Diarreia

5 dicas para prevenir a giárdia em cães

A giárdia em cães pode ser prevenida com práticas simples. Veja algumas dicas!
A giárdia em cães pode ser prevenida com práticas simples. Veja algumas dicas!

A giárdia em cães é uma infecção intestinal causada pelo protozoário Giardia lamblia, que pode afetar diversas espécies de mamíferos, incluindo cães e humanos. A zoonose é causada quando há a ingestão de cistos desse protozoário pelo animal. O seu bichinho pode pegar giardíase bebendo água ou comendo algo que foi contaminado por fezes, como grama, alimentos e objetos. Como os cachorros costumam morder e colocar muitas coisas na boca ao longo do dia, há diversas maneiras de coletar o parasita no ambiente, seja mastigando um brinquedo, lambendo matéria fecal ou bebendo água de uma poça.

Uma vez que seu cão ingeriu os cistos da giárdia, os parasitas maduros, conhecidos como trofozoítos, infectam o intestino delgado. Eles crescem, multiplicam-se e são eliminados juntos com as fezes. Com isso, o parasita pode se espalhar de animal para animal, já que um hospedeiro desavisado pode ingerir um item contaminado e reiniciar o ciclo de vida dos trofozoítos. Por isso, é importante ficar de olho nos métodos de prevenção e deixar a casa sempre limpa.

Giárdia em cães: sintomas incluem diarreia e vômito

A giardíase em cães é o termo para a doença causada pela infecção e, como nos humanos, o sintoma mais comum é diarreia, que pode ser intermitente ou contínua. A falha no diagnóstico e tratamento da enfermidade pode levar a uma grave perda de peso e até à morte em casos extremos. A doença é particularmente perigosa para filhotes, cães idosos e animais com sistema imunológico comprometido.

Com a giárdia, os cachorros podem apresentar outras manifestações clínicas além da diarreia, como vômito, dor abdominal, falta de apetite, fraqueza, depressão e desidratação. Fezes pastosas com forte odor, acompanhados de sangue ou não, também são outros indícios para você ficar alerta.

5 dicas para prevenir a giárdia em cachorro

Com a giardíase canina, a expressão “melhor prevenir do que remediar” se aplica perfeitamente bem. Embora nem sempre seja possível controlar todos os passos e aspectos do ambiente dos cães, há alguns cuidados que os tutores podem ter para impedir que a giárdia afete o animal. Confira, a seguir, 5 dicas para prevenir a giárdia em cachorro.

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

question quiz stamp

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

Question Header Background
question quiz stamp

As crises alérgicas costumam acontecer:

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Question Header Background
question quiz stamp

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Question Header Background
question quiz stamp

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

Question Header Background
question quiz stamp

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

Question Header Background

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    Giárdia: cachorro pode contrair a doença depois de ingerir água contaminada em poças
    Giárdia: cachorro pode contrair a doença depois de ingerir água contaminada em poças

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    1. Giárdia: cachorro deve ter sempre água limpa disponível

    Certifique-se que o seu animal tenha água limpa e fresca o tempo todo. Mesmo que haja um controle de qualidade por parte das companhias de abastecimento, a água de torneira não é apropriada para o consumo dos pets. Portanto, invista em um filtro que comprovadamente mata os cistos da giárdia ou ofereça água mineral. Você também pode ferver a água. Ao levar o cachorro para passeios em parques e praias, sempre leve uma garrafinha com água filtrada para oferecer ao animal. Isso evitará que ele beba água de poças infectadas, além de ser essencial para a saúde geral do cão

    2. Recolha as fezes do cachorro o mais rápido possível

    Para evitar a disseminação da giárdia, assim como de outros parasitas, pegue imediatamente as fezes deixadas pelo seu cão e jogue-as no lixo. Se o animal já tiver o protozoário, ele pode liberar o cisto pelas fezes e ingerir, contraindo novamente a infecção. Evite contato com bolo fecal usando luvas, uma pá ou sacola plástica sobre a mão. Depois, limpe o local com produtos adequados.

    3. Redobre a atenção na hora do passear com o cachorro

    Durante o passeio com seu cachorro, fique de olho para que ele não coma nada que esteja no chão. É importante também impedir que ele beba água de áreas onde outros animais possam ter deixado as suas fezes. Na rua, espaços onde muitos animais circulam podem reunir grandes quantidades de fezes. O parque para cães, por exemplo, pode ser um terreno fértil para a giárdia.

    4. Lave as mãos e tire seus sapatos ao chegar em casa

    Só quem tem um cão sabe que o bichinho faz uma tremenda festa quando vê o seu tutor chegando em casa. Porém, antes de responder ao carinho dele, lave bem as suas mãos, que podem ter tocado alguma coisa contaminada na rua. O mesmo pode acontecer com os sapatos. Ao chegar, tire seus calçados na porta e troque por um chinelo. 

