Saúde

Gato envenenado: aprenda a identificar os sintomas e o que fazer de imediato!

Gato envenenado ou intoxicado: saiba quais são os primeiros sintomas!
Gato envenenado ou intoxicado: saiba quais são os primeiros sintomas!

Infelizmente, a ideia de que os gatos estão 100% seguros dentro de casa é uma ilusão. Os felinos são animais curiosos e suas peripécias podem acabar transformando qualquer ambiente controlado em um mar de perigos. Por isso, é muito importante se manter atento aos sinais comportamentais e físicos do animal para identificar possíveis problemas, como intoxicações e envenenamentos. Em momentos como esses, pensar rápido e saber agir de imediato pode fazer toda a diferença! Por isso, descubra o que fazer caso o seu gato seja envenenado ou intoxicado!

Gato envenenado: sintomas incluem vômitos, convulsões e febre

Assim como qualquer outro bichinho de estimação, os gatos têm seus próprios artifícios para comunicar aos donos o que estão sentindo. A relação entre um tutor e seu pet é tão forte que, com o tempo, fica cada vez mais fácil entender o que animal está pensando. Por isso, identificar os primeiros sinais de um envenenamento ou uma intoxicação não será algo tão complicado. O essencial é prestar bastante atenção no seu bichinho!

Confira abaixo os principais sintomas apresentados por um gato envenenado ou intoxicado:

  • Vômitos e diarreias (às vezes, com sangue)
  • Salivação excessiva
  • Tosse e espirros
  • Irritação gástrica
  • Irritação da pele
  • Dificuldade respiratória
  • Convulsões, tremores e espasmos musculares
  • Dilatação da pupila
  • Falta de coordenação nas extremidades
  • Febre
  • Perda de consciência
  • Micção frequente (urinar muitas vezes)
  • Vocalização (miados diferentes dos habituais)

Gato envenenado: o que fazer? Identifique a fonte da intoxicação e procure um veterinário!

Analisou os sintomas do seu gato e chegou à conclusão de que o animal está passando por um processo de envenenamento? Calma! O primeiro desafio é não se desesperar. É muito difícil manter a tranquilidade quando a saúde do seu bichinho está em risco, porém, a melhor maneira de ajudar o animal é pensar de forma clara e prática. Antes de tomar qualquer atitude, entre em contato com o veterinário! De preferência, um profissional que já esteja habituado a tratar o seu gato e conheça todo o histórico do pet.

O ideal é que duas pessoas participem deste momento do resgate. Enquanto uma recebe as orientações do veterinário, a outra pode estabilizar o gatinho e procurar a fonte do envenenamento. Não deixe de buscar a substância responsável pelo problema! Essa informação será essencial para o prognóstico do profissional.

Detalhes como o nome do produto, seu princípio ativo, a potência da substância, a quantidade consumida e há quanto tempo o componente foi ingerido podem fazer toda a diferença na hora de salvar o gatinho. Além disso, certifique-se de colocar o produto em questão completamente fora do alcance do animal, evitando uma possível reincidência do problema.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    Ao observar sintomas de gato envenenado, leve o animal ao veterinário imediatamente
    Ao observar sintomas de gato envenenado, leve o animal ao veterinário imediatamente

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Devo forçar o vômito de um gato envenenado?

    O tipo de veneno ou alimento responsável pela intoxicação também é um fator a ser considerado para tomar essa decisão. Um dos primeiros impulsos da maioria das pessoas é tentar fazer com que o gato vomite para se livrar do produto que está fazendo mal. Porém, esse pensamento possui algumas variantes: caso a substância em questão já tenha sido ingerida há mais de duas horas, o vômito não vai surtir o efeito desejado e ainda pode deixar o animal mais fraco.

    Outro detalhe é o teor do produto consumido: se o elemento for corrosivo (água sanitária, por exemplo), o vômito pode acabar causando queimaduras cáusticas e danificando os órgãos internos do gatinho, como o esôfago, a garganta e a boca. Portanto, consulte o veterinário instantaneamente e não tome nenhuma atitude sem a indicação do profissional!

    Gato envenenado sobrevive? Confira os principais tipos de envenenamento e seus tratamentos!

