close
Saúde

Calmante para cachorro é indicado em quais situações?

Atualizado · 04 de janeiro de 2022 · 18h28

Publicado · 31/12/2021 · 10h27

O calmante para cachorro é recomendado para cães que correm algum tipo de risco
O calmante para cachorro é recomendado para cães que correm algum tipo de risco

Já parou para se perguntar se existe calmante para cachorro? Como todos sabem, assim como nós, nossos amigos de quatro patas também são afetados por alguns sentimentos “humanos”, como medo, ansiedade e estresse. Em épocas mais festivas, inclusive, o medo de fogos é muito comum nesses animais. Por isso, muitos tutores acabam procurando alternativas para acalmar os seus amigos peludos.

Mas, assim como qualquer outro medicamento, o uso de calmante para cachorro não deve ser usado a não ser que seja extremamente necessário e sempre com o acompanhamento veterinário. Para entender melhor em que situações ele é recomendado e os principais cuidados, conversamos com a médica veterinária Renata Bloomfield, que é comportamentalista animal.

Calmante para cachorro: o que é e quando pode ser recomendado?

Existe calmante para cachorro, sim! Segundo Renata, pode-se usar produtos naturais, como fitoterápicos e floral para ansiedade canina, mas também existem fármacos - como antidepressivos e ansiolíticos - que atuam nos neurotransmissores do animal. “Eu costumo prescrever fármaco - ansiolítico ou antidepressivo - para cães que correm algum risco de se lesionar ou representam algum risco para a família. Questão de mordida ou cães que podem fugir, por exemplo, eu opto sempre pela medicação, além do manejo que a gente tem que fazer junto. Tem que estar tudo em conjunto”.

Já para quem pensa em oferecer calmante para cachorro que late muito ou que é muito agitado, a recomendação é buscar entender os motivos por trás desse comportamento canino. “Se ele late muito porque tem um estímulo, então não tem porque entrar com medicação para esse cão. O ideal é ensiná-lo a lidar com esse estímulo. Mas, por exemplo, se os latidos são porque o cachorro tem medo de alguma coisa ou porque se sente ameaçado de alguma forma, aí sim pode entrar com alguma coisa junto com o manejo”, orienta.

Outra questão que costuma despertar dúvida nos tutores é se é indicado dar calmante para cachorro agitado. Nesse caso, também é importante entender as necessidades do animal. Se for um filhote de cachorro, é natural que ele tenha muita energia e queira gastar isso. Então, não é indicado medicar apenas por medicar, mas sim estimular os comportamentos naturais desse animal. “Por outro lado, se é um cachorro que faz atividade física, que tem enriquecimento ambiental, tem brinquedo e continua agitado, a gente pode começar a pensar em alguma medicação, mas a princípio para cães agitados eu evito muito de entrar com medicação”, explica a veterinária.

O calmante para cães oferece algum perigo para a saúde animal?

Assim como qualquer medicamento, o calmante para cachorro exige atenção e supervisão profissional. Por mais que esses fármacos tenham o objetivo de deixar o animal equilibrado, Renata explica: “O que difere o remédio de um veneno é a dose, então temos que tomar um cuidado especial com isso. Tem medicações que exigem muita cautela para não dopar o animal, porque o propósito de um remédio - de um calmante para cães ou o que for - não é deixá-lo dopado ou dormindo. Tem também alguns remédios que tiram o apetite do pet, que deixam o cachorro com diarreia, tremedeira e outros sintomas. Então a gente tem que ter um acompanhamento do animal que faz uso dessas medicações muito de perto”.

Nas comemorações de fim de ano, muitos tutores procuram alternativas para acalmar um cachorro com medo de fogos ou que não conseguem lidar com as festividades dessa época. O grande problema é que ao procurar por um medicamento calmante para cachorro “dormir” sem a devida orientação profissional pode acabar prejudicando o bem-estar do seu doguinho. “Existem alguns remédios que tiram a resposta do animal, mas ele está acordado e sabe de tudo que acontece. Os sentidos, inclusive, ficam muito mais aflorados. Então a luz incomoda muito mais, o barulho incomoda muito mais e ele não tem como reagir a esses estímulos. O problema é que quando o animal 'acorda' e volta, se ele passar por uma situação desse tipo de novo vai ter muito mais medo. Então são medicamentos que prejudicam o animal mais do que ajudam”, esclarece Renata.

Outro ponto importante destacado pela veterinária é que, para saber qual o melhor calmante para cachorro, é recomendado fazer alguns exames para saber se o animal tem alguma doença pré-existente. Isso ajuda o profissional a definir qual será o medicamento mais indicado para o caso do seu amigo de quatro patas.

