Saúde

Anestesia para cachorro: quais os riscos e efeitos? Injetável ou inalatória?

Entenda os efeitos da anestesia para cachorro e como funciona!
Entenda os efeitos da anestesia para cachorro e como funciona!

A anestesia para cachorro é necessária para realizar uma série de procedimentos médicos. A castração de cachorro e outras cirurgias só são feitas com a sedação completa do animal para evitar que ele sinta qualquer desconforto. Até mesmo os procedimentos mais simples precisam da anestesia: diferente dos humanos, não é possível deixar um cachorro totalmente imóvel para fazer uma limpeza de dentes, por exemplo. Contudo, a anestesia para cachorro gera muitas dúvidas e assusta até mesmo os tutores mais experientes. Qual a melhor opção: anestesia injetável ou inalatória? Cachorro pode ter complicações por causa dos componentes da anestesia? Quais cuidados são necessários quando o cão é idoso?

Anestesia em cachorro: efeitos e riscos do procedimento

Por mais que seja necessária em alguns momentos, é importante entender os riscos e efeitos da anestesia em cachorro. O objetivo dessa técnica é manter os animais desacordados e imóveis durante o procedimento em questão - que pode ser desde uma simples castração ou limpeza de tártaro até uma situação de emergência, como em caso de acidentes. Em casos menos invasivos, como retirada de suturas, há a opção de aplicar somente uma anestesia local, sem a necessidade de fazer o animal adormecer, mas tudo depende do comportamento do cachorro.

Antes de tudo, é sempre muito importante procurar uma clínica veterinária que seja qualificada e capaz de lidar com qualquer complicação. Isso porque existem, sim, alguns riscos na aplicação da anestesia em cachorro - ainda mais se for injetável. O anestésico atua, principalmente, no sistema nervoso central do cachorro, o que pode desencadear situações como mudanças na oxigenação do corpo, arritmias, alteração da pressão arterial e até hipotermia. Em outros casos, o cachorro pode ter uma reação inesperada aos componentes do anestésico. 

Os riscos disso acontecer são muito baixos, até porque os veterinários tomam algumas medidas para evitar complicações ou agir rapidamente caso algo aconteça. Ainda assim é importante saber que existem perigos. A anestesia para cachorro também pode gerar reações no pós-operatório, como enjoo, tosse e prostração. Caso isso aconteça, é importante acionar o veterinário responsável pela cirurgia para orientações.

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

question quiz stamp

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

Question Header Background
question quiz stamp

As crises alérgicas costumam acontecer:

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Question Header Background
question quiz stamp

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Question Header Background
question quiz stamp

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

Question Header Background
question quiz stamp

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

Question Header Background

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    A anestesia para cachorro é necessária mesmo em procedimentos simples, como a limpeza de tártaro
    A anestesia para cachorro é necessária mesmo em procedimentos simples, como a limpeza de tártaro

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Anestesia injetável ou inalatória? Qual a melhor opção para o seu cãozinho?

    Essa é uma pergunta que pode gerar muitas dúvidas, então vamos lá! A anestesia injetável para cães é a mais tradicional, onde o cãozinho recebe o anestésico por meio de cateter intravenoso. Ou seja, é aplicado por meio de uma agulha que joga a anestesia direto na corrente sanguínea do paciente, fazendo-o adormecer em seguida. Na anestesia inalatória, cachorro precisa inalar o medicamento por meio de uma entubação. É uma opção mais fácil de controlar, visto que o anestesista tem o poder de aumentar ou diminuir a intensidade da anestesia caso haja necessidade.

    No geral, as pessoas costumam preferir o modelo injetável, principalmente por causa do seu baixo custo, mas é importante destacar que a anestesia inalatória pode ser a melhor alternativa em casos específicos. Alguns exemplos que são recomendados para esse segundo tipo de anestesia: cachorro idoso, obeso, com problemas cardiológicos ou histórico de doenças. Se o seu cãozinho fizer parte de algum desses grupos, vale considerar a opção inalatória por segurança.

    A anestesia em cachorro injetável é muito mais acessível, e é justamente por isso que muitos tutores acabam optando por ela. Mas, embora seja mais cara, a anestesia inalatória para cachorro é uma opção muito mais segura, já que ao qualquer sinal de complicação, é possível reduzir o fármaco inalado pelos cães e reverter a situação. 

    Redação: Juliana Melo

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Próxima matéria

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Ração para cachorro: quais os erros mais comuns na hora de alimentar um cãozinho?
    Ração

    Ração para cachorro: quais os erros mais comuns na hora de alimentar um cãozinho?

