Saúde

Mastite em gatos: saiba tudo sobre a doença que atinge as fêmeas

Mastite felina: essa grave doença merece atenção dos tutores! Saiba como prevenir e cuidar
Mastite felina: essa grave doença merece atenção dos tutores! Saiba como prevenir e cuidar

A mastite felina é definida como uma inflamação das glândulas mamárias das gatas. Geralmente a enfermidade ocorre no pós-parto das gatinhas, mas também pode surgir por outras razões. O número de glândulas mamárias atingidas pelo problema pode variar para cada caso. Em muitas ocasiões, a mastite em gatas vai além da inflamação e acaba gerando uma infecção pelas bactérias dos tipos Escherichia Coli, Estafilococos, Estreptococos e Enterococos. Para você saber mais sobre essa enfermidade que pode afetar muito a saúde de gato, o Patas da Casa reuniu todas as informações em uma só matéria. Confira!

Mastite em gatos: o que você precisa saber sobre essa doença?

Apesar da mastite em gatas ser mais comum de ocorrer no pós-parto, ela também pode aparecer por motivos como: falta de higiene, machucados na região mamária, desmame abrupto, sucção dos filhotes ou até mesmo pela morte de algum gatinho. Quando a infecção bacteriana ocorre além da inflamação, ela se inicia no mamilo e se expande para as glândulas mamárias, podendo resultar em uma contaminação grave com gangrena, ou seja, a morte do tecido por falta de irrigação sanguínea.

Como prevenir a mastite felina?

A higiene durante o trabalho de parto da gatinha é uma das principais formas de prevenção da mastite em gatas. A limpeza deve ser reforçadas durante a lactação para reduzir os riscos da mãe entrar em contato com bactérias que são agentes causadores da mastite. Os principais cuidados que devem ser tomados nessa situação para evitar a doença são: trocar regularmente as mantas da caixa de parto, monitorar a ninhada e mãe para perceber com rapidez qualquer lesão na glândula mamária, avaliar diariamente a condição geral da gata e seus filhotes, fazer a limpeza da glândula mamária frequentemente e garantir que a mãe não faça suas necessidades no local onde ela fica com os filhotes.

A castração da gata é algo que deve ser considerado por todos os tutores. Além de ter um papel importante na prevenção da mastite felina, o procedimento também evita tumores nas mamas e órgãos reprodutores. 

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

question quiz stamp

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

Question Header Background
question quiz stamp

As crises alérgicas costumam acontecer:

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Question Header Background
question quiz stamp

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Question Header Background
question quiz stamp

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

Question Header Background
question quiz stamp

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

Question Header Background

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    Veja imagens da mastite em gatos!
    Veja imagens da mastite em gatos!
    A mastite em gatas é bem visível e ocorre, principalmente, no pós-parto
    A mastite em gatas é bem visível e ocorre, principalmente, no pós-parto
    Veja imagens da mastite em gatos!
    A mastite em gatas é bem visível e ocorre, principalmente, no pós-parto

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Sintomas da mastite: gato filhote da ninhada também pode sofrer consequências

    Os sintomas da mastite em gatas podem variar de acordo com a gravidade do problema, mas alguns sinais se estabelecem tanto em casos mais graves como em mais leves. Uma característica inusitada sobre a doença é que muitas vezes os filhotinhos da gata também podem sofrer consequências do problema. Por conta da complicação, a gata pode não querer amamentar seus filhotes e por isso a ninhada não ganha o peso adequado, que costuma ser 5% de aumento depois de seu nascimento. Os sintomas da mastite na gatinha são:

    • Glândulas mamárias inflamadas, duras, dolorosas e ulceradas
    • Formação de abcessos (material com pus) e gangrena
    • Descargas mamárias com pus ou sangue
    • Leite com aumento de viscosidade
    • Anorexia
    • Febre
    • Vômitos

    Caso identifique qualquer um desses sinais, consulte um médico veterinário com urgência, visto que a mastite em gatas pode ser muito grave também para a saúde dos filhotes.

    Como funciona o diagnóstico da mastite em gatos?

    Para diagnosticar a mastite felina é ideal que o médico veterinário se baseie no histórico completo de saúde da gata, além de seus sintomas. Por isso, manter a rotina de consultas ao veterinário em dia é tão importante, principalmente no caso de gravidez. Isso será essencial tanto para o bem-estar da mãe durante a gestação quanto para a saúde dos filhotes. Além disso, alguns exames laboratoriais poderão ajudar a avaliar a situação da felina. Sendo eles:

    • Cultivo bacteriano do leite
    • Exame de citologia, que se baseia no estudo das células da secreção mamária
    • Análise sanguínea para observar aumento de glóbulos brancos ou alterações nas plaquetas
    O desmame só é recomendado nos casos mais graves de mastite felina
    O desmame só é recomendado nos casos mais graves de mastite felina

    Como é o tratamento da mastite felina?