Qual raça de gato você é?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

O que você mais gosta de fazer nos momentos de lazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Se você pudesse se descrever com uma palavra, quais das opções a seguir escolheria?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Alguém te chamou para sair para um lugar inusitado, o que você pensa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica depois de dormir pouco na noite anterior?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você viajou e se perdeu em uma cidade que não conhece muito: o que passa pela sua cabeça?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Quais dessas características você procuraria em um pet?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

O que seus amigos próximos pensam sobre você?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você gosta de curtir as férias?

Question Header Background

Sua personalidade aventureira combina com o Bobtail Japonês! Você é divertido assim como o gato Siamês! Sua personalidade ranzinza combina com o gato Maine Coon! Você é preguiçoso como um gatinho Persa!
    Calmante de cachorro, seja fármaco ou fitoterápico, precisa de acompanhamento profissional
    Calmante de cachorro, seja fármaco ou fitoterápico, precisa de acompanhamento profissional

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    Calmante de cachorro: qual é a melhor forma de usar o medicamento?

    Ainda que muitas pessoas se preocupem com o Réveillon, é importante lembrar que os fogos de artifício estão presentes o ano todo em várias outras celebrações, como São João e festas religiosas, por exemplo. Além disso, existem outros barulhos que podem amedrontar um cãozinho, como raios e trovões. Por isso, a comportamentalista destaca: “Não adianta pensar em tratar um animal que tem fonofobia, que é o medo do som, somente no final do ano. A gente tem que tratar o animal o ano todo. O ideal é que a gente comece com o tratamento três semanas antes, no mínimo, do evento que o animal vai passar pra gente conseguir ajustar a dose (e mesmo assim três semanas é um período muito curto), para a medicação começar a fazer efeito”.

    Como ajustar tudo isso pode levar um tempinho, o ideal é que, ao perceber que o cachorro sofre com fonofobia, já levá-lo a um veterinário de comportamento para trabalhar esse animal ao longo do ano, e não apenas no fim do ano. “Além disso, vamos lembrar que para acalmar um cachorro com medo de fogos de artifício, a gente tem que ter outros cuidados. Preparar o ambiente, deixando-o confortável, como se fosse um ambiente de fuga para esse cão que necessita ficar ali no cantinho dele. Se começou a ter fogos, o cachorro foi para o cantinho dele, deixa ele, sabe? Não tenta tirar ele da cama, pegar ele no colo. Geralmente a caixinha de transporte ou a caminha funcionam muito, porque são lugares que ele se entoca e se sente mais confortável”, explica a veterinária.

    Calmante natural para cachorro é outra opção, mas que requer o manejo correto

    Também existem opções de calmante natural para cachorro, como o uso de ervas e chás. No entanto, é importante ter em mente que em alguns casos o fitoterápico funciona muito bem, mas há outros casos em que ele pode não adiantar. “A medicação por si só não faz milagre, então gosto muito de frisar essa parte que é a medicação - seja um fármaco ou fitoterápico - não vai funcionar sozinha. Tem que entrar com treinamento, manejo e preparar o animal para passar pelas adversidades da vida. Se funcionar, está ótimo. Se não, tem que procurar uma outra estratégia para poder manter o animal em equilíbrio”.

    Redação: Juliana Melo

    Quais são as raças de cachorro braquicefálico? Shih Tzu, Bulldogs, Pug e muito mais

    Próxima matéria

    Quais são as raças de cachorro braquicefálico? Shih Tzu, Bulldogs, Pug e muito mais

    Vitamina para cachorro: veterinária explica em quais situações os suplementos são recomendados!
    Alimentação

    Vitamina para cachorro: veterinária explica em quais situações os suplementos são recomendados!

    Quando falamos da alimentação dos nossos peludos, sempre surge aquela preocupação em relação aos nutrientes. A ração é suficiente para que se mantenham fortes e saudáveis ou é necessário inserir uma vitamina para cachorro nessa rotina? A verdade é que depende de muitos fatores e um deles é o estado geral da saúde e a idade do animal. A escolha de uma ração de qualidade é determinante para oferecer todos os nutrientes que ele precisa. Cães filhotes, idosos e cadelas prenhas, por outro lado, podem acabar precisando de um suplemento vitamínico. Para entender melhor em quais situações a vitamina para cachorro é recomendada, conversamos com a Caroline Mouco Moretti, médica veterinária e diretora clínica do Grupo Vet Popular. Veja o que a especialista falou!

    Ração para cachorro: quais os erros mais comuns na hora de alimentar um cãozinho?
    Ração

    Ração para cachorro: quais os erros mais comuns na hora de alimentar um cãozinho?

