Você sabe quais são os primeiros socorros para cachorro e gato que se deve tomar durante um incêndio? Ninguém espera que a sua casa pegue fogo algum dia, mas situações como essa podem acontecer com qualquer um. Por isso, é importante estar preparado. Quem tem um cachorro ou gato dentro de casa precisa se preocupar não só com a sua própria segurança, mas também com a dos seus pets.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Queimadura em cachorro ou gato, intoxicação por fumaça e dificuldade de respirar são alguns dos problemas que o seu animal de estimação pode sofrer durante um incêndio - e que podem rapidamente levá-lo à morte. Saber os primeiros socorros para cães e gatos e como agir nesse momento pode fazer toda a diferença. Confira!

1) Treine o cachorro ou gato para te obedecer sempre que for chamado

Muitas pessoas acham que treinar cães e gatos é útil apenas para corrigir alguns comportamentos e facilitar a convivência com eles. Porém, o treinamento pode salvar a vida do seu pet em emergências como um incêndio. Se o seu cão ou gato foi treinado para te seguir sempre que ouvir seu nome ou a correr quando você mandar, as chances de ele te obedecer em um momento de crise são maiores. Portanto, ensine truques para cachorro e gato e não deixe de realizar o adestramento (de preferência nos filhotes, quando eles aprendem com maior facilidade). 

2) Para evitar intoxicação e queimadura em cachorro ou gato, mantenha o pet sempre longe do fogo

Na hora do incêndio, é completamente normal que o desespero acabe tomando conta e você não saiba muito bem o que fazer primeiro. Apesar de ser bem difícil, tente manter a calma e procure o seu pet. Os cães e os gatos são animais curiosos. O fogo vai chamar a atenção deles, então pode acontecer de tentarem ir na direção das chamas. O papel do tutor nesse momento é impedir esse acesso. Pegue o animal pelo colo, coloque uma barreira entre o pet e o fogo e chame-o para perto de você. Vale ressaltar que esse cuidado não é válido apenas durante o incêndio, mas no dia a dia também. Não deixe que seu animal fique perto de churrasqueiras, fogões, botijão de gás, velas ou qualquer item que possa causar um acidente desse tipo.

3) Manter o gato ou cachorro com a coleira de identificação dentro de casa pode fazer toda a diferença

É comum que os tutores coloquem a coleira para cachorro e gato apenas quando vão sair de casa. Mas você sabia que deixar o animal identificado dentro de casa também é uma medida importante? A coleira com identificação para cachorro e gato contém as informações mais relevantes do animal, como nome (do pet e do tutor), endereço e telefone de contato do dono. No caso de um incêndio, o cão ou gato pode acabar se afastando do tutor. Se ele estiver identificado, as chances de encontrá-lo é muito maior. Além disso, é possível usar microchips para cachorro e gato que também ajudam na identificação e localização.

4) Avise aos bombeiros que há animais dentro de casa

Saber os primeiros socorros para gato e cachorro é fundamental para salvar a vida do seu pet. Porém, não tente resolver tudo sozinho. Os bombeiros são os profissionais que estão acostumados a agirem nesse tipo de situação, então assim que eles chegarem deixe que tomem as rédeas do resgate. A primeira coisa que você deve fazer é avisar da presença de pets dentro de casa. Assim, eles já sabem que devem priorizar o resgate e estarão prontos para fazer os primeiros socorros em cachorro ou gato. Uma outra dica é colocar algum adesivo ou aviso do lado de fora ou no interior da casa que indique que existe um pet morando ali. Assim, o bombeiro já saberá que há um animal em casa mesmo que você esteja ausente durante o incêndio.


Saber os primeiros socorros para cães e gatos pode salvar a vida do pet durante um incêndio
Saber os primeiros socorros para cães e gatos pode salvar a vida do pet durante um incêndio

5) Conhecer os hábitos do seu cachorro ou gato pode salvar a vida dele

Qual cantinho o seu pet costuma se esconder durante o dia? Ele costuma vocalizar (latir ou miar) quando está com medo? Existe algum lugar da casa onde o seu bichinho passa a maior parte do tempo? Esses pequenos detalhes do dia a dia do animal podem salvar a vida dele em uma emergência! Quando você conhece os hábitos do pet, você consegue imaginar como ele agiria em diferentes tipos de situação. Assim, você passa a ter uma ideia de onde o seu animal pode se esconder durante um incêndio. Por isso, avise os bombeiros quais são esses lugares que o animal costuma ficar. Isso vai facilitar bastante o trabalho deles e a chance de encontrar o animal rapidamente será muito maior.

6) Aprenda os primeiros socorros para cães e gatos

Mesmo que você não seja um profissional, você pode salvar a vida do seu pet. Saber o básico dos primeiros socorros para cachorro e gato é essencial, pois os bombeiros podem demorar a chegar. O maior perigo está no cachorro ou gato intoxicado pela fumaça. 

Primeiro, leve o animal para longe da fumaça. Prefira um local arejado onde ele possa respirar bem. Se isso não for possível, molhe um pano limpo e coloque no rosto do animal. Isso funcionará como uma máscara para o pet (só cuidado para não apertar muito). Uma dica de primeiros socorros para cães e gatos muito importante é: não dê água ou comida para o cachorro ou gato intoxicado. Na hora de transportar o pet até o veterinário, tenha o cuidado de manter seu pescoço bem esticado, pois isso facilitará a respiração. Além disso, evite mexer muito no pet sem necessidade. Esses primeiros socorros para animais são bem simples, mas vão ajudar a mantê-lo estável até o atendimento médico.

7) O cachorro ou gato precisa de atendimento médico depois do resgate

Após resgatar o animal de um incêndio, não hesite em levá-lo a uma emergência veterinária. Mesmo que você não veja indícios de queimadura em gatos ou cachorros, o atendimento é essencial, pois a fumaça pode deixar o animal intoxicado. Conte tudo ao veterinário: se você realizou os primeiros socorros em cachorro ou gato, quanto tempo demorou até os bombeiros chegarem, como começou o incêndio, onde exatamente o animal estava, por quanto tempo ele ficou perto do fogo, se ele apresentou mudanças de comportamento… não deixe nada de fora, pois cada detalhe vai ajudar a salvar a vida do pet. 

Redação: Maria Luísa Pimenta

Edição: Luana Lopes