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos por um período de 7 a 10 dias, e ao final precisa retirar pontos. No procedimento não-cirúrgico estes cuidados não serão necessários. O animal recebe uma dose de analgésico e anti-inflamatório no momento do procedimento e não precisa de acompanhamento posterior.

    PDC: Qual foi a sua motivação para desenvolver essa pesquisa e como isso pode ajudar animais de rua e abrigos?

    CL: Minha motivação foi justamente o grande número de animais abandonados que vemos pelas ruas. Estes animais se reproduzem, aumentando cada vez mais a população de animais errantes. Isso tanto é triste do ponto de vista do animal, que sofre nas ruas, como é um problema de saúde pública, pois estes animais sem dono podem transmitir doenças e causam problemas urbanos como espalhamento de lixo, acidentes de trânsito, brigas e agressões, e também é um problema ambiental, porque animais de rua, especialmente gatos, caçam pequenos animais silvestres. 

    Infelizmente, não existem adotantes pra todos os animais que vivem nas ruas. Então, o método desenvolvido pode ajudar muito a diminuir a população de animais errantes, impedindo sua reprodução. 

    Pela simplicidade e por não necessitar de ambiente especial pra ser realizado e nem de acompanhamento posterior, o método desenvolvido permite a castração de um grande número de animais, e pode ser associado ao sistema C.E.D. (captura, esterilização e soltura), onde os animais são castrados e devolvidos às ruas. Este sistema (C.E.D.) promove uma desaceleração do crescimento da população de animais de rua e a médio prazo sua redução, e tem sido adotado em muitos países. Para abrigos, onde muitas vezes há um grande número de animais, este método também pode ser bem interessante, já que os cuidados e possíveis complicações pós-operatórios gera custos e trabalho extra. 

    Redação: Juliana Melo

    Anatomia canina: tudo sobre a respiração e pulmão de cachorro

    Próxima matéria

    Anatomia canina: tudo sobre a respiração e pulmão de cachorro

    Cachorro e gato juntos: 8 truques para melhorar a convivência e 30 fotos para você se apaixonar!
    Adestramento

    Cachorro e gato juntos: 8 truques para melhorar a convivência e 30 fotos para você se apaixonar!

    Durante muito tempo, cachorro e gato foram declarados inimigos. Algumas pessoas acreditavam que onde havia um cão não poderia ter um gato e vice-versa. Se antes eles não tinham o hábito de conviver, hoje moram juntos e alguns até são inseparáveis. Mas atenção! Nem sempre os animais se entendem de primeira e o processo de adaptação requer tempo e paciência do tutor para que aprendam a respeitar a presença um do outro. Para você que tem um cãozinho e um gatinho e precisa de ajuda para adaptá-los, separamos oito truques para melhorar a convivência. O adestrador Max Pablo, do Rio de Janeiro, deu algumas dicas e também conversamos com a cat-sitter Nathane Ribeiro, que tem três gatos e já precisou adaptá-los com um cão. Veja o que eles disseram!

    Cachorro e gato juntos: como acostumar os pets com a nova rotina!
    Adestramento

    Cachorro e gato juntos: como acostumar os pets com a nova rotina!

    A rivalidade entre cães e gatos é tão histórica que até ditado popular ela já virou. Mesmo assim, no dia a dia o que não falta por aí são donos de pet que não conseguem decidir entre uma das espécies e dividem o amor com os cachorros e gatos ao mesmo tempo e embaixo do mesmo teto. A parte boa disso é que você não precisa aceitar que eles vão viver sempre em pé de guerra: juntar cachorro e gato em casa é possível, sim! Descubra, aqui embaixo, como você pode aproveitar a companhia de dois animaizinhos completamente diferentes, mas que também podem se tornar super amigos!

    5 cuidados com cachorro para não deixar de lado no novo ano
    Cuidados

    5 cuidados com cachorro para não deixar de lado no novo ano

    A chegada de um novo ano geralmente vem acompanhada de uma lista de metas e objetivos para se colocar em prática. Mas você já parou para pensar que seu amigo de quatro patas também pode ser incluído nessa aventura? Com a correria do dia a dia, é muito comum que alguns cuidados com cachorro sejam cada vez mais deixados de lado, como os passeios diários ou os banhos quinzenais. O problema é que manter esses cuidados é essencial para garantir a saúde e bem-estar dos pets, então os tutores precisam encontrar na agenda um tempo para se dedicarem aos amigos de quatro patas. 

    Castração de cachorro: é comum o animal engordar depois da esterilização?
    Castração

    Castração de cachorro: é comum o animal engordar depois da esterilização?

    A castração de cachorro é um dos procedimentos mais indicados quando falamos de saúde animal. Além de evitar a reprodução indesejada, esse é um método capaz de prevenir algumas doenças e ainda ajuda a melhorar alguns comportamentos do seu cãozinho. Mas existem crenças populares de que a castração pode ocasionar o ganho de peso do cachorro. Isso é verdade? A alimentação do animal precisa mudar depois que ele é castrado para evitar a obesidade?

    Ver Todas >

    Doença do carrapato: veja em infográfico os perigos dessa doença de cachorro
    Saúde animal

    Doença do carrapato: veja em infográfico os perigos dessa doença de cachorro

    A doença do carrapato é uma das mais temidas pelos pais e mães de pets - e com razão. O contágio acontece quando um carrapato infectado com o parasita pica um cãozinho saudável. Pouco tempo depois, os sintomas da doença do carrapato já começam a aparecer. Um dos motivos do porque essa doença é tão perigosa é o fato de seus sintomas serem muito variados e se agravarem rapidamente. A doença do carrapato tem cura, mas quanto mais o tratamento demora a ter início, mais complicado fica. 

    Caspa em cachorro: tudo sobre o problema de pele
    Saúde animal

    Caspa em cachorro: tudo sobre o problema de pele

    A caspa em cachorro é uma das manifestações que acontece quando há alguma deficiência nutricional ou higienização inadequada do animal. Avistou algumas casquinhas brancas se soltando abaixo dos pelos do seu pet? Então continue lendo para saber tudo sobre cachorro com caspa e como livrar seu melhor amigo desse incômodo.

    Cachorro babando: quando é motivo para se preocupar com a saúde do pet?
    Saúde animal

    Cachorro babando: quando é motivo para se preocupar com a saúde do pet?

    A saliva do cachorro, assim como a nossa, tem diversas funções. Porém, quando há alterações na consistência e aparência da saliva, ou quando ela se torna muito abundante, é melhor ficar alerta: esse pode ser um sintoma de que algo não vai bem com a saúde do cachorro. Descubra agora como identificar a salivação anormal no seu melhor amigo.  

    Como aumentar a imunidade do cachorro e tudo sobre o sistema imunológico dos cães
    Saúde animal

    Como aumentar a imunidade do cachorro e tudo sobre o sistema imunológico dos cães

    Uma pergunta comum a todos os pais de pet que não gostam de ver o filho de quatro patas doente é como aumentar a imunidade do cachorro. Assim como acontece com os humanos, o sistema imunológico canino é como se fosse um mecanismo interno de defesa que ajuda a proteger os animais contra várias doenças. Isso quer dizer que qualquer alteração ou queda na imunidade deixa o organismo vulnerável, e pode afetar significativamente a saúde do cachorro.

    Ver Todas >