    A ingestão de uma substância inapropriada pode levar o gatinho a passar por um processo de envenenamento ou intoxicação, dependendo do componente (ou alimento contraindicado). Como o Patas da Casa já explicou, os tratamentos dependem muito do tipo de produto ingerido pelo animal. Entender os principais é uma das formas mais eficazes de evitar o problema.

    Portanto, saiba exatamente quais produtos manter longe do seu pet e os possíveis tratamentos para cada tipo de envenenamento ou intoxicação:

    • Chocolate: pequenas quantidades de chocolate já são o suficiente para intoxicar um felino. Os primeiros sintomas, que costumam aparecer entre seis a 12 horas após a ingestão, são: sede constante, vômitos, salivação, inquietude e ventre inchado, podendo se estender para dificuldade respiratória e insuficiência cardíaca;
    • Passas e uvas: esse tipo de intoxicação é mais comum entre os cachorros, mas também acontece com gatos. Em casos mais graves, os sintomas podem incluir insuficiência renal e levar o animal à morte. É bem provável que o caminho escolhido pelo veterinário para tratar o problema seja induzir a micção com uma terapia intravenosa de fluídos;
    • Arsênio: presente em inseticidas, pesticidas e venenos, o produto pode provocar diarreia aguda (às vezes, com sangue), depressão, debilidade e colapso cardiovascular. A ingestão dessa substância provoca uma inflamação aguda em diversos órgãos, como o fígado e os rins. O tratamento de urgência, caso o produto tenha sido ingerido há menos de duas horas, é induzir o vômito. Logo em seguida, o veterinário deve administrar oralmente carvão ativado e, mais tarde, protetores gástricos;
    • Xampu, sabão ou detergente: este é um exemplo de situação em que não se deve induzir o vômito, pois alguns desses produtos contêm substâncias corrosivas em sua composição. Os sinais são tonturas, vômitos e diarreia. O veterinário pode indicar a melhor forma de contornar o problema.
    • Medicamentos para humanos: jamais dê medicamentos humanos para o seu gato! Alguns medicamentos contêm substâncias como ácido acetil salicílico (aspirina), que provoca hipertermia e respiração acelerada, e paracetamol, que danifica o fígado e escurece as gengivas do animal. Por incrível que pareça, as vitaminas também não são indicadas. A vitamina A, por exemplo, pode provocar anorexia, rigidez das articulações, obstrução intestinal e perda de peso.
    • Cianeto: esse tipo de envenenamento costuma acontecer com a ingestão de plantas com esse composto, como o junco, as folhas de maçã, o milho, a linhaça e o eucalipto. Os primeiros sinais aparecem rapidamente, cerca de 10 a 15 minutos após a ingestão, e provocam um aumento de excitação que se transforma em dificuldade respiratória. Nesse caso, o tratamento provavelmente será a administração imediata de compostos que cortam esse efeito.
    • Flúor: sabe o flúor da sua pasta de dente? Então, é um perigo enorme para os animais! Por isso, jamais deve-se usar um produto dental para humanos em um bichinho. Os sintomas dessa intoxicação são gastroenterite, aumento do ritmo cardíaco, entre outros.
    • Cloro e água sanitária: os sintomas são vômito, tonturas, salivação, anorexia, diarreia e depressão. Caso a intoxicação tenha acontecido somente na pele, banhe o gato com um shampoo suave próprio e enxague com água abundante. Em todos os casos, o veterinário deve ser consultado imediatamente.

    Redação: Dóris Marinho

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?

    Próxima matéria

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?

    Gato com febre: como identificar o sintoma e o que fazer?
    Saúde

    Gato com febre: como identificar o sintoma e o que fazer?

    A febre em gatos pode ser um sintoma associado a diversas condições. Assim como os humanos, os felinos também estão sujeitos a passar por esse desconforto que eleva a temperatura do corpo. A diferença é que, no caso dos bichinhos, é um pouco mais difícil identificar quando o problema está acontecendo. Os gatos demoram a demonstrar quando estão com algum tipo de mal-estar e podem, inclusive, se isolar em algum lugar da casa.

    Miado de gato: aprenda a identificar o que os felinos querem expressar!
    Comportamento

    Miado de gato: aprenda a identificar o que os felinos querem expressar!

