A alimentação do gato é, sem dúvidas, uma das formas mais eficientes de cuidar da saúde do animal. O problema é que os felinos possuem um paladar bem rigoroso, e não é todo tipo de comida que os agrada. A ração seca para gatos até pode ser uma opção bem nutritiva (e também econômica para os tutores), mas o interesse dos bichanos pelos famosos sachês é muito maior. E se desse para unir o melhor dos dois mundos? Será que misturar esses dois tipos de ração para gato é uma boa ideia, ou pode ser prejudicial para o organismo felino? Tire todas as dúvidas sobre o assunto a seguir!

Ração seca e sachê para gatos: vale a pena misturar os dois alimentos?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Mesmo que pareça uma boa ideia, o ideal é não misturar a ração seca e a ração úmida para gatos, que também é conhecido como sachê. O motivo para isso é simples: tanto a ração seca quanto o sachê para gatos são alimentos completos e nutritivos que funcionam muito bem sozinhos. Misturá-los sem a devida orientação médica pode causar um desequilíbrio no organismo do animal, já que os nutrientes serão absorvidos em diferentes quantidades.

Além disso, quando a ração úmida é aberta, precisa ser consumida imediatamente, diferente da ração seca para gatos. Se você pretende deixá-la exposta no comedouro, corre o risco do alimento azedar rapidamente. Um outro motivo para não misturar esses dois tipos de ração para gatos é porque é muito comum que o animal crie uma preferência pela ração úmida, o que pode deixá-lo mal acostumado. Caso isso aconteça, será muito mais difícil fazer com que o bichano se habitue a comer somente a ração seca futuramente.

Em alguns casos, o médico veterinário pode até recomendar a mistura do sachê e da ração seca para gatos com proporções pré-estabelecidas. No entanto, geralmente essa é uma medida a curto prazo para casos em que o gatinho precisa se acostumar com um determinado alimento. De toda forma, é importante ter uma conversa com um especialista para determinar por quanto tempo isso deve ser feito e qual a quantidade adequada de cada tipo de alimento.

Ah, mas não se preocupe, você não precisa optar exclusivamente pela ração úmida para gatos e nem pela ração seca. Na verdade, oferecer as duas texturas em momentos diferentes é sempre muito bem-vindo.


Alimentação do gato: tanto a ração seca quanto os sachês são nutritivos, mas devem ser oferecidos separadamente
Alimentação do gato: tanto a ração seca quanto os sachês são nutritivos, mas devem ser oferecidos separadamente

A ração seca para gatos tem maior custo-benefício

A ração para gatos que mais faz sucesso entre os pais de pet é a versão seca. Além de saciar a fome dos bichanos mais facilmente, esse tipo de ração também costuma ser mais em conta do que os sachês. É uma opção mais prática, com diferentes faixas de preço e quando se trata de uma ração de alta qualidade, como a Premium e a Super Premium, o bichano tem acesso a todos os nutrientes indispensáveis para a sua saúde. Além do mais, é uma comida com maior tempo de conservação e que não vai estragar tão facilmente.

Sachê para gatos ajuda na hidratação do pet e previne problemas renais

Muitos tutores usam a ração úmida para gatos como um tipo de petisco, e de fato a maioria é produzida com essa finalidade. No entanto, existem alguns sachês que são formulados com todos os nutrientes essenciais para cuidar da saúde do gato, e por isso eles são considerados uma refeição completa. Nesses casos, o sachê para gatos pode até substituir a ração seca, mas é importante que haja sempre um acompanhamento veterinário durante o processo.

Além de ser uma comida altamente nutritiva e saborosa para os felinos, a ração úmida para gatos também tem uma grande vantagem: 70% da sua composição é água. Como os bichanos não bebem água com frequência, essa acaba sendo uma ótima forma de mantê-los hidratados e bem alimentados ao mesmo tempo. Prestar atenção na hidratação desde sempre é fundamental para evitar doenças renais ao longo da vida do gato.

Redação: Juliana Melo