A socialização de cães é uma das maiores preocupações dos donos de animais em geral. Saber que você pode levar o seu cachorrinho para locais públicos sem que ele fique agressivo ou amedrontado na presença de outros animais é o ideal, tanto para você, quanto para ele. Mesmo assim, por causa do instinto de liderança e territorialismo, muitos deles têm dificuldades para se relacionar em ambientes como esse. Por isso, o que não faltam são táticas e truques que você pode colocar em prática para ajudar no comportamento do seu cachorrinho. Confira, aqui embaixo, as dicas do Patas da Casa!

Como socializar cachorros? A socialização deve começar desde filhotes

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Se o seu cachorro chegou na sua casa ainda filhote, o processo de socialização dele pode acontecer de forma mais simples. Assim que ele tomar todas as vacinas obrigatórias, o ideal é que você comece a levar o animal para passeios na rua, onde ele vai ter contato com outros animais e, ao mesmo tempo, com um movimento diferente de pessoas.

Depois que o cachorro se acostumar com um ritmo diferente de casa, apresente o seu filhote a ambientes que são separados para a socialização de cães, como os parques que têm essa finalidade. Comece à distância, para medir a reação do animal ao observar outros cães interagindo e brincando. Se ele se mantiver calmo e com o comportamento normal depois de alguns passeios de observação, você pode se aproximar, sem problemas. Durante os primeiros meses de vida, a socialização acontece de forma mais simples e descomplicada, então é bem provável que você não tenha problemas com isso nessa fase.

A socialização de cães que vão morar na mesma casa também deve acontecer por etapas


Para cães que vão morar na mesma casa, tudo é uma questão de tempo e paciência
Para cães que vão morar na mesma casa, tudo é uma questão de tempo e paciência

Adotar um segundo cachorrinho quando você já tem um dominando todos os cômodos da sua casa também é algo que vai pedir alguns dias de adaptação entre os animais. Ao invés de colocar os dois no mesmo ambiente logo de cara, vá por etapas:

Passo 1. Comece deixando que os dois animais se observem à distância, como em duas pontas de um mesmo corredor, por exemplo;

Passo 2. Num outro momento, aproxime os dois, mas mantenha uma barreira física entre os animais, para que eles possam se observar mais de perto;

Passo 3. O terceiro passo é o contato físico: com os dois animais em guias ou coleiras, deixe que eles cheguem perto e cheirem um ao outro. Nesse momento, é importante que você se mantenha calmo e atento a qualquer sinal de agressividade de qualquer um dos dois;

Passo 4. Depois que tudo correr bem, você pode deixar os dois juntos num mesmo cômodo, mas mantenha as supervisão nas primeiras interações dos animais.

Mesmo que eles tenham se acostumado à presença um do outro, alguns cuidados podem tornar a convivência dos dois animais mais simples. Na fase de adaptação, é essencial que a individualidade dos animais seja respeitada, por isso, separe pratos de comida, potes de água e tapetinhos higiênicos. A divisão das camas precisa acontecer da mesma forma: uma para cada um, para não haver brigas.

Socializar cães adultos é mais difícil, mas não é impossível


A socialização também pode acontecer entre dois cachorros adultos
A socialização também pode acontecer entre dois cachorros adultos

Quem tem um cão que, mesmo já sendo adulto, não passou pelo processo de socialização mais cedo ou sofreu algum trauma que torna o contato dele com outros animais mais difícil, precisa saber que tem um processo um pouco mais complicado pela frente. Nesses casos, a ajuda profissional de um adestrador pode ser necessária, mas mesmo assim, você também pode ajudar à sua maneira. Aqui, o seu principal objetivo é tentar ressignificar situações que podem deixar o seu cachorro estressado ou com medo — dois estímulos que, certamente, vão fazer ele reagir de forma agressiva.

O exercício do parque feito com filhotes pode ser repetido com o adulto, mas, nesse caso, ofereça recompensas, como petiscos, sempre que ele ficar calmo e dê mais tempo para o animal se acostumar. Na hora de estimular o contato direto com outro cachorro, os biscoitinhos também podem entrar em cena antes de qualquer reação negativa e junto de bastante carinho.

É importante, também, estabelecer o seu papel de liderança positiva para o cachorro e usar sempre a guia, que vai te dar controle sobre os movimentos e possíveis reações da parte dele. O mais importante, no caso dos cachorros adultos, é a sua persistência: ele vai levar mais tempo que um filhote para se adaptar e precisa de todo o apoio do mundo para vencer essa barreira!

Redação: Ariel Cristina Borges