    É normal cometer alguns erros quando se trata da alimentação do cachorro, principalmente no caso de quem nunca teve um bichinho de estimação antes. Com o tempo e as orientações do veterinário, o tutor geralmente aprende o que o cão pode ou não pode comer, qual melhor ração para cachorro e a quantidade certa de comida que deve ser oferecida para o pet no dia a dia. O perigo é quando esses erros continuam acontecendo, porque isso pode acabar prejudicando a saúde do cachorro futuramente.

    Creche para cachorro: entenda o serviço, quando é necessário e quais são os benefícios para o seu cão
    Cuidados

    Creche para cachorro: entenda o serviço, quando é necessário e quais são os benefícios para o seu cão

    Os cães são animais que, na maior parte do tempo, não gostam de ficar sozinhos - afinal, antes de serem domesticados, eles viviam livres em matilhas. Com a vida urbana, muitos cães acabam não recebendo os estímulos adequados para gastar energia e socializar com outros animais e pessoas. Para auxiliar a vida do tutor, que nem sempre consegue estar perto de seu pet durante o dia, existem muitas alternativas. Uma delas é a creche para cachorro: uma acomodação diária em que você pode deixar seu amigo em um lugar totalmente adaptado para cães.

    Pug com alergia: saiba quais os tipos mais comuns da raça de cachorro pequeno
    Saúde

    Pug com alergia: saiba quais os tipos mais comuns da raça de cachorro pequeno

    Há quem pense que todos os cães enfrentam o mesmo tipo de problemas ao longo da vida, mas não é bem assim. Algumas raças de cachorro têm detalhes muito característicos na anatomia que favorecem o desenvolvimento de condições específicas. Uma prova disso são os casos de alergias em Pugs: por causa das dobrinhas e rugas que têm pelo corpo, eles acabam tendo uma propensão maior a desenvolver diferentes tipos de dermatites alérgicas. Por isso, ao dar as boas-vindas a um Pug na sua casa, o ideal é que você saiba o que pode causar essas alergias e como reagir caso o seu animalzinho apareça com algo do tipo. Hoje, o Patas da Casa vai ao seu socorro: descubra, aqui embaixo, mais sobre esse problema!

    Rottweiller: quais os cuidados mais importantes com a raça de cachorro grande?
    Grandes

    Rottweiller: quais os cuidados mais importantes com a raça de cachorro grande?

    O Rottweiler é uma das raças de cachorro grande que mais fazem sucesso, principalmente por conta da fama de durão e de bom guardião. Por trás do porte robusto e da aparência intimidante, existe um cãozinho muito dedicado e devoto à sua família, sempre pronto para protegê-la. Alguns encaram isso como agressividade e acreditam que a raça tem um temperamento difícil de lidar, mas se for bem treinado e bem cuidado, o Rottweiler pode desenvolver um comportamento muito tranquilo e carinhoso.

    Ver Todas >

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes
    Saúde animal

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes

    A síndrome de wobbler é uma doença que afeta principalmente raças de cachorro de grande porte. Ela atinge as vértebras e a medula espinhal do cachorro, desencadeando problemas neurológicos e de locomoção. O tratamento precisa ser o mais rápido possível, pois a síndrome de wobbler pode avançar para estágios mais graves e trazer consequências sérias ao animal. .

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber
    Saúde animal

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber

    A cadela no cio pode ser um momento delicado tanto para o tutor como para o pet. O período acaba gerando muitas curiosidades e dúvidas como: “com quantos meses a cadela entra no cio?” ou “de quanto em quanto tempo a cadela entra no cio?”. Saber as respostas para todos esses questionamentos vai ajudar o tutor do cachorro a lidar com o período. 

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT
    Saúde animal

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT

    O tumor venéreo transmissível, que também é chamado de TVT, tumor de Sticker ou sarcoma infeccioso, é uma neoplasia pouco conhecida pelos pais de pets. Esse problema de saúde costuma ser mais comum em animais abandonados, mas nada impede que cachorros que vivam em apartamento sejam infectados pela doença venérea. O TVT em cães é grave e fácil de ser transmitido.

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos
    Saúde animal

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos

    Muitas podem ser as causas de um gato tossindo, desde uma bola de pelo presa na garganta até uma alergia a alguma substância que ele teve contato. Porém, na maioria dos casos, o gato com tosse é sinal de problema respiratório - que pode ser leve, como uma gripe simples, ou grave, como uma pneumonia. Dentre as doenças respiratórias que mais acometem os bichanos, a bronquite felina é uma das que precisam de mais atenção. 

    Ver Todas >