close
Saúde

Esporotricose: como se desenvolve? Tem cura? Como é a transmissão? Tire todas as dúvidas sobre a doença!

A esportricose felina é uma doença grave que causa lesões e feridas nos gatos afetados
A esportricose felina é uma doença grave que causa lesões e feridas nos gatos afetados

A esporotricose felina é conhecida por ser uma doença causadora de grandes lesões e feridas específicas na pele. Apesar de ser possível em diversos animais - inclusive humanos - a esporotricose em gatos costuma ser mais comum. A doença progride rapidamente, podendo afetar inclusive outros sistemas do corpo além da pele. Por isso, é considerada uma das doenças mais graves causadas por fungos nos bichanos. O Patas da Casa conversou com a veterinária Raquel Rezende, do Rio de Janeiro, que tira todas as dúvidas sobre a esporotricose felina, desde a transmissão e desenvolvimento até as formas de prevenção.

O que é esporotricose felina? Conheça a grave doença que também pode afetar humanos

A esporotricose em gatos é uma doença fúngica causada pelo fungo Sporothrix schenckii. A doença também pode acontecer em outras espécies animais, como cachorros, bois, cavalos, porcos, dentre muitos outros. A esporotricose também pode passar para humanos e, por isso, é considerada uma zoonose. A maioria dos casos de esporotricose humana acontece justamente a partir do contato do homem com gatinhos infectados. Apesar de acontecer em várias espécies, a veterinária Raquel explica que a esporotricose costuma apresentar maior gravidade em felinos: “[É mais grave em gatos] pelo fato de o felino estar mais exposto a lugares contaminados com o fungo, como palhas, vegetais, espinho, terra e madeira”. São nesses ambientes em que o fungo da esporotricose costuma viver.

Como a esporotricose em gatos se desenvolve no organismo?

O fungo causador da esporotricose felina entra no animal através de feridas ou lesões na pele. Os bichanos amam brincar perto de árvores e plantas, onde costumam ter muitas farpas e espinhos que ferem o animal. Se o pet se machucar ou já tiver uma ferida aberta, isso facilita a entrada do fungo que está presente no local. A especialista explica que é por essas portas de entrada que a esporotricose evolui. “A doença se desenvolve com feridas que se disseminam, evoluindo para uma pneumonia fúngica, podendo levar o animal ao óbito”, explica. A esporotricose felina pode se desenvolver de maneira mais ou menos grave, podendo ser dividida em:

  • Fase cutânea localizada: caracterizada por lesões e nódulos avermelhados com secreções. Podem aparecer de forma individual ou múltipla.
  • Fase cutânea linfática: os nódulos na pele progridem e formam úlceras, afetando o sistema linfático.
  • Fase cutânea disseminada: é a fase mais grave da esporotricose, pois todo o organismo do gato é afetado com lesões generalizadas e infecções que acometem outros sistemas do corpo, como locomotor e respiratório.
Faça o teste e descubra qual a personalidade dominante do seu gato!

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Como seu gato reage com a chegada de visitas em casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você está pensando em adotar mais um gatinho. Qual seria a reação do seu felino?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você precisa levar seu gato ao veterinário e na fila ele encontra outro felino. Como ele reage?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato fica incomodado quando as portas de casa ficam fechadas?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta com os outros animais da casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você acabou de chegar em casa depois de muito tempo fora. O seu gato:

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato deitou em cima da sua cama e dormiu. Qual a sua reação, humano?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta na hora de se alimentar?

Question Header Background

Gato-humano! Seu gato não perde a oportunidade de estar ao seu lado Gato solitário! Seu gato tem uma personalidade mais quieta e reservada Gato-gato!  Seu gato gosta da companhia de outros felinos Gato curioso! Seu gato está sempre em busca de novas aventuras Gato caçador! Seu gato tem os instintos selvagens mais aflorados
    A esporotricose em gatos começa com caroços na pele e pode avançar até causar danos respiratórios
    A esporotricose em gatos começa com caroços na pele e pode avançar até causar danos respiratórios

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Quais são os sintomas da esporotricose em gatos?

    Como a esporotricose felina vai se agravando com o tempo, os sintomas ficam cada vez mais fortes e presentes. No início, é possível perceber lesões na pele, principalmente na cabeça (orelhas e nariz) e nas patas. Isso acontece principalmente porque os gatos têm o costume de arranhar a face. Pode acontecer o abaulamento do nariz, chamado popularmente de nariz de palhaço. Esses sinais começam a ficar bem claros quando comparamos a pele do animal com esporotricose antes e depois. As feridas da esporotricose são bem  é normal que o pet tenha tantas lesões e, depois que contrai a esporotricose, as feridas são muitas e bem perceptíveis. Conforme progride, sintomas relacionados a outras partes do corpo aparecem. Dentre os sintomas da esporotricose felina mais comuns,  Raquel destaca:

    • Lesões ulceradas com pus no subcutâneo
    • Ferida ou caroço que cresce ao longo de algumas semanas
    • Feridas que não cicatrizam
    • Tosse, falta de ar, dor ao respirar e febre, quando o fungo atinge os pulmões.