    5. Vacina giárdia canina: a melhor proteção para o seu bichinho

    Para que o seu peludo de quatro patas fique sempre protegido, a vacinação para cachorro é uma forte aliada na prevenção da giárdia e na diminuição da eliminação de cistos nas fezes. Com isso, há a redução da contaminação do ambiente, minimizando a chance de infecção em cães, outros animais domésticos e humanos. A vacina para giárdia deve ser aplicada a partir de oito semanas de idade, com um intervalo de 21 a 28 dias entre as duas primeiras doses. A imunização precisa de reforço anual. 

    Agora que você já sabe o que é giárdia em cães e conhece os principais métodos de prevenção, não deixe de proteger o seu animalzinho da doença. Converse com um veterinário de confiança para que ele possa fornecer mais informações sobre a vacina e indicar exames de rotina para acompanhamento geral do animal. 

    Redação: Guilherme Segal

     

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Próxima matéria

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir
    Saúde

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir

    Assim como nos cães, a Giárdia em gatos é uma zoonose muito comum. Os felinos, então, não estão imunes a contrair essa doença, que muitas vezes passa despercebida ao ser confundida com uma simples diarreia. Por isso, é muito importante prestar atenção aos sintomas da giárdia em gatos e, também, buscar formas de prevenir a contaminação. Para esclarecer mais as dúvidas quanto ao assunto, conversamos com a médica veterinária Carolina Mouco Moretti, que é diretora geral do Hospital Veterinário Vet Popular, de São Paulo.

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!
    Diarreia

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!

    A giárdia em cães ou giardíase, como é conhecida a doença, é uma zoonose — ou seja: também pode ser transmitida para humanos — causada por um protozoário que age na corrente sanguínea do cachorro contaminado. A partir do contágio, a giárdia causa uma série de alterações gástricas no animal. Mesmo que tenha cura, a giárdia canina pode matar se não for devidamente tratada. Para esclarecer diferentes dúvidas, como contágio, tratamento e as diferentes formas de prevenção da doença, conversamos com o veterinário Thiago Félix, de Brasília. Dá uma olhada!

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?
    Saúde

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?

    O reiki é uma terapia holística muito comum entre os humanos, mas você sabia que o seu pet também pode aproveitar os benefícios desse tratamento? O reiki veterinário é uma técnica de cura pelas mãos que busca alinhar os centros de energia do corpo - chamados de chakras -, promovendo o equilíbrio energético do corpo e melhorando a saúde física, mental e espiritual do animal. Que tal entender como o reiki pode ajudar na hora de cuidar de cachorro e até a melhorar o comportamento do gato? Vem que a gente te explica tudo que você precisa saber sobre o assunto!

    Como ganhar a confiança de um cachorro? Veja dicas para se aproximar de cães desconhecidos
    Cuidados

    Como ganhar a confiança de um cachorro? Veja dicas para se aproximar de cães desconhecidos

    Adotar um cachorro é sempre um desafio tanto para os humanos, que precisam adaptar a casa para receber o novo hóspede, quanto para o cãozinho, que ainda precisa de um tempo para se acostumar com o ambiente e com sua nova família. No caso de cães abandonados e que foram resgatados por ONGs ou outras instituições, ganhar a confiança do doguinho nem sempre é uma tarefa fácil - principalmente se tratando de um cachorro medroso ou traumatizado. 

    Ver Todas >

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes
    Saúde animal

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes

    A síndrome de wobbler é uma doença que afeta principalmente raças de cachorro de grande porte. Ela atinge as vértebras e a medula espinhal do cachorro, desencadeando problemas neurológicos e de locomoção. O tratamento precisa ser o mais rápido possível, pois a síndrome de wobbler pode avançar para estágios mais graves e trazer consequências sérias ao animal. .

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber
    Saúde animal

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber

    A cadela no cio pode ser um momento delicado tanto para o tutor como para o pet. O período acaba gerando muitas curiosidades e dúvidas como: “com quantos meses a cadela entra no cio?” ou “de quanto em quanto tempo a cadela entra no cio?”. Saber as respostas para todos esses questionamentos vai ajudar o tutor do cachorro a lidar com o período. 

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT
    Saúde animal

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT

    O tumor venéreo transmissível, que também é chamado de TVT, tumor de Sticker ou sarcoma infeccioso, é uma neoplasia pouco conhecida pelos pais de pets. Esse problema de saúde costuma ser mais comum em animais abandonados, mas nada impede que cachorros que vivam em apartamento sejam infectados pela doença venérea. O TVT em cães é grave e fácil de ser transmitido.

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos
    Saúde animal

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos

    Muitas podem ser as causas de um gato tossindo, desde uma bola de pelo presa na garganta até uma alergia a alguma substância que ele teve contato. Porém, na maioria dos casos, o gato com tosse é sinal de problema respiratório - que pode ser leve, como uma gripe simples, ou grave, como uma pneumonia. Dentre as doenças respiratórias que mais acometem os bichanos, a bronquite felina é uma das que precisam de mais atenção. 

    Ver Todas >