Se você convive ou já conviveu com felinos, com certeza, sabe o que é um “banho de gato” — autolimpeza dos bichanos que é conduzida pela própria língua do gato. No ditado popular, a expressão é usada para descrever um banho apressado e sem muita atenção. Porém, quando o assunto é a rotina de higiene dos gatos, a realidade é bem diferente!

Seu gato gosta mais de comida, sonecas ou de você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Os felinos aprendem a se lamber logo nas primeiras semanas de vida, seguindo o exemplo da mãe, que usa a língua para limpar os filhotes e estimular a urina e as fezes. O comportamento é uma característica marcante dos bichanos e os acompanha por toda a fase adulta. Para entender melhor o que tem a língua do gato de tão especial e descobrir mais detalhes sobre o processo de autolimpeza dos felinos, continue lendo! O Patas da Casa reuniu 5 curiosidades que você, provavelmente, não sabe sobre o famoso “banho de gato”. 

1) A língua do gato tem a anatomia ideal para a autolimpeza 

Você já se perguntou por que a língua do gato é áspera? Se sim, prepare-se para descobrir agora! Esta parte do corpo dos felinos tem a textura áspera porque possui em sua superfície estruturas chamadas papilas filiformes —— pequenas espículas de queratina que é uma proteína bastante resistente. É daí que vem aquela sensação de que existem “espinhos” na língua do gato, sabe? 

São as papilas filiformes que armazenam a saliva e tornam a autolimpeza dos felinos tão eficiente. Não à toa que, segundo um artigo publicado no Cornell Feline Health Center, os bichanos passam entre 30 e 50% de seu tempo acordado se lambendo (e/ou lambendo outros gatinhos que residem no mesmo ambiente). 

Os tutores raramente precisam intervir para complementar a rotina de higiene do pet. Portanto, se você ainda tinha dúvidas em relação a quando se deve dar banho no gato, saiba que a resposta é: quase nunca!

2) “Banho de gato” ajuda a higienizar possíveis feridas 

Os felinos são, sim, animais higiênicos. No entanto, o hábito de se lamber não está relacionado única e exclusivamente à vontade dos bichanos de se manterem limpinhos. O “banho de gato” também serve para amenizar o incômodo causado por alergias e feridas na pele do gato —— o que é útil na hora de se livrar do sangue e de outras impurezas, mas deve ser feito com moderação. As lambidas excessivas podem gerar irritações e inflamações na pele do gatinho e piorar o machucado. Portanto, nestes casos, é fundamental que o tutor acompanhe de perto. 

"Banho de gato" lubrifica e controla a temperatura do felino

3) O “banho de gato” também serve para controlar a temperatura e lubrificar a pele do felino

Outras funções do “banho de gato”, que vão além da higiene, são: controle da temperatura e lubrificação. O que isso significa? É simples! O banho com a língua do gato ajuda a diminuir a temperatura do corpo do bichano em dias quentes e, de quebra, estimula a produção de óleo pelas glândulas sebáceas. Assim, eles ficam mais protegidos contra agressores externos, incluindo poeira e parasitas. Só vantagens, né?

4) “Banho de gato” ainda é prazeroso e contribui para a formação de laços entre os felinos

Assim como acontece com os humanos, alguns hábitos felinos proporcionam prazer e bem-estar aos bichanos. O “banho de gato” é um ótimo exemplo disso! As lambidas e leves mordidinhas provocam uma sensação positiva nos gatos, que, não por acaso, estendem a cortesia a outros bichinhos e até mesmo aos tutores como uma forma de demonstrar afeto. Esse comportamento é mais do que bem-vindo e ainda ajuda a fortalecer os laços entre os pets da casa.

5) “Banho de gato” é natural, mas pode se tornar obsessivo  

O “banho de gato” não apenas é um comportamento natural, como também é uma marca registrada dos felinos. Entretanto, quando o gato passa a se lamber obsessivamente, é importante buscar a avaliação de um veterinário. O transtorno pode estar associado a diversos motivos, desde o gato estressado, ansiedade e outros problemas emocionais, até doenças, como alergias e infecção por parasitas. 

Além de fazer o diagnóstico correto e recomendar o tratamento adequado, o veterinário pode esclarecer outras dúvidas comuns entre os tutores em relação à limpeza dos bichanos, como: “O que é preciso para dar banho em gato?”, “Quanto é para dar banho em gato?”, entre outras. Sempre aproveite ao máximo a consulta para perguntar tudo!