close
Saúde

Síndrome vestibular canina: veterinário neurologista explica tudo sobre o problema que afeta os cães

Atualizado · 16 de fevereiro de 2022 · 18h15

Publicado · 16/02/2022 · 17h43

A síndrome vestibular canina é um quadro que afeta o equilíbrio e orientação espacial dos cães
A síndrome vestibular canina é um quadro que afeta o equilíbrio e orientação espacial dos cães

Já ouviu falar na síndrome vestibular canina? Trata-se de um distúrbio neurológico que afeta a orientação espacial e equilíbrio dos cachorros, e pode ser decorrente de traumas, infecções, condições vasculares e até mesmo de uma simples otite canina. Os sinais da síndrome vestibular em cães não costumam passar despercebidos, principalmente porque é algo que deixa o animal desequilibrado, com andar cambaleante e sem noção espacial.

Mas, afinal, o que caracteriza esse problema neurológico? Cachorro precisa de cuidados especiais e pode se recuperar do quadro? Quais são os sintomas da síndrome vestibular canina que precisam de atenção? Para desvendar tudo sobre essa condição, conversamos com o médico veterinário Roberto Siqueira, que é especialista em neurologia de pequenos animais. Confira abaixo o que ele nos contou!

O que é o sistema vestibular canino?

Antes de saber o que é exatamente a síndrome vestibular, é necessário entender o sistema vestibular e sua função como um todo. Localizado no sistema nervoso do cachorro, Roberto destaca que o sistema vestibular se limita em duas vias: as periféricas e centrais. “As vias periféricas se limitam a um conjunto de estruturas localizado na orelha média e orelha interna e as vias centrais estão localizadas principalmente no tronco encefálico e região caudal do cerebelo”.

E para que serve esse sistema, afinal de contas? O especialista explica: “O sistema vestibular tem a importante função de manter a posição espacial normal dos olhos, cabeça, tronco e membros relativa ao campo gravitacional, mesmo com mudanças na aceleração rotatória e linear ou inclinação do corpo.” Ou seja, de uma maneira geral, o sistema vestibular serve para orientar os cães em relação ao espaço e à gravidade, sendo responsável também pelo equilíbrio canino.

Síndrome vestibular em cães: entenda o que é e como o problema se desenvolve

Como o próprio nome já diz, a síndrome vestibular canina refere-se a um conjunto de sinais clínicos ou doenças que atingem o sistema vestibular e, consequentemente, afetam a manutenção do equilíbrio e orientação normal do indivíduo. O quadro pode ter diferentes causas associadas, como também se manifestar a partir de causas desconhecidas. Nesse segundo caso, ele é chamado de síndrome vestibular idiopática canina.

“A síndrome vestibular em cães é considerada um sintoma ou uma região do sistema nervoso periférico ou central que foi acometido por uma doença ou patologia. Dentre elas as mais frequentes são otite canina média/interna e síndrome vestibular idiopática canina - ou seja, sem causa definida - na síndrome vestibular periférica; e neoplasias, doenças inflamatórias/infecciosas, deficiência de tiamina, condições vasculares, traumáticas e tóxicas na síndrome vestibular central. Essa disfunção neurológica é observada com relativa frequência na clínica de pequenos animais podendo ser de origem genética ou não”.

Síndrome vestibular e labirintite em cachorro: qual a relação entre os dois quadros?

Assim como acontece com os humanos, o cachorro tem labirintite e muitas vezes os sinais acabam se confundindo com a síndrome vestibular canina, mas não necessariamente são a mesma coisa. De acordo com o neurologista, existe uma lógica para relacionar um quadro com o outro, mas também é possível observar diferenças: “Podemos relacionar a síndrome vestibular periférica com a labirintite devido ao fato de que o labirinto está localizado na região de orelha interna. A diferença é que a síndrome vestibular é uma síndrome que envolve a região periférica e central, enquanto a labirintite envolve apenas a região de orelha interna do sistema vestibular periférico”.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria o seu domingo perfeito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica em um dia de chuva?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria a viagem ideal nas férias?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você costuma encontrar os amigos?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua rotina matinal?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua agenda no fim de semana?

Question Header Background

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    A síndrome vestibular em cães se manifesta com o "head tilt", que é a inclinação da cabeça
    A síndrome vestibular em cães se manifesta com o "head tilt", que é a inclinação da cabeça

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    Síndrome vestibular canina: sintomas para ficar atento

    Como este é um problema neurológico em cachorro que afeta significativamente o equilíbrio do animal, os tutores logo notam algumas alterações no comportamento canino que indicam que há algo de errado com o pet. Andar cambaleando, manter a cabeça fora do eixo normal em posição inclinada e até mesmo tremores podem ser percebidos nesses casos. Por isso, se seu cachorrinho tende a ficar com a cabecinha de lado e parece estar desorientado ao caminhar pela casa, vale redobrar a atenção com ele.

