A ração certa e a quantidade ideal a ser oferecida diariamente para os cachorros é uma preocupação frequente dos tutores. A alimentação dos pets (filhotes, adultos e idosos) precisa ser balanceada e oferecer uma grande variedade de nutrientes para a saúde e bem estar dos bichinhos. Diante tantas opções em petshops, supermercados e lojas especializadas, é comum surgir dúvidas sobre qual é a ideal, já que uma alimentação nutricionalmente rica é essencial para que nossos animais de estimação vivam com qualidade de vida e longe de doenças. Para ajudar na escolha correta, montamos uma lista com os tipos de ração para cada fase da vida. Veja abaixo e saiba qual oferecer ao seu melhor amigo!

Conheça os diferentes tipos de ração: alimentação do cachorro para cada fase da vida

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Ração para cachorro filhote: como mamífero, o primeiro alimento do filhote é o leite materno até a oitava semana de vida. Entretanto é comum os filhotes se interessarem por alimentos sólidos a partir da quarta semana. Para essa transição alimentar, é importante optar pela ração úmida ou que o alimento seja amolecido com água até obter uma textura de purê. Conforme o filhote for crescendo, a ração seca pode ficar mais consistente ou ser misturada com a ração úmida. Outra dúvida muito comum em relação à alimentação de filhotes é a quantidade oferecida. Os veterinários indicam oferecer a quantidade diária necessária porcionada ao longo do dia variando de acordo com a idade:

  • 2 meses: de 4 a 6 vezes ao dia
  • 3 meses: 4 vezes ao dia
  • De 4 a 6 meses: 2 a 3 vezes ao dia
  • Após 6 meses: 2 vezes ao dia ou de acordo com seu veterinário

Uma dúvida muito comum é se pode dar leite para cachorro, mas a partir do momento que o pet desmama, não é necessário e já está liberado para comer ração. Seu cachorrinho vira adulto entre os 12 e 24 meses - dependendo da raça e porte.. Na dúvida, consulte seu veterinário para saber o momento certo de trocar a ração.

Ração para cachorro adulto: seu cachorro cresceu e agora já pode se alimentar com ração própria para cães adultos. A cada fase de vida, a necessidade diária de nutrientes muda e é preciso acompanhar essas fases com a alimentação adequada. Optar por alimentos secos ou úmidos é uma escolha dos tutores e que pode levar em consideração a preferência do animal, já que as duas são ricas nutricionalmente. A mistura dos dois tipos também pode ser levada em conta na hora de decidir. A raça, idade, estilo de vida e, principalmente, saúde podem influenciar na quantidade diária a ser oferecida. Quando a questão é saúde, precisamos ter em mente que é essencial consultar o veterinário para oferecer corretamente a ração para cães com alergia de pele, adequar a dieta de cadelas prenhas, ou saber escolher a melhor ração para cachorro obeso. Diferente dos filhotes, os cães adultos só precisam ser alimentados 1 ou 2 vezes ao dia.

Ração para cachorro idosos: a partir dos 7 anos, o seu cachorro é considerado sênior e precisa novamente passar por uma transição alimentar. As rações para cães mais velhos são ricas em antioxidantes e ácidos graxos essenciais. Esses nutrientes são importantes para fortalecer as articulações e o sistema imunológico. Diferente dos filhotes que são cheios de energia, os cães mais velhos se tornam menos ativos e podem desenvolver obesidade. Como efeito do sobrepeso, podem surgir outros problemas de saúde, principalmente nas articulações. Por isso, é importante adequar a dieta novamente. Assim como na transição de ração de filhote para ração de adulto, a mudança para ração sênior deve ser feita gradualmente, já que a mudança repentina pode ocasionar desconforto digestivo.