    O tratamento da mastite em gatas é feito com medicamentos antibióticos de amplo espectro, sendo Amoxicilina, Cefalexina e Cefoxitina os mais comuns para o caso. Nos casos mais graves, onde a mastite contém gangrena é possível que a gata precise passar por intervenção cirúrgica para extirpar o tecido necrótico. O prognóstico costuma ser positivo na maioria dos casos.

    Não é recomendado que a amamentação dos filhotes seja interrompida durante o tratamento, exceto nos casos onde exista a formação de abcessos e mastite gangrenosa. A lactação do filhote de gato deve ter uma duração mínima que oscila entre oito e 12 semanas. Continuar com a amamentação, inclusive, vai favorecer a drenagem das mamas. E fique tranquilo: os antibióticos no organismo da gata não oferece perigo aos gatinhos.

    Redação: Hyago Bandeira

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Próxima matéria

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais

    O gato Himalaia é, sem dúvidas, uma das raças mais queridinhas e desejadas pelos amantes de felinos. Ele reúne em sua genética a mistura de outras duas raças que são muito populares: o gato Persa e o Siamês. Ou seja, é carisma e fofura em dose dupla! Além disso, esse gatinho tem uma personalidade super dócil e tranquila, sendo a companhia perfeita para quem sempre sonhou em ter um bichinho de estimação. Se esse é o seu caso, ou se você já tem um gato do Himalaia e quer conhecer tudo sobre ele, essa matéria vai te ajudar bastante. 

    Norueguês da Floresta: tudo o que você precisa saber sobre a raça de gato
    Raças

    Norueguês da Floresta: tudo o que você precisa saber sobre a raça de gato

    O gato Norueguês da Floresta chama a atenção por onde passa, principalmente por conta do seu porte. Essa é uma raça de gato grande e que tem o corpo bem robusto, coberto por pelos longos e lisos, que deixam o bichano com uma aparência bem fofa e apertável. Também é um animal super gentil e carinhoso, e por isso consegue conquistar a todos com facilidade. 

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça
    Raças

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça

    Com uma pelagem cinza, o gato Azul Russo - também conhecido como Russian Blue - é dono de uma beleza inconfundível e capaz de conquistar facilmente o coração de qualquer pessoa com sua personalidade doce e calma. A raça é originária da Rússia e considerada bastante rara, mas ainda assim muitas pessoas ao redor do mundo se fascinam pelo Azul Russo e não hesitam em procurar um bichano para chamar de seu. 

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!
    Carrapato

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!

    Os carrapatos são o pesadelo de qualquer dono de cachorro! Além de provocar coceiras, alergias e outros incômodos, o parasita também é responsável por transmitir doenças muito graves aos cães. Mesmo que seja algo relativamente comum entre os animais, o problema não deve ser subestimado pelos tutores. A doença do carrapato, como é popularmente conhecida, pode se manifestar de quatro maneiras diferentes, dependendo da espécie do parasita infectado. A Babesiose canina é uma das principais formas de manifestação da enfermidade. Por isso, preparamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber!

    Ver Todas >

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes
    Saúde animal

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes

    A síndrome de wobbler é uma doença que afeta principalmente raças de cachorro de grande porte. Ela atinge as vértebras e a medula espinhal do cachorro, desencadeando problemas neurológicos e de locomoção. O tratamento precisa ser o mais rápido possível, pois a síndrome de wobbler pode avançar para estágios mais graves e trazer consequências sérias ao animal. .

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber
    Saúde animal

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber

    A cadela no cio pode ser um momento delicado tanto para o tutor como para o pet. O período acaba gerando muitas curiosidades e dúvidas como: “com quantos meses a cadela entra no cio?” ou “de quanto em quanto tempo a cadela entra no cio?”. Saber as respostas para todos esses questionamentos vai ajudar o tutor do cachorro a lidar com o período. 

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT
    Saúde animal

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT

    O tumor venéreo transmissível, que também é chamado de TVT, tumor de Sticker ou sarcoma infeccioso, é uma neoplasia pouco conhecida pelos pais de pets. Esse problema de saúde costuma ser mais comum em animais abandonados, mas nada impede que cachorros que vivam em apartamento sejam infectados pela doença venérea. O TVT em cães é grave e fácil de ser transmitido.

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos
    Saúde animal

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos

    Muitas podem ser as causas de um gato tossindo, desde uma bola de pelo presa na garganta até uma alergia a alguma substância que ele teve contato. Porém, na maioria dos casos, o gato com tosse é sinal de problema respiratório - que pode ser leve, como uma gripe simples, ou grave, como uma pneumonia. Dentre as doenças respiratórias que mais acometem os bichanos, a bronquite felina é uma das que precisam de mais atenção. 

    Ver Todas >