    Para não restarem dúvidas, os principais sintomas que são associados com a síndrome vestibular em cães são:

    • Head tilt (inclinação da cabeça)
    • Nistagmo (movimento involuntário dos olhos, podendo ser horizontal, vertical ou rotatório)
    • Estrabismo
    • Ataxia vestibular (perda de equilíbrio que pode resultar em vertigem e náusea)
    • Síndrome de Horner (quadro que deixa a pálpebra caída)
    • Paralisia facial
    • Déficits proprioceptivos
    • Sonolência
    • Alterações cerebelares

    Para distinguir a síndrome vestibular canina periférica e central, Roberto diz que uma das formas de diferenciar uma da outra é pelos sintomas observados em cada quadro. Enquanto algumas manifestações são mais comuns na síndrome periférica - como náuseas, quedas e rolamentos -, outras estão mais presentes na síndrome vestibular central - como sonolência, alteração do estado mental e sinais cerebelares (região do encéfalo responsável pela manutenção do equilíbrio e postura, controle do tônus muscular, ajustes dos movimentos corporais e aprendizagem motora).

    De toda forma, uma avaliação médica é fundamental nessas horas, pois somente um profissional qualificado e, preferencialmente especializado em neurologia veterinária, poderá diagnosticar corretamente o estado do paciente. 

    Como é feito o diagnóstico da síndrome vestibular canina? 

    Se houver qualquer suspeita de algum problema neurológico em cachorro, independentemente de ser a síndrome vestibular ou não, o mais recomendado é buscar auxílio médico o mais rápido possível. Quanto antes a doença for detectada, melhor será o prognóstico. “O diagnóstico é realizado através do exame físico neurológico, anamnese detalhada e exames complementares e neuroimagem como:

    • Exame de sangue em cachorro (hemograma)
    • Exame bioquímico 
    • Sorologias
    • PCR
    • Exames hormonais
    • Análise do líquido cefalorraquidiano
    • Otoscopia
    • Radiografia
    • Tomografia computadorizada
    • Ressonância magnética”

    É por meio da análise deste conjunto de exames que o médico neurologista poderá definir o diagnóstico, e indicar a melhor forma de lidar com o problema.

    Por ser um problema neurológico em cachorro, o ideal é buscar médicos especializados no assunto
    Por ser um problema neurológico em cachorro, o ideal é buscar médicos especializados no assunto

    A síndrome vestibular canina tem tratamento?

    Sim, é possível tratar esse tipo de problema neurológico. Cachorro precisa, nesses casos, ter a causa primária definida para que o resultado seja efetivo. Ou seja, se a causa for um quadro de otite canina, o medicamento indicado vai corresponder ao tratamento da otite, como antibióticos ou anti-inflamatórios. Por outro lado, também é possível ter um tratamento paliativo, que é direcionado aos sintomas para evitar possíveis desconfortos no seu animal de estimação. 

    É o que diz Roberto: “O tratamento está relacionado com a causa primária. No entanto, temos a possibilidade de incluir um tratamento de base que podemos empregar em qualquer causa, a fim de melhorar os sinais mais incômodos para cachorro, como o uso de bloqueadores de canais de cálcio ou medicamentos anticolinérgicos, com objetivo de diminuir as vertigens e os vómitos”.

    Mesmo sabendo disso, vale destacar que a automedicação não deve ser considerada. Ainda que a intenção seja boa, essa é uma atitude que pode prejudicar o seu amigo de quatro patas ao invés de ajudá-lo. Para garantir a boa recuperação do cão, é indispensável seguir todas as orientações passadas pelo médico veterinário de confiança. 

    Outro ponto importante é que, no caso de síndrome vestibular idiopática canina, apenas o tratamento de base costuma ser recomendado, visto que não é possível identificar a causa do problema. Os sintomas, inclusive, costumam regredir por conta própria, então o único cuidado deve ser evitar que o cachorro se movimente demais enquanto os sintomas estiverem muito acentuados.

    Existe alguma forma de prevenir a síndrome vestibular em cães?

    Essa é uma dúvida comum nos pais de pet, e a principal dica é ter cuidado com as doenças de base, prevenindo-as (o que consequentemente é uma forma de prevenir a síndrome vestibular canina). “O ideal é evitar a causa de base. Por exemplo, as principais causas da síndrome vestibular periférica são as otites média ou interna, então é importante ter um cuidado especial com esse tipo de problema”.

    Nesse sentido, vale destacar que as orelhas do cachorro precisam de atenção para não haver qualquer inflamação local. O tutor deve limpar o ouvido do cachorro regularmente com produtos específicos para cães e que sejam indicados por um profissional. Também é importante que haja um acompanhamento periódico para se certificar de que está tudo bem com a saúde do seu pet.

    Além disso, o médico veterinário acrescenta: “Sempre que observar qualquer sintoma relacionado a problemas neurológicos procurar um médico veterinário neurologista, porque quando as síndromes vestibulares - ou qualquer outra doença - são diagnosticadas rapidamente, de forma precoce e em estágio inicial, é muito mais fácil de ser tratado com êxito, em relação às doenças já avançadas”.

