Tudo que queremos é o bem estar de nossos pets, que eles estejam saudáveis e felizes, então é importante ficar de olho no comportamento animal para garantir que tudo esteja em ordem. Quando falamos em infecções que atingem a audição felina, como a otite em gatos e a sarna de ouvido, é comum que os gatos demonstrem o desconforto a partir da coceira excessiva na região. Para evitar o agravamento e progressão das doenças, é essencial saber diferenciar as duas condições, já que seus sintomas são muito semelhantes. Pensando nisso, o Patas da Casa vai te ajudar a entender as principais diferenças entre a otite felina e a sarna otodécica. 

Você é exigente na hora de escolher um veterinário para gato?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Sarna de ouvido em gatos: o que é? 

A sarna otodécica em gatos, também conhecida como sarna de ouvido, é causada pelo ácaro Otodectes cynot, parasita que infecta o canal auditivo do felino para se alimentar das secreções e restos epidérmicos, causando extrema irritação no ouvido do animal. É uma doença contagiosa que não é transmissível para os seres humanos, mas pode ser transmitida para cachorros.

Sintomas: os sinais da sarna de ouvido em gatos podem ser notados facilmente, já que o animal demonstra bastante desconforto coçando o ouvido excessivamente e balançando a cabeça frequentemente. A coceira pode gerar pequenas lesões e arranhões na orelha, que podem ficar vermelhas e inflamadas. Os animais também apresentam uma produção excessiva de cera escura com forte odor e presença de crostas.

Tratamento: caso haja suspeita de sarna otodécica em gatos, o animal deve ser levado para o veterinário para que seja examinado. Se ele for diagnosticado com a doença, o remédio para sarna de gatos indicado é o antiparasitário, que pode ser de uso oral ou tópico. Além disso, é recomendado limpar a orelha do bichano pelo menos 2x ao dia durante o tratamento.

Prevenção: por ser uma doença contagiosa, a melhor forma de prevenção é evitar que os animais saudáveis entrem em contato com os gatos infectados, especialmente com a criação indoor, que não permite que os bichanos tenham acesso às ruas e, consequentemente, a outros animais doentes. A castração do gato e instalação de telas de proteção nas janelas ajudam a diminuir as fugas. Também é indicado utilizar remédios antiparasitários regularmente e manter o ambiente em que o animal vive sempre limpo. 

A sarna otodécica em gatos pode se apresentar com crostas escuras na orelha do bichano Otite felina: manter a orelha limpa dos gatos é uma forma de prevenção Otite em gatos e sarna de ouvido: as duas doenças causam uma produção excessiva de cera escura

Otite em gatos: como não confundir com a sarna de ouvido?

Como os sintomas da otite em gatos e da sarna de ouvido são muito parecidos, é normal confundir as duas condições, mas a principal diferença entre elas é o agente causador. Enquanto a sarna em gatos é causada pelo ácaro Otodectes cynot, a otite pode ser provocada por diferentes fatores, como bactérias, fungos ou ácaros. Elas podem ser apresentadas como otite parasitária (provocada por um ácaro da família dos carrapatos) ou otite infecciosa (por fungos e bactérias).

Existem três tipos de otite felina: a externa é mais superficial e normalmente só atinge a parte visível do ouvido, sendo mais fácil de tratar; a média é uma complicação da otite externa que ocorre quando há o rompimento do tímpano; e a interna, que é o pior nível da otite, ocorre devido a uma inflamação do ouvido interno. 

Sintomas: a presença de fungos, bactérias ou ácaros provoca um forte incômodo na orelha do animal, por isso é comum sacudir a cabeça e  se coçar intensamente.  Assim como a sarna, eles apresentam uma quantidade excessiva de cera escura que provoca mau cheiro e vermelhidão. A otite também pode gerar dores de ouvido no gato.

Tratamento: o tratamento para a otite felina vai depender do diagnóstico realizado pelo médico veterinário, que vai dizer se é de origem parasitária ou infeciosa.  Nos dois casos, é necessário saber como limpar a orelha do gato corretamente para evitar o agravamento da doença e possíveis lesões. Além disso, também é indicado o uso de remédios tópicos e orais de acordo com a causa. 

Prevenção: a otite infecciosa pode ser provocada pela umidade, quando a orelha do gato não foi seca corretamente, propiciando a proliferação de fungos e bactérias. Nesses casos, o ideal é sempre manter essa região sequinha. Nos casos de otite parasitária, a melhor forma de evitar a partir do controle dos parasitas com remédios orais ou tópicos, como pipetas e sprays.