close
Saúde

Bronquite em gatos: entenda mais sobre a ação da doença respiratória nos felinos

Atualizado em 08 de junho de 2020 às 15h23

Publicado em 31 de maio de 2020 às 14h55

O gato tossindo é um dos principais sintomas da bronquite felina
O gato tossindo é um dos principais sintomas da bronquite felina

Um gato tossindo pode indicar uma série de problemas de saúde. No entanto, quando esse sintoma aparece para incomodar os felinos, está quase sempre associado a uma doença respiratória, como a bronquite em gatos – também conhecida como asma brônquica ou bronquite crônica. Apesar de haver muitas terminologias, o distúrbio é reconhecido clinicamente como o resultado da inflamação das vias aéreas inferiores, gerada pela sensibilidade a certos estímulos. A seguir, saiba mais sobre o assunto, das causas às formas de tratamento.

Bronquite em gatos: quais são as principais causas?

As causas subjacentes da inflamação associada à bronquite felina são desconhecidas, mas as vias respiratórias podem reagir a alguns gatilhos (exposição a alérgenos) e doenças que podem incitar ou agravar o problema. Veja abaixo:

  • Poeira;
  • Fumaça de cigarro ou de poluição;
  • Perfume e produtos de limpeza;
  • Pólen;
  • Mofo;
  • Agentes infecciosos - vírus, bactérias;
  • Parasitas - dirofilariose, pulmonares.

Quando as vias aéreas de um gato são sensíveis aos estímulos, a exposição a esses agentes leva à produção excessiva de muco, assim como ao estreitamento dos brônquios e bronquíolos, o que dificulta a passagem de ar. Entre as consequências estão os espasmos musculares nos tubos respiratórios e a dificuldade em respirar.

Quais são os principais sintomas da bronquite felina?

Normalmente, os gatos que sofrem de bronquite ou asma felina têm um histórico de tosse. Esse sintoma é frequentemente confundido com bolas de pelos, pois os gatos exibem um comportamento semelhante ao tentar expelir algo que ficou preso na garganta ou foi engolido. Da mesma forma, a tosse pode ser interpretada como um engasgo ou tentativa malsucedida de vômito.

Para ajudar você a identificar corretamente a bronquite no seu gatinho, aqui estão os principais sinais clínicos dessa doença respiratória:

  • Tosse;
  • Respiração rápida;
  • Respiração de boca aberta;
  • Aumento do ruído ou chiado ao respirar;
  • Dificuldades respiratórias / aumento do esforço durante a respiração;
  • Intolerância aos exercícios.

Em animais levemente afetados pela bronquite, a tosse ou chiado no peito podem ocorrer apenas ocasionalmente. Alguns gatos com doenças respiratórias são sintomáticos entre crises agudas e graves da constrição das vias aéreas. Os felinos severamente afetados têm tosse e chiado no peito diariamente e muitas crises de contração das vias respiratórias, levando à respiração de boca aberta e respiração ofegante.

Alguns gatos têm maior probabilidade de sofrer com a bronquite?

A bronquite felina é mais comum em gatos de dois a oito anos de idade (animais jovens e de meia-idade). Os gatinhos siameses são mais predispostos a ter doenças das vias aéreas inferiores, com uma prevalência de até 5% da raça. Gatos obesos e com sobrepeso também têm um risco maior de desenvolver algum distúrbio respiratório.

Como é feito o diagnóstico da bronquite em gatos?

O diagnóstico da asma/bronquite felina é feito por uma combinação do histórico do animal, exame físico, radiografias torácicas, hemograma completo e até lavagem transtraqueal. Este é um procedimento realizado sob anestesia geral para coletar amostras de secreções das vias aéreas para citologia e cultura bacteriana para descartar infecções.

Bronquite felina: como tratar o problema?

O remédio para bronquite felina é a principal forma de tratamento da doença. Dependendo da gravidade, o gatinho será tratado com uma combinação de corticosteroide (anti-inflamatório esteroidal), por inalador ou pílula, e um broncodilatador para ajudar a abrir as vias aéreas.

Em paralelo, o tutor deve eliminar quaisquer fatores conhecidos por desencadear ou agravar problemas respiratórios no animal. Em outras palavras, isso significa reforçar a limpeza da casa, remover a fumaça de cigarro, retirar tapetes, almofadas e cortinas, além de afastar os demais fatores ambientais que podem agravar a condição da saúde do gato.

Redação: Guilherme Segal

Faça o teste e descubra qual a personalidade dominante do seu gato!

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Como seu gato reage com a chegada de visitas em casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você está pensando em adotar mais um gatinho. Qual seria a reação do seu felino?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você precisa levar seu gato ao veterinário e na fila ele encontra outro felino. Como ele reage?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato fica incomodado quando as portas de casa ficam fechadas?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta com os outros animais da casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você acabou de chegar em casa depois de muito tempo fora. O seu gato:

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato deitou em cima da sua cama e dormiu. Qual a sua reação, humano?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta na hora de se alimentar?

