Saúde

FIV e FeLV: sintomas, diagnóstico, tratamentos... Um guia completo sobre cuidados para gatos positivos

Saiba sobre FiV e FelV, doenças que atingem os gatos
Saiba sobre FiV e FelV, doenças que atingem os gatos

Um dos principais medos de quem tem um animal de estimação em casa é, sem dúvidas, a possibilidade de eles adoecerem e o quão complicado o tratamento pode ser. Para os donos de gatos, a FIV (Imunodeficiência Felina) - também conhecida como a AIDS felina - e a FeLV (Leucemia Felina) são especialmente preocupantes, já que trazem consequências graves e podem ser, até mesmo, fatais. Para te ajudar a entender mais sobre os sintomas, cuidados e tratamentos de cada uma delas para os gatos que foram infectados, nós conversamos com a veterinária Anne Berenger, do Rio de Janeiro, — ela explicou tudinho aqui embaixo!

Patas da Casa: Como funciona a transmissão de FIV (AIDS felina) entre os gatos?

Anne Berenger: O vírus da FIV é transmitido principalmente através da mordedura, mas o contágio também pode acontecer através de outras vias como o sexo, transfusão sanguínea e da mãe para o filhote. A transmissão entre gatos que vivem juntos de uma maneira amigável (sem brigas), é mais improvável, porém não é impossível.

PC: Quais são os principais sintomas da FIV (AIDS felina)?

AB: A FIV é uma doença silenciosa, portanto, é comum que permaneça de forma assintomática — ou seja, sem alterações clínicas — durante muitos anos. Uma vez que se trata de um retrovírus que baixa a imunidade do paciente, ele se torna mais suscetível à manifestação de sintomas causados por outras doenças, assim como ocorre na AIDS em humanos.

PC: Como funciona a transmissão da FeLV (Leucemia felina) entre os gatos?

AB: A transmissão da FeLV ocorre através de secreções nasais, saliva (bem comum em gatinhos que ficam se lambendo), urina e brigas.

PC: Quais são os principais sintomas da FeLV (Leucemia felina)?

AB: A FeLV, que também é causada por um retrovírus, é uma das enfermidades infectocontagiosas mais preocupantes entre os felinos, podendo gerar quadros agudos de anemia, leucopenia (baixo número de células de defesa) e predispor o animal a alguns tipos de tumores, sendo linfoma o mais comum. Os sintomas mais comuns são: anemia, perda de peso, anorexia, aumento de linfonodos, febre, gengivites e até mesmo alterações comportamentais podem ser observadas.

PC: Existe alguma forma de prevenção para a FIV (AIDS felina) e a FeLV (Leucemia Felina)?

AB: Para prevenir a transmissão dessas doenças, é importante testar os gatos e separar os positivos dos negativos. Além disso, o tutor deve se preocupar em telar o apartamento ou as janelas de casa para impedir que os gatos domésticos tenham acesso e contato aos gatos da rua.

Para a FeLV (Leucemia Felina) existe vacina, mas para FIV (AIDS felina), não. Gatos que vivem semidomiciliados e de ambientes com vários outros indivíduos, configuram grupo de risco e devem ser vacinados. Não recomenda-se vacinar animais que vivem isolados em apartamentos, sem contato com outros gatos, pois não é necessário nestes casos. A castração precoce pode diminuir o risco de infecção, já que dificulta o comportamento de risco do gato — nesse caso, os passeios sem supervisão na rua.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    FiV e FelV não são doenças incapacitantes, mas precisam de cuidados específicos
    FiV e FelV não são doenças incapacitantes, mas precisam de cuidados específicos

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    PC: Como acontecem os exames feitos para detectar FIV e FeLV?

    AB: Gatos recém-adquiridos, principalmente vindos da rua ou abrigo, sempre devem ser testados, independentemente da idade. O teste FIV e FeLV não possui resultado 100% seguro, pois nenhum teste é de sensibilidade 100%. Podem ocorrer falsos-positivos e falsos-negativos, como em casos de um animal muito filhote (até 6 meses) e/ou pela fase da doença. Em casos em que ainda haja dúvida, é indicado retestar o animal após 30 dias.

    Os testes mais comum são os SNAPs, que são testes sorológicos e dão o resultado em 10 minutos, mas também existem os testes de PCR (pesquisa de RNA do antígeno), que podem ser utilizados em conjunto com os sorológicos auxiliando no diagnóstico.

    PC: Como funciona o tratamento para FIV e FeLV? Existe cura definitiva para essas doenças?

    AB: O tratamento em ambos casos é de suporte, visto que os antivirais humanos recomendados são de difícil acesso. O ideal é fortalecer o sistema imunológico, oferecer alimentação balanceada e de qualidade, cuidados higiênicos, manter a vacinação e vermifugação em dia e, claro, visitas periódicas ao veterinário. Normalmente, um gato com FIV (AIDS felina) vive mais do que um com FeLV (Leucemia felina), pois esta, além de predispor o animal a alguns tipos de tumores, pode causar um quadro agudo de leucopenia (queda de leucócitos) e anemia. Infelizmente, esses animais tendem a desenvolver quadros mais graves precocemente.

    Redação: Ariel Cristina Borges

    Cachorro com olho vermelho: 5 razões para o problema

    Próxima matéria

    Cachorro com olho vermelho: 5 razões para o problema

    Munchkin: curiosidades, origem, características, cuidados e personalidade... tudo sobre o
    Raças

    Munchkin: curiosidades, origem, características, cuidados e personalidade... tudo sobre o "gato salsicha"

    Gato anão e gato salsicha são algumas denominações usadas para se referir ao Munchkin, um adorável felino com as pernas curtinhas e coluna alongada. A raça de gato não é uma das mais populares do Brasil, mas com certeza chama a atenção pela sua forma física “diferenciada”. Muito doce e cheio de energia, o Munchkin é uma mistura de fofura, inteligência e companheirismo.