    Redação: Juliana Melo

    Anatomia felina: tudo sobre a respiração do gato, funcionamento do sistema respiratório, gripe em gatos e mais

    Próxima matéria

    Anatomia felina: tudo sobre a respiração do gato, funcionamento do sistema respiratório, gripe em gatos e mais

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro
    Grandes

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro

    O Galgo Afegão, também chamado de Afghan Hound, é um cachorro originário do Oriente Médio com aparência exótica e charmosa, difícil de passar despercebido. O que poucas pessoas sabem é que, por trás da postura elegante e independente do cão Afegão, existe um ótimo companheiro de quatro patas, cheio de energia para gastar e amor para dar. Mas o que é necessário saber sobre essa raça de cachorro antes de comprar ou adotar um exemplar? Como é a personalidade do Afghan Hound e que cuidados são necessários com o cãozinho? 

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana
    Grandes

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana

    Um dos cãezinhos mais surpreendentes é o Cane Corso. Embora ele não seja tão popular quanto outras raças de cachorro grande, como o Labrador e o Golden Retriever, o Cane Corso é dono de um enorme coração e tem uma personalidade incrível. Algumas pessoas podem até se intimidar com o tamanho e a postura imponente do doguinho, mas só quem convive com um Cane Corso sabe como estes cães são adoráveis e carinhosos.

    Vira-lata: tudo o que você precisa saber sobre os cães sem raça definida (SRD)
    Adoção

    Vira-lata: tudo o que você precisa saber sobre os cães sem raça definida (SRD)

    O vira-lata é o cachorro mais querido e presente nos lares brasileiros. E não é pra menos, né? Esperto, brincalhão e cheio de amor para dar, ele é um ótimo candidato a transformar a sua casa em um lugar mais divertido e, de quebra, ser um companheiro para todas as horas. Oficialmente chamado de sem raça definida (SRD), o cachorro vira-lata não tem uma origem clara e possui características que o tornam único. O cãozinho SRD desperta muitas dúvidas entre os tutores: quanto tempo vive um vira-lata? 

    Boiadeiro de Berna ou Bernese Mountain: tudo o que você precisa saber sobre a raça porte grande
    Grandes

    Boiadeiro de Berna ou Bernese Mountain: tudo o que você precisa saber sobre a raça porte grande

    O Bernese Mountain é um cachorro grande com um charme irresistível. No Brasil, ele também é conhecido como Boiadeiro de Berna, Boiadeiro Bernês ou apenas Bernese, para os íntimos. Embora não seja um dos mais populares, esse cãozinho tem várias qualidades: ele é muito ágil, atlético, companheiro e já foi muito utilizado como cão de pastoreio no passado. Como a raça Bernese surgiu na Suíça, também tem alta resistência às baixas temperaturas.

    Ver Todas >

    Cio de cachorro: 6 curiosidades comportamentais sobre a fêmea nesse período
    Saúde animal

    Cio de cachorro: 6 curiosidades comportamentais sobre a fêmea nesse período

    Durante o cio de cadela, a cachorra passa por algumas mudanças comportamentais. Isso acontece porque nesse período há um aumento nos níveis de hormônios, o que acaba influenciando diretamente o comportamento da cachorra. Assim, o momento do cio de cachorro fêmea acaba sendo um momento sensível tanto para ela quanto para o tutor. Entender o que se passa com a cadela no cio é o primeiro passo para aprender a lidar melhor com o pet nesse período.

    Gato com diarreia: o que fazer?
    Saúde animal

    Gato com diarreia: o que fazer?

    O gato com diarreia é motivo de preocupação, pois este é um forte indicativo de que algo não vai bem no sistema digestivo do seu felino. A diarreia em gatos pode atingir desde o filhote ao gato adulto e saber como prevenir ou agir neste momento, até a próxima visita ao veterinário, pode ajudar o seu pet a lidar com esse problema que pode ser muito desagradável aos felinos e tutores. O Patas da Casa reuniu algumas informações muito importantes para ajudar você, que busca evitar mais sofrimento ao felino, mas não sabe oque fazer ao ver seu gato com diarreia.

    Fezes de cachorro com gosma: o que pode ser?
    Saúde animal

    Fezes de cachorro com gosma: o que pode ser?

    Normalmente, o cocô de cachorro apresenta uma coloração amarronzada e consistência firme. Quando sua aparência se torna diferente, é importante ligar o sinal de alerta. Um dos problemas mais observados é a presença de sangue nas fezes do cachorro. Porém, existe outra condição comum que chama a atenção: as fezes de cachorro com gosma. Existem diversos motivos por trás dessa condição. Muitas vezes, as fezes de cachorro com muco são apenas consequência de mudanças alimentares. 

    Infecção no pênis de cachorro: o que é, quais as causas e o que fazer
    Saúde animal

    Infecção no pênis de cachorro: o que é, quais as causas e o que fazer

    Devido a sua sensibilidade e exposição, o pênis de cachorro, sem um cuidado e higiene adequados, pode desenvolver algumas infecções. Além de ocasionar graves ferimentos ao órgão do animal, esses males podem comprometer o pênis do cachorro e trazer muita dor, principalmente no momento de urinar. Para evitar este sofrimento ao seu pet, é importante inspecionar a saúde geral do animal.

    Ver Todas >