Question Header Background

Gato-humano! Seu gato não perde a oportunidade de estar ao seu lado Gato solitário! Seu gato tem uma personalidade mais quieta e reservada Gato-gato!  Seu gato gosta da companhia de outros felinos Gato curioso! Seu gato está sempre em busca de novas aventuras Gato caçador! Seu gato tem os instintos selvagens mais aflorados
    Diabete canina: 5 sinais da doença para ficar atento

    Próxima matéria

    Diabete canina: 5 sinais da doença para ficar atento

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos
    Saúde

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos

    Uma das doenças gastrointestinais mais sérias e conhecidas entre os humanos também possui a sua versão no universo felino: a pancreatite em gatos tem uma ação bastante similar no corpo dos nossos bichanos e também precisa de tratamento imediato para não causar danos à saúde do gato. É claro que isso se torna motivo de preocupação para os gateiros, mas não se assuste! A pancreatite felina tem tratamento e é possível diminuir o avanço da doença com alguns cuidados simples. 

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir
    Saúde

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir

    Assim como nos cães, a Giárdia em gatos é uma zoonose muito comum. Os felinos, então, não estão imunes a contrair essa doença, que muitas vezes passa despercebida ao ser confundida com uma simples diarreia. Por isso, é muito importante prestar atenção aos sintomas da giárdia em gatos e, também, buscar formas de prevenir a contaminação. Para esclarecer mais as dúvidas quanto ao assunto, conversamos com a médica veterinária Carolina Mouco Moretti, que é diretora geral do Hospital Veterinário Vet Popular, de São Paulo.

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!
    Saúde

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!

    Os períodos de chuva e frio demandam mais atenção ainda com a saúde dos felinos. Mesmo vivendo dentro de casa e sem acesso às ruas, os gatinhos não estão imunes a algumas doenças que podem surgir com as mudança do tempo. Uma delas é a rinotraqueíte felina: se você tem um gato, já ouviu falar sobre ela por ser bem comum entre os bichanos. Mas, se você ainda não sabe muito sobre a doença, não se preocupe, pois o Patas da Casa vai te esclarecer as principais dúvidas sobre a doença. Para isso, conversamos com a veterinária Vivian Valério, do Rio de Janeiro!

    Quantas horas um gato dorme por dia? Gatos sonham? Saiba tudo sobre o ciclo do sono dos felinos
    Comportamento

    Quantas horas um gato dorme por dia? Gatos sonham? Saiba tudo sobre o ciclo do sono dos felinos

    Não há nada mais fofo do que ver um gato dormindo. Essa, inclusive, é uma cena bastante comum na vida dos pais de pet, já que os felinos aproveitam boa parte da vida intercalando sonecas. Mas você já parou para pensar quantas horas dorme um gato? Às vezes parece até que esse ciclo dura o dia todo… será que esse é um comportamento normal ou pode ser motivo de preocupação? O que os gatos sonham (se é que ele sonham)? São muitas perguntas que precisam ser respondidas, mas não se preocupe. 

    Ver Todas >

    Gato com sangue nas fezes: o que fazer?
    Saúde animal

    Gato com sangue nas fezes: o que fazer?

    Se você reparar seu gato com sangue nas fezes, é importante ficar atento. Essa situação é um sintoma comum a inúmeras doenças que podem afetar o bichano. Ao defecar fezes com sangue, o gato pode estar com uma inflamação no cólon ou até mesmo com um tumor no sistema digestivo. O sangue nas fezes do gato é um sintoma presente até mesmo nas verminoses mais comuns. Seja qual for a causa do gato fazendo fezes com sangue, sempre significa que algo está errado com o animal. 

    Cachorro engasgado: veterinária ensina o que fazer nessa situação
    Saúde animal

    Cachorro engasgado: veterinária ensina o que fazer nessa situação

    Saber um pouquinho de primeiros socorros veterinários vai ser muito útil se você acha que um cachorro parece engasgado - inclusive, é algo que pode salvar a vida do seu pet nessas horas! Seja porque ele comeu muito rápido ou tentou engolir alguma coisa que não devia, se deparar com um cachorro engasgado em casa é sempre um momento de desespero para qualquer pai de pet. Não saber como resolver essa situação é super comum e, ao mesmo tempo, um hábito perigoso: nunca se sabe quando você vai precisar socorrer o seu amigo em casa. 

    Cinomose: sintomas mais comuns da doença. Aprenda a identificar os sinais!
    Saúde animal

    Cinomose: sintomas mais comuns da doença. Aprenda a identificar os sinais!

    Os sintomas de cinomose canina são facilmente confundidos com outras doenças de cachorro e infelizmente pode até mesmo levar o animal à morte. Mais comum em filhotes não vacinados, a cinomose é altamente contagiosa e em alguns casos pode deixar sequelas que vão acompanhar o pet por toda a vida. É importante estar atento a qualquer sinal da cinomose em cães que ainda não completaram o calendário de vacinação, pois é uma doença que evolui rapidamente para um quadro grave. Ou seja, é uma situação de emergência!

    Giárdia canina: o que é, como tratar e o que fazer para prevenir
    Saúde animal

    Giárdia canina: o que é, como tratar e o que fazer para prevenir

    A giárdia canina é uma doença com alta contaminação entre os cães. O cachorro que a contrai sente bastante desconforto no sistema digestivo, com diarreia e vômitos frequentes. Comum principalmente no verão, a giardíase canina pode se apresentar de maneira mais leve ou mais grave. Sem tratamento, a giárdia canina pode matar o cachorro contaminado se ele não receber o tratamento adequado logo no início da infecção. Além disso, a giárdia canina pega em humanos e tem maior chance de atacar filhotes de cachorro. 

    Ver Todas >