    É normal cometer alguns erros quando se trata da alimentação do cachorro, principalmente no caso de quem nunca teve um bichinho de estimação antes. Com o tempo e as orientações do veterinário, o tutor geralmente aprende o que o cão pode ou não pode comer, qual melhor ração para cachorro e a quantidade certa de comida que deve ser oferecida para o pet no dia a dia. O perigo é quando esses erros continuam acontecendo, porque isso pode acabar prejudicando a saúde do cachorro futuramente.

    Creche para cachorro: entenda o serviço, quando é necessário e quais são os benefícios para o seu cão
    Cuidados

    Creche para cachorro: entenda o serviço, quando é necessário e quais são os benefícios para o seu cão

    Os cães são animais que, na maior parte do tempo, não gostam de ficar sozinhos - afinal, antes de serem domesticados, eles viviam livres em matilhas. Com a vida urbana, muitos cães acabam não recebendo os estímulos adequados para gastar energia e socializar com outros animais e pessoas. Para auxiliar a vida do tutor, que nem sempre consegue estar perto de seu pet durante o dia, existem muitas alternativas. Uma delas é a creche para cachorro: uma acomodação diária em que você pode deixar seu amigo em um lugar totalmente adaptado para cães.

    Cachorro para apartamento: do pug ao yorkshire, saiba quais são as raças mais indicadas
    Pequenos

    Cachorro para apartamento: do pug ao yorkshire, saiba quais são as raças mais indicadas

    Ao contrário do que muita gente imagina, ter um cãozinho morando em espaços pequenos é completamente possível. Escolher um cachorro para apartamento é uma tarefa que deve levar em consideração os hábitos e costumes do animal mas, principalmente, seu tamanho — isso vai garantir que ele se sinta confortável em casa. Assim como acontece com os animais de porte grande, as raças de cachorro pequeno são inúmeras e você pode escolher a ideal para a sua rotina de acordo com a personalidade e as necessidades do pet. Para auxiliar nesse momento, o Patas da Casa escolheu as melhores raças para viver em apartamento: dá uma conferida!

    Ver Todas >

    Mordida de cachorro: o que fazer ao ser atacado por um cão?
    Saúde animal

    Mordida de cachorro: o que fazer ao ser atacado por um cão?

    Levar uma mordida de cachorro é sempre uma situação inesperada. Seja de um animal desconhecido ou do seu próprio pet, um ataque pode ser muito perigoso. Pela mordida, o cachorro pode transmitir muitas doenças ao homem, sejam infecções mais brandas ou doenças graves, como a raiva. Como não podemos prever que um cão vai nos atacar, é importante estar sempre preparado. 

    Pancreatite canina: como é a recuperação da doença?
    Saúde animal

    Pancreatite canina: como é a recuperação da doença?

    Quando o cachorro desenvolve pancreatite canina, é muito importante começar a tratar desde cedo. A doença é considerada uma das mais comuns que atingem o sistema digestivo do cachorro, além de uma das mais graves. A pancreatite no cachorro acomete o pâncreas e debilita todo o sistema digestivo, trazendo sintomas bem desconfortáveis ao animal. A demora no diagnóstico pode acabar levando o animal a óbito. O cachorro com pancreatite canina precisa iniciar o tratamento o quanto antes para conseguir se recuperar. 

    Dente de gato: como preservar a saúde bucal do seu felino?
    Saúde animal

    Dente de gato: como preservar a saúde bucal do seu felino?

    A pasta e a escova de dente para gatos são os principais aliados para a boa higiene bucal dos felinos. Escovar os dentes do gato evita doenças, previne o mau hálito e preserva os dentinhos. Seja quando o gato troca de dente ou quando já é um bichano idoso, a dentição felina requer cuidados especiais em todas as fases da vida. Saber como escovar os dentes do gato corretamente é o primeiro passo para garantir a higiene bucal, além de uma alimentação balanceada. 

    Giárdia canina: como funciona a vacina contra a doença?
    Saúde animal

    Giárdia canina: como funciona a vacina contra a doença?

    A giárdia canina é uma doença infecciosa causada por um protozoário que pode acometer cães, gatos e seres humanos. Essa zoonose ocorre quando o cachorro ingere cistos do protozoário, que podem estar presentes na água e alimentos. Além disso, como os cachorrinhos são animais que usam a boca para diversas funcionalidades, é possível que o pet colete o parasita lambendo um brinquedo, bebendo água de uma poça ou mastigando algum objeto. Ficar de olho em como prevenir a doença é muito importante, visto que a giárdia em cães é transmitida para outros animais com facilidade. 

    Ver Todas >