    Ragdoll: cuidados, personalidade e curiosidades... Conheça mais sobre essa raça de gatos gigantes
    Raças

    Ragdoll: cuidados, personalidade e curiosidades... Conheça mais sobre essa raça de gatos gigantes

    O Ragdoll é uma raça de gatos gigantes, bem peludinhos e muito ativos. A raça nasceu nos Estados Unidos, a partir de uma série de cruzamentos, e só chegou ao Brasil no início da década de 1980. A história é bem curiosa, mas o que chama a atenção mesmo é o resultado: um gato enorme e super fofo. O Ragdoll é uma raça muito carinhosa e que gosta daquele colinho gostoso do dono. Ou seja: é uma ótima companhia para outros animais (incluindo cães), crianças, adultos e idosos. Conheça mais sobre essa raça e se apaixone também!

    Quanto custa manter um cachorro? Um guia completo com a média de gastos mensais com um cão
    Adoção

    Quanto custa manter um cachorro? Um guia completo com a média de gastos mensais com um cão

    Ter um cachorro em casa é uma experiência incrível para mães e pais de pet, mas os momentos de alegria vêm acompanhados de muitas responsabilidades… e gastos (muitos gastos). Ração, vacina, brinquedos, remédios e veterinário são os principais custos que você precisa ter frequentemente com o animal. É justamente por isso que, antes de comprar ou adotar um pet, é preciso pensar nos gastos que isso vai demandar - e que devem entrar no orçamento da família. Para te ajudar a bater o martelo e decidir se consegue ou não arcar com um amigo de quatro patas, montamos um guia completo com uma média dos gastos que você provavelmente terá. Chega mais!

    Gestação de gato: o guia definitivo sobre a descoberta, as fases da gravidez e os cuidados no parto
    Saúde

    Gestação de gato: o guia definitivo sobre a descoberta, as fases da gravidez e os cuidados no parto

    Que os filhotes de gatos são muito fofos não é novidade para ninguém! Essas verdadeiras mini bolinhas de pelo passam por todo um período de gestação. Mas, você sabe como ocorre esse processo? Bem antes dos filhotinhos chegarem ao mundo para fazer qualquer humano morrer de amores, eles são embriões e sua mamãe-gato precisa de muito apoio e suporte. É todo um ciclo para que nasçam perfeitos e saudáveis. Sabemos que a gestação de gato gera muitas dúvidas e foi pensando nisso que o Patas da Casa montou um guia completo para você entender tudo sobre o assunto. A veterinária Cynthia Bergamini, de São Paulo, também contou mais sobre a gravidez de gato e deu algumas dicas.

    Ver Todas >

    Depressão em cachorro: quais as causas, sinais mais comuns e como é feito o tratamento?
    Saúde animal

    Depressão em cachorro: quais as causas, sinais mais comuns e como é feito o tratamento?

    Assim como os humanos, os cães não estão livres de problemas de caráter psicológico e emocional. A depressão em cachorro, por exemplo, é uma doença mais comum do que se imagina. Nesse caso, existe uma série de motivos que podem estar por trás de um cachorro depressivo, como mudanças de lar, a chegada de novos membros na família ou até mesmo a perda de entes queridos. A depressão canina pode se tornar grave se não receber o devido cuidado.

    O gato estressado tem mais chances de ficar doente?
    Saúde animal

    O gato estressado tem mais chances de ficar doente?

    Não é difícil deixar um gato estressado. Com um temperamento sensível, até mesmo as pequenas mudanças no cotidiano influenciam o comportamento do gato. Isso se reflete na forma como ele se alimenta, brinca, interage com os humanos e até no uso da caixa de areia. Mas você sabia que o aumento do nível de estresse podem deixar o gato doente? Isso mesmo! Os hormônios do estresse são capazes de desestabilizar o organismo do animal, revelando doenças que podem ser bem incômodas.

    Queda de pelo em gatos: quando o problema deixa de ser normal?
    Saúde animal

    Queda de pelo em gatos: quando o problema deixa de ser normal?

    Encontrar pelo de gato caídos pela casa - seja em cima do sofá, da cama ou até mesmo presos às roupas - é uma situação bastante comum para quem tem um felino em casa. Mas quando isso começa a acontecer com uma frequência e quantidade maior do que o normal, é importante ficar atento. A queda de pelo em gatos pode ter diferentes causas, mas nem sempre é motivo de preocupação. Então, como saber diferenciar uma queda de pelos em gatos normal de um quadro mais grave? Quando se trata da queda de pelos em gatos, o que pode ser?

    Refluxo em cachorro: veja algumas dicas para evitar o incômodo
    Saúde animal

    Refluxo em cachorro: veja algumas dicas para evitar o incômodo

    Assim como os humanos, o cachorro tem refluxo e pode precisar de algumas adaptações para aliviar o incômodo. Várias causas estão ligadas ao problema: uso de medicamentos, comer muito rápido, alterações na alimentação, obstrução e até mesmo fatores hereditários - como é o caso de algumas raças com predisposição. O refluxo em cães ocorre quando o conteúdo do estômago volta para a boca por meio do esôfago e de forma totalmente involuntária.

    Ver Todas >