Saiba como deve ser a alimentação do filhote
Saiba como deve ser a alimentação do filhote

Standard, premium ou superpremium: conheça a composição de cada ração

Ração superpremium: esse tipo de ração é produzido com proteína animal de alta qualidade e tem alta capacidade de digestibilidade. A composição nutricional desse tipo de ração proporciona saciedade com uma quantidade menor - se comparada com as outras. Além desses benefícios, a ração superpremium, dependendo da marca, é enriquecida com ômega 3 e 6 (importante antioxidante para a saúde da pele e dos pelos do seu cachorro). Além de benéfica para a saúde do seu bichinho, ela ajuda a manter a saúde bucal e os pelos brilhosos. 

Ração premium: a diferença da premium para a superpremium é que ela tem um percentual de proteína vegetal na sua composição, o que também é saudável mas sacia menos, então torna necessário oferecer uma maior quantidade para acabar com a fome do seu cachorro. Dependendo da marca de ração, ela pode conter conservantes, corantes e proteínas animais de baixa qualidade, vinda de ossos em vez de carne de frango, por exemplo. É melhor procurar opções livres desses aditivos que não são muito benéficos para a saúde do seu pet. 

Ração standard: a menos elaborada entre as três, esse tipo de ração é produzido com proteínas mais simples, o que pode ser indigesto para alguns cachorros. Aqui também ficam de fora outros fortalecimentos nutricionais das rações de melhor qualidade, como vitaminas e ômegas 3 e 6.

Ração econômica: essa é a opção mais barata, porém, com o menor valor nutricional. É feita com uma mistura de ingredientes como o farelo de soja, trigo, milho e arroz, e com baixa porcentagem de proteína animal. Normalmente é vendida em supermercados, lojas não especializadas e casas de ração. 

Ração “natural”: uma ração canina é considerada natural quando não utiliza alimentos transgênicos na fórmula, assim como o conservante que precisa ser natural - o extrato de alecrim é um dos mais comuns. Esse tipo de ração é caracterizado por conter proteínas e outras vitaminas oriundas de frutas e vegetais. 


Saiba como alimentar o seu cão idoso
Saiba como alimentar o seu cão idoso

Cachorros com condições adversas precisam de uma alimentação específica 

Ração renal: cachorros com problemas renais precisam de uma dieta específica para equilibrar o funcionamento renal. A fórmula contém uma quantidade limitada de proteína de alta qualidade, assim como o baixo teor de fósforo. 

Ração para cachorro obeso: é muito comum ter dúvidas sobre como tratar a obesidade canina. Com baixo teor calórico e de gorduras, esse alimento é enriquecido com fibras naturais para que o animal tenha o apetite satisfeito e com isoflavona para auxiliar na redução de peso e no acúmulo de gordura. 

Ração para cães com alergia de pele: uma alimentação suplementada com antioxidantes tipo ômega 3 e 6 é essencial para cachorros com dermatites. Esse tipo de ração evita os principais sintomas de pele sensível em cães como por exemplo, a descamação, irritação, ressecamento e coceira na pele. 

Ração para cachorros com problemas gastrointestinais: esse tipo de ração tem como característica a baixa quantidade de gordura, pouca fibra e é enriquecido com probióticos para auxiliar na saúde intestinal. Pode ser consumido por animais em tratamento para distúrbios gastrointestinais, em estado convalescente e em tratamento para doenças pancreáticas e hepáticas. 

Ração para cachorros com problemas neurológicos: cães com doenças neurológicas associadas ao envelhecimento ou que precisam controlar epilepsia idiopática podem ser beneficiados com uma dieta à base de ração enriquecida com ácidos graxos de cadeia média. Esses nutrientes são essenciais para melhorar a função cerebral de cães e para deixá-los mais alertas e com maior destreza mental - principalmente em animais com idade avançada. 

Ração para cachorros com problemas de mobilidade: uma ração enriquecida com ômega 3 de cadeia longa ajuda a garantir a saúde das articulações e das cartilagens em cachorros filhotes ou adultos. Com alta proporção de proteínas, a ração específica para esse fim ajuda a garantir um melhor desenvolvimento da massa muscular do animal;

Redação: Mariana Almeida