    O miado de gato pode ser uma das coisas mais fofas do mundo! Apesar de usar essa comunicação bem pouco quando comparado aos caninos, os gatinhos sabem a hora e o momento de se expressarem, e por isso você deve prestar bem atenção ao tom que acompanha esse miado. Enquanto alguns felinos são bem silenciosos - causando até espanto nos donos quando soltam algum miado -, outros podem usar esse artifício para sinalizar tudo o que quiserem. O gato miando pode significar muitas coisas, entre elas que está com fome, dor, raiva, indicar a outros felinos que se está no cio e até para pedir carinho. Alguns cientistas dizem que gatos podem possuir até 70 tipos de miados diferentes!

    Sintomas da doença do carrapato: veja os mais comuns e aprenda a identificar se seu cachorro está doente!
    Carrapato

    Sintomas da doença do carrapato: veja os mais comuns e aprenda a identificar se seu cachorro está doente!

    O carrapato é um dos principais parasitas que ameaça o dia a dia e a saúde de cachorros criados em casa. Além da infestação ser incômoda para o animal, ele também pode transmitir a doença do carrapato — que, na verdade, pode se manifestar no corpo do animal de quatro formas diferentes. Os sintomas da doença do carrapato são a primeira forma de identificar o que está acontecendo com o seu cachorrinho. Para esclarecer todas as dúvidas sobre a doença do carrapato em cachorro, nós conversamos com a veterinária Renata Bloomfield, do Rio de Janeiro. Dá uma olhada no que ela explicou aqui embaixo!

    Gato com diarreia? Saiba o que fazer imediatamente e quando levar ao veterinário
    Diarreia

    Gato com diarreia? Saiba o que fazer imediatamente e quando levar ao veterinário

    Gato com diarreia não é uma condição rara, mas precisa de alguns cuidados. Assim como acontece com o organismo humano, o dos felinos também demonstra alguma fragilidade através de desordem intestinal. Troca de ração, vermes, vírus, alimento estragado ou até mesmo desidratação podem causar diarreia em gatos.

    Ver Todas >

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!
    Saúde animal

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!

    A leishmaniose canina pode trazer sérios problemas para a saúde do animal. A doença é classificada como uma zoonose (ou seja, seres humanos também podem contraí-la) e os cães domésticos são os principais hospedeiros. A transmissão ocorre pela picada do mosquito-palha infectado com o protozoário Leishmania infantum chagasi. A prevenção é muito importante, já que a doença pode levar humanos e cachorros à morte ou causar sérias sequelas. 

    Como identificar um gato desidratado?
    Saúde animal

    Como identificar um gato desidratado?

    Embora não apreciem muito esse hábito, beber água é fundamental para a saúde do gato. Os tutores devem ter bastante atenção na rotina dos bichanos: eles precisam de uma quantidade adequada de líquidos para não desenvolverem complicações no sistema urinário que podem levar à falência dos rins. A curto prazo, um gato desidratado, normalmente em decorrência de algum outro problema de saúde, precisa receber bastante atenção para não chegar a um estado mais grave. 

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!
    Saúde animal

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!

    Manter o seu cachorrinho livre de pulgas pode não ser uma tarefa muito fácil, mas é essencial para saúde e bem-estar dele. As pulgas em cachorro podem não só causar coceira no animal, como também transmitir bactérias e verminoses, além de provocar dermatites. O pente para pulga é um acessório de uso prático para o tutor , confortável para os animais e até mais sustentável

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção
    Saúde animal

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção

    A diabetes em cachorro é um quadro delicado e que precisa de atenção e muito cuidado. A doença se desenvolve a partir de alterações nos níveis de produção de insulina pelo corpo do animal, com apresentações diferentes de acordo com o tipo de diabetes. Apesar de ser muito parecida com a ação em humanos, a diabetes em cães causa muitas dúvidas nos tutores, que podem acabar caindo em alguns mitos sobre a doença. Quanto antes o tratamento for iniciado, porém, mais chances o cachorro tem de conseguir viver com a doença, sem afetar tanto a sua qualidade de vida. Para te ajudar com isso, reunimos 5 fatos sobre a diabetes canina para sanar todas as suas incertezas sobre a doença. Confira abaixo!

    Ver Todas >