    Além desses sintomas da esporotricose, gatos infectados pela doença podem apresentar sinais de letargia, fraqueza, falta de apetite, anorexia e febre. A veterinária Raquel ressalta, ainda, que é possível que o animal não apresente lesões na pele, caso a doença se manifeste na forma pulmonar e sem lesões externas.  

    A esporotricose em gatos tem cura?

    Felizmente, a esporotricose tem cura sim. A veterinária afirma que existe um tratamento que ajuda a curar o felino da doença. “O tratamento é feito com antifúngicos específicos e pode ter duração de 6 a 12 meses”, explica. O ideal é que o processo seja realizado o mais cedo possível, pois assim aumenta as chances de salvamento. O veterinário é quem prescreverá o remédio antifúngico ideal para curar a esporotricose em gatos. A dose e a duração variam de acordo com a gravidade e o estado de saúde de gato. Caso o animal esteja bastante debilitado, outras terapias podem ser indicadas. A maioria dos pacientes que são atendidos logo conseguem ser curados. Isso significa que a maioria dos casos de esporotricose tem cura. Os casos de óbito costumam acontecer apenas quando o tratamento é feito de maneira incorreta ou tenha começado tarde demais. 

    O gato com esporotricose precisa ficar isolado durante o tratamento e ser manuseado apenas com luvas
    O gato com esporotricose precisa ficar isolado durante o tratamento e ser manuseado apenas com luvas

    Como lidar com um gato com esporotricose em casa?

    Por ser uma zoonose, a esporotricose felina pode passar para os humanos. Por isso, se tem um gato doente em casa é essencial tomar alguns cuidados para evitar que você, sua família e seus outros pets contraiam a doença também. O bichano precisa ficar isolado para impedir que a esporotricose passe para outras pessoas e animais da casa. O ideal é evitar tocar muito no gato até que ele esteja curado. Quando for necessário manusear o gatinho com esporotricose, o uso de luvas é imprescindível. Elas serão necessárias até o animal não apresentar mais feridas. Mesmo usando luvas, lembre-se sempre de lavar bem as mãos após o contato com o animal. Caso o bichinho não sobreviva à doença, é importante que ele não seja enterrado, mas cremado. Isso evita que o fungo se espalhe pelo solo. Somente seguindo esses cuidados você evita espalhar a esporotricose. 

    O gato que já teve esporotricose felina pode voltar a ter novamente?

    Após ser curado da esporotricose, gato pode sim ser contaminado novamente caso entre em contato com o vírus de novo.  Assim, vai passar mais uma vez por todos os sintomas e precisará de um novo tratamento. Por isso, é importante que os cuidados continuem. As medidas preventivas precisam ser tomadas mesmo que seu gato já não esteja mais com a esporotricose. Só assim você evita que ele contraia essa doença novamente.

    Como prevenir que o gato contraia a esporotricose?

    Como ninguém quer ver seu pet doente - ainda mais com uma doença tão perigosa como a esporotricose - é importante ficar atento às formas de prevenção. A veterinária Raquel Rezende afirma que no caso da esporotricose em gatos,a castração é a melhor maneira de prevenir. “A melhor forma de prevenção é a castração, para evitar briga com outros animais, superpopulação e manter o animal longe de locais que possam estar contaminados”, explica. Também vale proteger janelas e portas para evitar saídas. Manter o ambiente sempre limpo e com uma boa higiene também é fundamental para evitar infecção. Se tiver um jardim em casa, cuide bem do local e das plantinhas para evitar arranhões com espinhos e a presença dos fungos no local. Seguindo as dicas de prevenção corretamente, você evitará que seu pet contraia a temida esporotricose felina.

    Redação: Maria Luísa Pimenta 

    Piodermite canina: 10 perguntas e respostas sobre a doença que atinge a pele do cachorro

    Próxima matéria

    Piodermite canina: 10 perguntas e respostas sobre a doença que atinge a pele do cachorro

    Insuficiência renal em gatos: veterinária tira todas as dúvidas sobre essa doença grave que atinge os felinos!
    Saúde

    Insuficiência renal em gatos: veterinária tira todas as dúvidas sobre essa doença grave que atinge os felinos!

    A insuficiência renal em gatos é uma doença que pode ser muito comum quando falamos de felinos. Sem cura, o problema precisa de acompanhamento constante e cuidados especiais para evitar complicações. Apesar de ser uma doença grave, o gato com problema renal pode ter qualidade de vida. Para tirar as dúvidas sobre a insuficiência renal em gatos, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Débora Nunes, do Rio de Janeiro. Vem conferir!

    Já ouviu falar no gato escaminha? É uma raça de gato ou um padrão de cor? Tire todas as suas dúvidas!
    Raças

    Já ouviu falar no gato escaminha? É uma raça de gato ou um padrão de cor? Tire todas as suas dúvidas!

    A definição de gato Escaminha, também conhecido como “gato escama de tartaruga”, ainda causa estranheza. Com sua pelagem em tons pretos e laranja, é difícil não reparar no felino. Mas, afinal, do que se trata o gato Escaminha? Ele é uma raça de gato, ou não passa de um padrão de cores do animal? O fato é que muita gente tem dúvidas sobre o gato Escaminha e, ao procurar na internet, poucas informações são dadas a respeito do felino.

    Você sabe o que é a degeneração mixomatosa da valva mitral em cães? Tire todas as dúvidas sobre a cardiopatia!
    Saúde

    Você sabe o que é a degeneração mixomatosa da valva mitral em cães? Tire todas as dúvidas sobre a cardiopatia!

    Ninguém pode negar: cuidar do coração de cachorro é fundamental para manter a saúde do seu amigo. Afinal, assim como os humanos, ele também pode sofrer com as doenças cardíacas, entre elas, a degeneração mixomatosa da valva mitral é uma das mais frequentes. Também conhecida como endocardiose valvar, a condição provoca o refluxo do sangue dentro do coração e pode levar à insuficiência cardíaca, sendo fatal para o seu cãozinho. Mas, o que poucos tutores sabem é que, o quadro pode ter relação com traços genéticos da raça. Para entender melhor, conversamos com a veterinária Isabelle Campos, residente em Cardiologia na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, que te conta tudo o que você precisa saber sobre a degeneração mixomatosa da valva mitral em cães a seguir!

    Quanto custa castrar um gato? Tire todas as dúvidas sobre o preço do procedimento
    Castração

    Quanto custa castrar um gato? Tire todas as dúvidas sobre o preço do procedimento

    Antes de mais nada, os tutores precisam ter em mente que a castração de gato é um procedimento muito importante não só para impedir crias indesejadas, mas também para cuidar da saúde do felino. Isso porque, além de ajudar a manter o controle populacional do animal e evitar assim possíveis vítimas de abandono, castrar gato também é uma medida que atua na prevenção de inúmeras doenças e prolonga a vida do bichano.

    Ver Todas >

    Dirofilariose canina: saiba mais sobre o verme do coração que atinge os cães
    Saúde animal

    Dirofilariose canina: saiba mais sobre o verme do coração que atinge os cães

    A dirofilariose canina é uma doença silenciosa que pode afetar gravemente a saúde dos pets. Conhecida popularmente como a patologia do verme do coração, a transmissão da doença acontece por meio de uma simples picada de mosquito e pode levar o cachorro a óbito de maneira repentina. Para lidar com a dirofilariose, todo cuidado é pouco! 

    Fluidoterapia em gatos: tudo que você precisa saber sobre o tratamento usado em gatos renais crônicos
    Saúde animal

    Fluidoterapia em gatos: tudo que você precisa saber sobre o tratamento usado em gatos renais crônicos

    Você já ouviu falar em fluidoterapia em gatos? Muito comum em casos de insuficiência renal em gatos, a fluidoterapia em felinos é um tratamento de suporte que promove a hidratação do animal. É um procedimento versátil que pode ser aplicado de diversas maneiras e com fluidos específicos para cada situação. Para tirar todas as dúvidas sobre a fluidoterapia em gatos, o Patas da Casa conversou com a veterinária especialista em gato e dona do Diário Felino Jéssica de Andrade.

    Gato com FIV pode conviver com outros gatos?
    Saúde animal

    Gato com FIV pode conviver com outros gatos?

    A FIV felina é considerada uma das doenças mais perigosas. Além de toda a preocupação ao resgatar ou adotar um gatinho, existe outra questão que precisa de cuidado: a fácil transmissão. Existem testes que detectam a patologia, e é necessário realizá-los antes de levar um novo gato para casa - especialmente se tiver outros gatos. O gato com FIV pode acabar transmitindo a doença para os outros residentes se não houver nenhum tipo de cuidado.

    Vermes em gatos: saiba mais sobre a dirofilariose felina
    Saúde animal

    Vermes em gatos: saiba mais sobre a dirofilariose felina

    A dirofilariose em gatos é uma doença em que os parasitas se alojam na corrente sanguínea do pet e pode chegar até o coração - por isso também é chamada de doença do verme de coração. O problema é uma das doenças causadas por tipos vermes de gato. A dirofilariose também pode atingir os cães e é temida por ser uma complicação de saúde muito perigosa para ambos os pets. 

    Ver Todas >